PRATO ELEITORAL PRINCIPAL EM 2022

Traidor tem ou não tem voto

Publicados

em

O trabalho do cantor Antônio Carlos Belchior, mais conhecido como Belchior é permeado de questionamento sobre o hoje e inspirado na construção do novo amanhã, o fez dizer que “você não sente e nem vê, mas eu não posso deixar de dizer, meu amigo que uma nova mudança em breve vai acontecer“.

O cantor Belchior insiste ainda em outra canção, “mas é você que ama o passado e que não vê que o novo sempre vem“.

Muitos acreditam no novo, mesmo sabendo que ainda nos prendemos no passado.

A política mato-grossense tem vivido uma ebulição nos últimos anos. As mudanças partidárias e as movimentações para a Eleição de 2022 mostram que, apesar da anunciada a nova política, tudo continua como “Dantes no quartel de Abrantes”.

Traidor tem ou não tem voto?

Leonel de Moura Brizola nos idos do ano 90, disse ao ex-governador Dante Martins de Oliveira que a política ama a traição, mas abomina o traidor, quando Dante de Oliveira se aproximou do ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso e já estava de malas prontas para trocar o Partido Democrático Trabalhista (PDT) pelo Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB).

Aqui troca-se de partidos, de opinião, ou rompem-se acordos com a mesma rapidez como o Palmeiras que perdeu quatro títulos em poucos meses. Aqui o interesse pessoal se sobrepõe ao do coletivo: farinha pouca, meu pirão primeiro.

Não se esqueçam o ensinamento de Nicolau Maquiavel escrito em 1514 “os fins justificam os meios é comumente utilizado no jogo político das traições.

A dor da traição, seja conjugal ou política é uma das mais doidas. Em Mato Grosso vários políticos carregam está “pecha”, estas marcas profundas.

Querem saber a resposta se traidor tem ou não tem votos?

Vamos lá: a traição política trará, certamente desconforto aos candidatos. O passado talvez seja um peso na hora de escolher em quem votar. Se não for, mas é sempre um transtorno.

A traição será o prato principal dos próximos eventos que norteara o transtorno e a fidelidade política é que estabelece uma tensão para o político.

Ela implica uma forma de lealdade ativa onde o político, assume o compromisso por vontade própria, mas também há um tom passivo de submissão que deve inspirar confiança no partido. Quer dizer, ser fiel a um partido político significa ser fiel aos seus costumes, suas ideias e atuar defendendo-os em sua prática política.

Traíra com muitas espinhas

Tratar as Traíras inteiras. De preferência abrir mão de muitos cargos, ou melhor, condimentos para que as Traíras fiquem saborosas e macias. O cozinheiro deve descamar as Traíras, e de preferência deixar as cabeças para que possa fiscalizar o desempenho delas nas urnas, ou melhor, nas panelas.

Deixe marinar por muito tempo, mas não espere para cozinhar no dia 3 de outubro, porque o prato pode azedar e você perder todo o investimento. Uma dica: tente amenizar o sabor azedo da Traíra com algo adocicado. Se não mudar o sabor é melhor deixar o peixe de lado e procurar algum outro tipo, como por exemplo, o Pintado ou a Cachara, que não tem espinhas e tem carne magra, ideal para quem faz dieta.

Mas se desejar continuar com a Traíra boa sorte, já que será o prato principal nas eleições do próximo ano.

Para finalizar: partidos e ideias nem sempre coincidem na mente do político. A fidelidade está na base da estrutura política como decorrente a confiança social.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Comissão de Saúde discute situação de hospitais regionais durante "Pandemia"
Propaganda

Destaques

“Várzea Grande passou a ter uma interlocução direta com a Presidência da República”

Publicados

em

Em encontro extra agenda oficial em Brasília, o prefeito da cidade de Várzea Grande, Kalil Sarat Baracat de Arruda (MDB), acompanhado pelo Senador do Partido Democrata (DEM), Jayme Verissimo de Campos, e pelo secretário de Estado, César Miranda Lima, foram recebidos pelo presidente da República, Jair Messias Bolsonaro e pelo ministro-chefe da Casa Civil, General Luiz Eduardo Ramos.

No encontro foi tratada a questão da vacinação contra a COVID-19 por causa da Copa América realizada na Capital de Mato Grosso, mas que tem acesso direto por Várzea Grande que é uma cidade vizinha e sede do Aeroporto Internacional Marechal Rondon.

Atendendo um pedido do Senador Jayme Campos, o presidente da República, Jair Bolsonaro, nos recebeu, demonstrando desprendimento e o mesmo tratamento que teve para com Cuiabá e a preocupação de realizar os jogos da Copa América, de forma segura para todos, jogadores, populares, enfim, para demonstrar que é possível fazer um evento com segurança e aonde a comemoração e o futebol sejam as principais estrelas junto com a população, disse o prefeito de Várzea Grande ao frisar que as doses extras de vacinas para Várzea Grande chegarão no mesmo dia que chegarão para Cuiabá.

O Senador do Partido Democrata, Jayme Campos sinalizou que o presidente Jair Bolsonaro demonstrou postura política de governante ao determinar ao ministro Marcelo Queiroga que desse o mesmo tratamento para Várzea Grande que foi oferecido para Cuiabá, já que não se tem como fazer distinção entre ambas as cidades e sua posição geográfica e importância para Mato Grosso e para o Brasil, sem contar que as seleções que jogarão no Estádio Governador José Fragelli, a Arena Pantanal irão treinar no Estádio Municipal Benedito Laurindo de Souza, popular “Dito Souza”, no bairro Cristo Rei em Várzea Grande.

O ministro da Saúde é um médico que conhece a realidade de Mato Grosso e de Várzea Grande e Cuiabá, por isso acredito ser possível atender ambos os pedidos e até mesmo ajudar na imunização do maior número de pessoas possíveis“.

Jayme Campos exaltou ainda a interlocução do ministro Luiz Eduardo Ramos que prontamente agendou uma audiência com o presidente da República, por entender que os pedidos efetivados eram de extrema importância para a população e para Mato Grosso, bem como suas duas principais cidades, Cuiabá e Várzea Grande.

O Democrata lembrou que não existe concorrência entre Cuiabá e Várzea Grande, apenas a demonstração de que o tratamento tem que ser igualitário para todos e disparou, queríamos que houvesse vacina para toda a população do Brasil para controlarmos em definitivo a pandemia da COVID-19, asseverou o Senador Democrata.

O prefeito várzea-grandensse, Kalil Baracat assinalou que a vacina é preponderante e fundamental, mas o mais importante foi criar uma interlocução direta com o presidente da República e com seu ministério para fazermos o enfrentamento das dificuldades que Várzea Grande tem em vários setores, principalmente de infraestrutura.

Temos muitos projetos que vamos apresentar a Presidência da República através do gabinete do senador Jayme Campos e dos demais deputados federais e senadores de Mato Grosso“, explicou Kalil Baracat.

INFRAESTRUTURA E AGRONEGÓCIO

Jayme Campos assinalou ainda que discutiu rapidamente com o presidente Jair Bolsonaro e com o ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, projetos estratégicos como a Ferronorte de Rondonópolis até Cuiabá e Várzea Grande; a Ferrogrão e a Ferrovia do Centro Oeste (FICO); as BRs 364/070/163, além da 158, 242 e 174 que se saírem do papel potencializarão 100 vezes a capacidade de produção de alimentos do agronegócio de Mato Grosso.

Efetivamente pontuei para o presidente Jair Bolsonaro que se essas obras se tornarem realidade, Mato Grosso será destaque Mundial e o Brasil vai por mais de duas décadas alimentar o mundo com sua produção sempre crescente, vertiginosa e o que é melhor respeitando as regras ambientais de preservação do meio ambiente aliado ao desenvolvimento com outras obras de infraestrutura seja de ferrovias, seja por rodovias ou por hidrovias, pois todos estes modais estão interligados e serão muito bem explorados pelo agronegócio, gerando emprego, renda e principalmente oportunidades“, disse Jayme Campos.

Ele frisou que o presidente Jair Bolsonaro demonstrou interesse nessas obras e principalmente em potencializar Mato Grosso e o Brasil através do agronegócio.

Ele demonstrou mais do que interesse e vontade de sentar e novamente discutir estes projetos estratégicos para o Brasil, completou.

O secretário de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso, César Miranda lembrou o desprendimento do presidente Jair Bolsonaro, do Senador Jayme Campos e do prefeito Kalil Baracat, todos imbuídos de boas intenções em prol do Estado, de Várzea Grande e de sua gente.

Assim é que se constrói pontes de relacionamento político, com resultados para todos e não apenas para poucos, disparou.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Várzea Grande e Goiânia registram aumento de ICMS em 2019
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA