302 ANOS DE VIDA

8 de abril de 1719 – “Cuiabá Cidade Verde”

Publicados

em

Cuiabá é conhecida como Cidade Verde, por causa arborização. Para o historiador e pesquisador em Cuiabá, Pedro Félix, as primeiras fotografias panorâmicas mostram a quantidade de árvore na capital.

A denominação “Cidade Verde” foi imortalizada nos poemas de Dom Aquino Corrêa. Cuiabá era caracterizada por quintais verdes com muita árvore frutífera, detalhou.

Dom Aquino foi nomeado Bispo de Cuiabá no ano de 1915, sendo o mais novo religioso a assumir esse cargo. Ele também foi Governador do Estado de Mato Grosso.

A história de Cuiabá começou a surgir durante as expedições de bandeirantes em busca de índios e minas de ouro, na época colonial, no Século 17. A futura capital mato-grossense atraiu desbravadores como Manoel de Campos Bicudo e seu filho Antônio Pires de Campos, e Pascoal Moreira Cabral, que assinaria a Ata de Fundação de Cuiabá.

Entre os anos de 1670 e 1673, o bandeirante Manoel Bicudo subiu o rio Cuiabá e passou pelo atual Morro de São Jerônimo, situado em Chapada dos Guimarães, município a 65 quilômetros da capital. A princípio, o viajante foi motivado por lendas de que existia ouro nessa localidade. Manoel seguiu até chegar ao encontro dos Rios Cuiabá e Coxipó, local onde acampou e deu o nome de São Gonçalo.

Três anos mais tarde, foram descobertas novas jazidas, as chamadas “Lavras do Sutil”, nas proximidades do Córrego da Prainha e da Colina do Rosário, onde foi construída a Igreja do Rosário, no centro da localidade.

A povoação se expandia e viria a se tornar a Vila Real do Senhor Bom Jesus de Cuiabá. A região de Mato Grosso, por sua vez, seria desmembrada São Paulo, em 1748, tornando-se também uma capitania.

Por meio da carta régia assinada por Dom João 6º, a vila foi elevada à categoria de cidade em 17 de setembro de 1818. A sede da capitania, porém, ainda era a Vila Bela da Santíssima Trindade. Somente em agosto de 1835, Cuiabá se tornou a capital da então província de Mato Grosso, que se transformaria em Estado com a Proclamação da República.

Após o fim da Guerra do Paraguai, a cidade desenvolveu a sua infraestrutura. No final da década de 1930, com a política de integração nacional do governo federal e o programa “marcha para o Oeste”, Cuiabá ganhou a sua primeira avenida, a Getúlio Vargas, além de novos edifícios e rodovias.

Entre 1970 e 1975, quando o Governo Federal incentivava o povoamento do interior do País, a população passou de 83 mil para 127 mil habitantes. A capital de Mato Grosso ultrapassa os 600 mil habitantes e sua área é de 3.495,424 km2. A 20ª capital mais populosa do país, ocupa a 92ª posição entre os 5.565 municípios brasileiros segundo o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). 

Ainda resta, porém, esclarecer o significado do nome “Cuiabá“.

Há várias versões para ele e nenhuma é tida como definitiva. A mais tradicional diz que vem do local chamado “Ikuiapá” onde os Índios Bororos pescavam com uma flecha-arpão, que em sua língua chama-se “Ikuia”, sendo “pá” o designativo de lugar.

Para outros, o termo deriva de “kuyaverá”, palavra guarani que se traduziria por “rio da lontra brilhante”.

Teodoro Sampaio (1855-1937), grande estudioso do tupi, afirmava que, se o nome tivesse origem nesta língua indígena, poderia significar “homem que faz farinha”, “farinheiro”, pois “cui” é “farinha” e “abá” homem.

Finalmente, convém lembrar que o célebre cientista alemão Von Martius (1794-1868), que realizou uma grande expedição pelas selvas brasileiras, traduziu o termo como “fabricante de vasilhas”, decompondo-o em “cuia” (vasilha) e “abá” (criador), atribuindo-o a outro dialeto das tribos locais.

Cuiabá tem essa multiplicidade de origens de nome, você escolhe aquele que achar melhor. É uma mistura de portugueses, brancos, índios e negros”.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Nesta briga duas coisas se deslumbram: BRT de Mauro 24 meses, VLT de Emanuel 120 meses para ficarem prontos
Propaganda

Destaques

Vacina “Sputnik V” chegará em 12 Estados, incluindo MT, depois ao governo federal

Publicados

em

Com o objetivo de vistoriar a produção da vacina “Sputnik V”, inspetores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) se encontram na Rússia.

As avaliações serão separadas em duas cidades: Vladimir, localizada a 200 Km a leste de Moscou, e Ufa, situada a 1,3 km da capital Russa. Na primeira cidade, três inspetores avaliarão as empresas Generium, enquanto na segunda, duas inspetoras irão verificar as condições da produção da “Sputnik V” pela empresa UfaVita. A vacina “Sputnik V” é considerada a “melhor vacina do mundo”.

Já na mídia nacional, ela é celebrada como um sucesso de exportação. Mas será que a Sputnik V, além de toda a propaganda do Kremlin, é um meio eficaz e seguro contra o Coronavírus?

As inspeções iniciam nesta segunda-feira (19) até dia 23 de abril. O grupo volta ao Brasil dia 24. Mato Grosso solicitou o uso emergencial para que as doses sejam aplicadas.

Em entrevista ao Blog do Valdemir o governador Mauro Mendes Ferreira (DEM), avaliou que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que determinou que a reguladora decidisse sobre o pedido de importação excepcional, até o dia 28 de abril, fortalece a relação com o Fundo Soberano da Rússia, responsável pela venda a Estados do Nordeste e do Amazonas, em relação a liberação da vacina Sputnik V.

O Supremo com sua decisão dizendo que até dia 28 se a Anvisa não liberar, estará automaticamente liberado. A equipe da Anvisa já se encontra na Rússia e, com certeza será aprovada. Essa vacina, está amplamente divulgado na mídia, já tem 60 países que usando. As pesquisas mostram que ela tem um dos maiores índices de eficiência de todas as vacinas, então não teria porque, mas a gente acredita que o bom senso vai imperar e vai ser liberado. Compramos 1 milhão e duzentos mil doses do componente A e B, então é para 1 milhão e Rio mil pessoas, disse o governador Mauro Mendes para a equipe de reportagem do Blog do Valdemir.

Apesar do governador Democrata (DEM), Mauro Mendes ter comemorado a liminar do Supremo Tribunal Federal (STF), a chegada dos funcionários da Anvisa na Rússia, o chefe do Executivo Estadual, se mostra preocupado com a entrega das vacinas Coronavírus e a AstraZeneca.

Mês passado não foi cumprido aquilo que estava programado. O Butantan cumpriu o que estava programado, a Fiocruz não cumpriu, esse mês Butantan encerra o primeiro contrato que era de 46 milhões de doses, dai deve começar o outro contrato, mas era para o segundo semestre, então está no ar um cheiro de redução de chegada de vacinas pelo PNI, pontuou Mauro Mendes.

E esta preocupação, vem no momento em que vários governadores, suspeitam que a Anvisa está atrasando a autorização da vacina Sputnik para que o Governo Federal não passe um novo constrangimento de chegar ao país uma nova imunização pelas mãos dos governos estaduais e não pelo presidente. Mas o esforço vai ser em vão.

O laboratório já decidiu que, quando houver autorização, primeiro serão entregues as vacinas para os governadores e depois as contratadas por Bolsonaro.

Um pouco mais sobre “Sputnik V”

Entre todas as vacinas contra a Covid-19 já registradas no mundo, a Gam-Covid-Vac (nome oficial da Sputnik V) é a única desenvolvida com dois adenovírus inofensivos, nomeados de D-26 D-5, que não causam doença no ser humano e são aplicado um em cada o que pode ser considerado duas vacinas em uma.

A vacina que leva o nome do primeiro satélite espacial soviético lançado em 1957 atingiu uma taxa de 91,6% de eficácia contra a Covid-19 com “bom perfil de segurança” e “consistente em todas as faixas etárias dos participantes“, segundo estudo publicado na revista científica The Lancet, em fevereiro.

ASputnik V foi desenvolvida pelo Instituto Gamaleja de Epidemiologia e Microbiologia de Moscou e financiada pelo Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF).

A Gam-Covid-Vac Lyo é uma vacina vetorial, semelhante às vacinas da AstraZeneca e da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson. As vacinas de vetor viral são mais fáceis de manejar do que as vacinas de RNA, pois podem ser armazenadas em temperaturas de geladeira comum.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  STF decide que governadores não precisam de autorização das Assembleias para serem processado
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA