Política

“12 nomes e um destino, ou melhor, escolha, disputar a Prefeitura de Cuiabá ou o Senado da República”

Publicados

em

No período das eleições, todos nós ouvimos falar sobre o quanto é importante escolher bem os candidatos em quem pretendemos confiar nosso voto, afinal, são eles os principais responsáveis pelo futuro da nossa cidade nos próximos anos.

Mas como fazer essa escolha? Como decidir entre tantos candidatos e partidos? Sabemos que não é um processo tão simples.

A eleição que estava marcada para 26 de abril e tinha sido determinada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Mato Grosso (TRE/MT) para escolher o substituto da Senadora e Juíza aposentada Selma Rosane Santos Arruda do Podemos acabou sendo adiada com a determinação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Em dezembro, Selma Arruda teve o mandato cassado por suposta prática de Caixa 2 e Abuso de Poder Econômico.

A Caneta Azul da ministra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Maria Pires Weber, suspendeu a realização da eleição suplementar em Mato Grosso, o motivo…, Pandemia do Coronavírus.

A decisão do Tribunal Superior Eleitoral foi tomada em meio às medidas para evitar a circulação e a aglomeração de pessoas e a transmissão do novoCoronavírus. Ainda não há nova data para o pleito.

Segundo a assessoria do Tribunal, a nova data deve ser estabelecida “com a maior brevidade possível”. Não está descartada a possibilidade de que ocorra simultaneamente às eleições municipais de outubro deste ano.

E agora…Senado ou Prefeitura…

Os candidatos ao Senado da República, que pretendem concorrer na eleição suplementar, como também, nas eleições municipais, terão uma dúvida cruel pela frente, já que as duas eleições devem ter datas chocadas, ou com diferença de um pequeno período, o que obrigará os candidatos a escolherem apenas um caminho… Difícil escolha.

O fim das coligações obriga os partidos a buscarem potencializar candidatos competitivos, já que a totalização dos votos será feita por partido. A situação muda com o fim das coligações, diminuindo a chance de fragmentação partidária, já que será mais trabalhoso aos pequenos partidos mobilizarem mais votos para atingir o quociente eleitoral.

“”Pandemia do Coronavírus” pode inviabilizar um candidato a concorrer duas eleições em 2020″.

Como o Tribunal Superior Eleitoral (STE) já suspendeu a eleição suplementar para o Senado da República, marcada para o dia 26 de abril, e como existe a iminência da alteração da data das eleições municipais, por conta da Pandemia do Coronavírus, para economizar, em Mato Grosso as duas eleições poderão ser realizadas no mesmo período, que de imediato, obrigará alguns candidatos a definir apenas um caminho.

O governador Mauro Mendes, desde o início do ano já defendia o adiamento da eleição suplementar ao Senado da República, alegando alto custo de R$ 8 milhões“.

Desde quando surgiram as primeiras cogitações da realização de uma eleição suplementar ao Senado da República, que vários nomes começaram a serem apontados como os possíveis pré-candidatos, até mesmo, aqueles políticos que já estava trabalhando para disputar a eleição municipal.

As alterações das datas das eleições, também mudam o cenário das disputas com as determinadas escolhas dos candidatos“.

Desta forma, com a possibilidade de choque das datas da realização das eleições, candidatos como Gisela Simona (PROS) possivelmente terá que escolher participar apenas de uma disputa.

“12 nomes e um destino, ou melhor, escolha, disputar a Prefeitura de Cuiabá ou o Senado da República”.

Gisela Simona desde o ano passado é pré-candidata à Prefeitura de Cuiabá, e nos últimos dias foi apresentada pelo seu partido PROS, como a candidata para disputar a eleição suplementar ao Senado, agora com a possibilidade do cheque do período eleitoral, os dois destinos desta candidata terá que ter apenas um caminho.

Assim como Gisela, outros candidatos ao Senado, estão pleiteando participar das eleições municipais, que também terão que analisar as suas intenções para enfrentar apenas uma disputa.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Comissão de Saúde da ALMT recebeu denuncia de Sindicatos e Conselhos da falta de condições de trabalho dos profissionais da Saúde

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Política

Rodízio de veículos, atendimento por CPF esta suspenso; Pinheiro apresenta nesta segunda-feira (6) projeto de barreiras sanitárias

Publicados

em

A grande repercussão negativa entre a população cuiabana levou a Prefeitura de Cuiabá voltar atrás e revogar o Novo Decreto assinado por Emanuel Pinheiro em menos de horas.

Pinheiro, decidiu nesta sexta-feira (3) que suspenderá, neste primeiro momento, as medidas de rodízio no tráfego de veículos e limitação, por CPF, nos atendimentos presenciais realizados por bancos, lotéricas, supermercados e distribuidoras de bebidas. As normas constam no Decreto nº 7.975, que foi assinado pelo chefe do Executivo nesta ultima quinta-feira (2), e passariam a valer a partir de segunda-feira (6).

O Prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro definiu que, na próxima segunda-feira, irá apresentar o projeto para a instalação de barreiras sanitárias na Capital. A medida cumpre com a decisão judicial imposta pelo juiz José Luiz Leite Lindote, da Vara da Fazenda Pública de Várzea Grande, em atendimento ao requerimento do Ministério Público do Estado (MPE).

As duas medidas suspensas serão discutidas com os segmentos da sociedade civil organizada e avaliada nas deliberações do Comitê de Enfrentamento ao Novo “Coronavírus. O prefeito reconhece que, por ser ações que resultam em grandes impactos na rotina da população, é necessário que elas sejam melhores debatidas para que, se necessário a implantação, isso aconteça da forma mais tranquila possível.

Entendo a reação e sei que não é fácil mudar os nosso hábitos, mas está na hora de cada um de nós refletir sobre nosso papel nessa luta. Só vamos vencer essa guerra, se cada um fizer sua parte, caso contrário não adianta só exigir do poder público e não agir com responsabilidade, querer viver como se estivesse tudo normal. Não há decreto no mundo que dê jeito, se não tiver o apoio da população. Cada um fazer a sua parte, exige sacrifícios temporários, como nestes casos que eram apenas de 15 a 17 dias”, comentou Emanuel Pinheiro.

Seguem valendo, até o dia 20 de julho, a ampliação do toque de recolher, das 20h às 5h; regime de trabalho no sistema home office para servidores municipais; proibição da utilização de refeitórios e restaurantes nos hotéis e hospedarias; suspensão do funcionamento de motéis; suspensão das as atividades presenciais nas unidades de ensino públicas e privadas; transporte coletivo com funcionamento total da frota.

Além disso, seguindo a decisão judicial, continua vedada a abertura ao público dos shoppings centers e congêneres, permitida tão somente o funcionamento das atividades essenciais mediante sistema delivery. Também está permitida a comercialização de produtos oriundos das atividades essenciais pelo sistema de entrega e retirada de produtos (delivery e passe e pegue), desde seguida todas as medidas de biossegurança.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Mato Grosso pode ter 74.529 de pessoas infectadas até dia 1° de agosto
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA