Destaques

Chega de especulação, Pivetta precisa de suplente com viabilidade eleitoral

Publicados

em

Como já é evidente, a campanha para o Senado Federal em Mato Grosso, na vaga de Selma Rosane Santos Arruda do Podemos, será uma das mais disputadas da história, podendo superar a de 2002. Tanto que os pré-candidatos estão se movimentando e muito por sinal para conseguir seus suplentes, que o ajudarão nas urnas.

Com devidas ponderações sobre as pretensões dos suplentes na chapa encabeçada pelo vice-governador Otaviano Olavo Pivetta (PDT), o mesmo que precisa neste pleito do dia 26 de abril é de votos.

A participação deles na majoritária não depende apenas de vontade. Ninguém entra na majoritária porque quer. Entra por densidade eleitoral.

Se tiver densidade, ele não vai ser convidado. Vai ser arrancado de casa.

As mudanças introduzidas pela recente reforma político-eleitoral, a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de proibir o financiamento empresarial de campanhas, as ações da Operação Lava Jato sobre o mundo político e o provável recorde de “não voto” (abstenção, branco e nulo) tendem a não alterar muito o quadro atual.

Dono de uma personalidade forte, polêmico e sem “papas na língua”, sendo algumas características atribuídas do vice-governador Otaviano Olavo Pivetta, do Partido Democrático Trabalhista (PDT), que já anunciou sua pré-candidatura a Senado da Republica.

E apesar de ter origem política no Norte do Estado, entende a importância da baixada cuiabana para a eleição, já que a região concentra grande número de eleitores.

O Diretório do PDT de Mato Grosso também já fez uma convocação para uma Convenção Estadual para definir a aprovação da candidatura própria para Senador, na Eleição Suplementar que está agendada para ocorrer dia 26 de abril.

A Convenção Estadual do PDT será realizada no próximo dia 10 a partir das 18h no Hotel Fazenda Mato Grosso.

Nos bastidores palacianos, surge um nome que algum tempo vem sendo apontado como nome para integrar a posição de vice na chapa dos postulantes a Prefeitura de Cuiabá: José Roberto Stopa do Partido Verde (PV).

Conhecido como “tocador de obras”, a cada dia que passa, o seu nome ganha força para a primeira suplência ao Senado, na chapa de Otaviano.

Nesta terça-feira (3), nos corredores do Palácio Paiaguas, como sempre de plantão, a nossa equipe de reportagem, com direito a uma pergunta, questionou o pré-candidato ao Senado pelo PDT, Otaviano Pivetta, sobre nome de Roberto Stopa para a suplência.

Um ótimo nome, realiza um grande trabalho em Cuiabá”, pontuou Pivetta, que questionado, escapou a segunda pergunta se seria primeira ou segunda suplência, o vice disse: “Ainda não conversamos, espero reunir o mais breve possível para convidá-lo“, deixando no vácuo.

Entretanto, como candidato ao Senado pela primeira vez, depois de duas décadas de carreira política, Otaviano quer um nome da baixada cuiabana.

José Roberto Stopa carrega bom conceito em gestão e bem articulado politicamente. Atual presidente do Diretório Regional do Partido Verde (PV) foi secretário na administração Mauro Mendes na Prefeitura de Cuiabá, no período de 2013 a 2016, o que pode garantir a Otaviano Pivetta o apoio da administração municipal e estadual, pois é do conhecimento de todos que Stopa, tem a simpatia e o respeito dos dois gestores.

Tem mais: o nome de Stopa pode abrir uma interessante alternativa, em um “xadrez político”, que promete mais adiante se tornar em verdadeira queda de braço, deixando muitos com saia justa, já que Mendes tem uma queda para apoiar Favaro.

Quer mais? Ainda conta a favor de Stopa, que o PV conta com 4 vereadores na Câmara Municipal de Cuiabá: Felipe Wellaton, Justino Malheiros Neto, Mário Antônio Moyses Nadaf e Marcos Aurélio Veloso e Silva e dois deputados estaduais, Luís Amilton Gimenez, o Dr. Gimenez, e Faissal Jorge Calil Filho.

Sem falar do relacionamento que Stopa tem com lideranças comunitárias da capital, já que está no cargo a 7 anos e tem uma presença permanente nos bairros, ajudando a solucionar demandas da população.

O Partido Democrático Trabalhista (PDT) de Mato Grosso atualmente conta com 6 prefeitos nas administrações no Estado; Nova Mutum, Adriano Pivetta; Diamantino, Eduardo Capistrano; Rubens Roberto Rosa, Nova Canaã do Norte; Nelson Paim, Poxoréu; Daniel do Lago, Porto Alegre do Norte e Euclésio Ferretto, Santa Terezinha.

Nota da redação

Atenção candidatos a suplentes: comprem uma balança eleitoral para se pesar em casa e, assim analisar as reais condições para ser o escolhido.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Leonardo infringe “Lei Maria da Penha” por agredir mulher e sai sem punição

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Destaques

Nas últimas semanas o clima entre Mauro e Emanuel tem sido tenso

Publicados

em

Após uma semana de provocações entre os lideres estadual, Mauro Mendes Ferreira do Partido Democrata (DEM), municipal, Emanuel Pinheiro (MDB), e o secretario de Estado de Saúde de Mato grosso, Gilberto Figueiredo, foi marcado pela tensão.

O relacionamento político entre o governador Mauro Mendes e o Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, que não era bom, parece que pode piorar ainda mais depois que o Governo do Estado protocolou uma denúncia contra a Prefeitura de Cuiabá na Procuradoria-Geral da República (PGR).

A despeito da vultosa quantia, não se tem notado qualquer esforço da Administração Municipal no sentido de municiar os estabelecimento e profissionais de saúde com estrutura e materiais adequados para o enfrentamento da pandemia. Pelo contrário, a percepção generalizada dos médicos, enfermeiros e população em geral é no sentido de que as unidades de saúde carecem de itens fundamentais de proteção, o que inviabiliza o tratamento e, em certa medida, até colabora para a propagação de vírus”.

Este foi o trecho da petição do Governo do Estado contra a Prefeitura de Cuiabá dizendo que não houve transparência sobre o uso do recurso emergencial de R$ 41,4 milhões do Governo Federal para combater a Pandemia da Covid-19, enviado pelo Ministério da Saúde (MS) dia 25 de maio, no entanto, a Prefeitura de Cuiabá não criou novos leitos e ainda excluiu 40 vagas que haviam sido anunciadas, e com isso, o Estado acabou protocolando uma denúncia contra a prefeitura na Procuradoria-Geral da República (PGR).

Na denúncia do Governo contra a Prefeitura na Procuradoria-Geral da República, foram apresentadas algumas irregularidades como: habilitação de leitos junto ao Ministério da Saúde sem comprovação de que estão equipados; atrasos no pagamento dos profissionais da Saúde, falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e insumos básicos.

Segundo a denúncia do Governo de Mato Grosso, a Prefeitura de Cuiabá habilitou junto ao Ministério da Saúde a disponibilidade de vários leitos para os pacientes com Covid-19, que não estavam disponíveis. O motivo seria usar esse recurso extra para custear os pacientes que já estavam na fila de espera por causa de outras doenças.

Na denúncia consta ainda que:

Ora, se apenas o antigo Pronto Socorro está recebendo pacientes infectados, qual a razão para habilitar outras unidades com leitos exclusivos e, consequentemente, mais custosos à União? Se a própria administração municipal definiu o antigo Pronto Socorro como hospital de referência, é possível que os leitos existentes nas demais unidades de saúde estejam sendo usadas para o tratamento de outras comorbidades, mas remuneradas como se “COVID-19” fossem?“.

Em resposta, Emanuel Pinheiro garantiu que irá provar que a Prefeitura de Cuiabá investe com transparência e responsabilidade todo o recurso público que recebe.

Especialmente nesse momento da “Covid-19” temos um zelo especial e todo cuidado todo especial com os recursos que vem para a prefeitura municipal de Cuiabá e toda a equipe sabe disso“.

Nesta sexta-feira (29), em transmissão ao vivo, o Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), negou conforme acusado pelo Governo do Estado de Mato Grosso, o fechamento de 40 Unidades de Terapia Intensiva (UTI) destinadas a pacientes da Covid-19.

Em respostas a Mauro Mendes Ferreira, Emanuel Pinheiro e muito irritado com as declarações, afirmou que o governador é um empresário “frio, calculista, leviano e irresponsável” por usar a “Pandemia” para fins políticos.

Como vou fechar o que não abri?”.

Em sua declaração, Emanuel Pinheiro disse que Mauro Mendes não se sensibiliza com a situação que a população vem passando com as mortes pela Covid-19 registradas ate o momento, e nem com aqueles que estão de portas fechadas colocando seus funcionários na rua, e que vai entrar na Justiça contra ele (Mendes) por contravenção penal e crime contra a Segurança Nacional por gerar “pânico” na sociedade.

O senhor está gerando pânico, gerando alarme entre a população nesse momento. Se não está mentindo, vai responder ao rigor da lei e provar o que disse”.

Irritado, Emanuel Pinheiro fez duras criticas e disse que não esta preocupado com a eleição nesse momento e que o foco é o combate a “Pandemia”, mas que é diferente de Mauro Mendes que governa para poucos e com isso esta criando um cenário favorável para seus candidatos.

O senhor governa para amigos. É empresário frio, calculista, insensível e leviano. (…) Achei que seu coração de pai iria se tocar com a situação, mas só se preocupa em viabilizar eleição”.

Ainda revoltado e irritado, Emanuel Pinheiro anunciou que também vai entrar na Justiça contra o Governo de Mato Grosso para cobrar uma dívida de R$ 60 milhões que o Estado tem com a Saúde do município de Cuiabá.

Esse dinheiro pertence à população cuiabana, pertence à população que estão sendo atendidas pelo SUS. E esse dinheiro o senhor tem que pagar. Então nem que seja na marra, por decisão judicial. Porque eu sei que o senhor é insensível, debocha do sofrimento dos outros, debocha da dor dos mais humildes, dos mais carentes e eu não. Eu não debocho. Me associo e me uno à população, principalmente os mais pobres“.

Em tom bastante duro contra Mauro Mendes, e para mostrar que tem equilíbrio, serenidade e bom senso, Emanuel Pinheiro deu entender que o governador Democrata (DEM) não possui esses adjetivos, e segundo Pinheiro, a Prefeitura de Cuiabá tentou uma conciliação com o Governo do Estado no primeiro momento, e a equipe do governador pediu prazo até 12 de março para regularizar a dívida. O que acabou segundo o prefeito cuiabano não acontecendo.

A equipe do governo não fizeram nenhum questionamento em nenhum momento a dívida, só pediram prazo para a gente sentar perante o Tribunal de Justiça para compor a dívida. E, no entanto, eles empurraram, protelaram, aí veio a pandemia uma semana após e até hoje não conseguimos sentar novamente“.

A Prefeitura de Cuiabá afirma que a secretaria Estadual de Saúde, através do secretário Gilberto Figueiredo, reconhece que existe uma divida entre o governo e prefeitura, mas questiona o valor.

Ele fala que não é R$ 60 milhões, ele fala que é R$ 38 milhões. Aí eu falei: “então tá bom, paga os R$ 38 milhões e vamos discutir os R$ 60 milhões, não quero um centavo que não seja devido a Cuiabá”. Ele ouviu, limitou-se a dizer que deve R$ 38 milhões. Agora o senhor, mais um vez vem a público contradizer seu secretário dizendo que não deve nada“.

O Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro disse que atendendo uma recomendação do Ministério Público Estadual (MPE), criou junto à Controladoria Interna um grupo técnico para revisar todos os recursos destinados à “Covid-19”.

Eu não só criei o grupo, como também criei dentro do Portal Transparência uma plataforma, um link exclusivo de prestação de contas para a “Covid-19“.

Ao ser questionado sobre uma fala de Gilberto Figueiredo, quando disse que ele (Pinheiro) tinha uma postura de “irresponsável”, Emanuel classificou Gilberto como um homem sem dignidade.

Se ele tivesse dignidade, ele teria entregado o cargo, mas não tem. Está no “Poder pelo Poder”. É mais um candidato anunciado à Prefeitura de Cuiabá. Precisa inventar fatos inexistentes, mentirosos, para poder se aparecer perante a sociedade e conseguir ter um destaque para colocar seu nome à candidatura à prefeitura. Quer ser candidato, secretário? Seja. Apresente propostas e ideias. Tenha postura de homem, de firmeza, de dignidade. Pare de atacar por atacar“, atacou.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Sem medidas restritivas, avanço do “Coronavírus” continua em MT
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA