DUAS VELAS ACESAS

Apoio de Mauro e a sigla União Brasil para o Senado vai além de pesquisa

Publicados

em

Você acredita que as pesquisas definirão o candidato do governador Mauro Mendes, para o Senado em Mato Grosso? Se você não acredita, espere e verás.

Se você, por outro lado, acredita já sabe: O Homem de Ferro, Mauro Mendes Ferreira (UB) estará apoiando quem estiver em primeiro lugar, entre o Senador do Partido Liberal (PL), Wellton Antônio Fagundes, e o parlamentar federal, Neri Geller do Partido Progressista (PP).

Nesse cenário vamos lá: oHomem de Ferro, o governador Mauro Mendes, disse que aquele que estiver pontuando melhor nas pesquisas de intenção de voto sairá com o apoio do Palácio Paiaguas e do Partido União Brasil (UB).

Percebe-se que o arranjo para a chapa majoritária em Mato Grosso, depende do acordo entre Mauro Mendes e a sigla União Brasil. A dobradinha (Mauro e Pivetta), ainda não está fechada, mas está em andamento.

Deixarmos Pivetta descansar e vamos focar em Wellton e Neri. Fiquem os senhores sabendo que não será só a pontuação da pesquisa que definirá o candidato que terá apoio do governador Mauro Mendes e automaticamente do União Brasil (UB).

Wellton Fagundes e Neri Geller, precisam evitar ataques entre si para não favorecer em um “pesadelo” de uma disputa entre o governador e o candidato do prefeito cuiabano, o emedebista Nenel Pinheiro.

A opinião é do meu amigo de Vadjú, ele diz que a definição sobre candidatura única do governador Mauro Mendes deve ficar em julho, dia 31 na convenção do partido é que, em sua opinião, a escolha vai exigir paciência e resiliência. Isso é devido a possibilidade de ambos estarem no mesmo palanque de Mauro Mendes, deixando claro que está “possibilidade”, ainda não foi colocado na conversa.

Leia Também:  Eleições 2020 terão o maior número de militares dos últimos 16 anos

Meu amigo de Vadjú disse que, esse assunto só passará a ser cristalizado em junho e, provavelmente, vai invadir julho também.

Qualquer decisão ou tentativa de precipitar uma decisão será fracassada. Entretanto, não impede que o diálogo seja fortalecido. Segundo o meu amigo de Vadjú, Wellton e Neri não devem se atacarem, tem que se protegerem, porque tem pré-candidatos com grandes possibilidades de surpreender.

No boteco da Alameda a conversa é que os dois se agredindo, vão se auto destruírem. A “turma” da Alameda, afirmou que, se a definição de pesquisa e popularidade fossem suficientes, talvez seria escolhido alguém completamente fora da política, do mundo do Agronegócio, ou do mundo do Judiciário. Mas essa pessoa teria condições de fazer o enfrentamento em uma campanha contra os caciques da política mato-grossense?

O exemplo de 2020 serve de referência e vai refrescar a memória, porque é muito próximo e foi um desastre. E o desastre foi um segundo turno em que tinha contra o menino da Rua Joaquim Murtinho, Nenel Pinheiro e, contra os ”nenelzitos” um único personagem despreparado.

Júlio diz que impasse a Senado continuará

Uma das lideranças mais influentes da política mato-grossense, Júlio José de Campos, confirmou o que o Blog do Valdemir já havia antecipado, no qual a definição para a escolha do nome para o Senado será em julho, nas convenções partidárias.

Esse imbróglio só será definido a partir de junho e julho, quando concretiza o processo de aliança e coligação, disse Júlio Campos em entrevista a TV Vila Real.

Para o ex-governador Júlio Campos, a eleição para o Senado deve ser mais concorrida que a disputa a de Governo. Isso porque, segundo Júlio não há nenhum nome posto além de Mauro Mendes.

E pelos rumos dos acontecimentos, temos colocados vários nomes pretendendo ser Senador. Aliás, a eleição do Senado está muito mais disputada e ambiciosa que a de governador. Governador até agora só surgiu um nome, que é do próprio Mauro Mendes“, disse Júlio Campos.

Uma vela para Mauro outra para Nenel

O progressista Neri Geller nesta segunda-feira (11), em visita a obra da Praça Santos Dumont, elogiou tanto a administração do prefeito cuiabano, Nenel Pinheiro (MDB), que no boteco da Alameda, estão dizendo que Mauro Mendes não está gostando desse joguinho que o deputado federal do Partido Progressista (PP), Neri Geller vive praticando, e isso pode atrapalhar as relações com Mauro Mendes.

Perguntaram se Neri não sabe que Nenel e Mauro são inimigos políticos? O eleitor está atento as movimentações. Depois não venha com mi-mi-mis.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Domingos Fraga assina acordo para devolver R$ 150 mil

Publicados

em

A delação premiada que os deputados estaduais mato-grossenses recebiam um “mensalinho” para não denunciar fraudes e desvios do governo e na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL/MT) foi confirmada pelo ex-governador de Mato Grosso, Silval da Cunha Barbosa (PMDB). Silval fez um acordo de delação premiada, que já foi homologado pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Silval Barbosa declarou em depoimento à Procuradoria-Geral da República (PGR), que os pagamentos funcionavam como um “cala boca” da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (AL/MT) para que os deputados não denunciassem as fraudes na Casa de Leis e no governo.

Silval afirmou na época da delação premiada, que, desde que adentrou na Assembleia Legislativa, no ano de 1999, até o dia que deixou o mandato, sempre existiu o “mensalinho” que era pago pela Mesa Diretora aos deputados estaduais, sendo considerado uma praxe do “sistema“”.

Outro a dar depoimento e fazer acordo com a Justiça, foi o ex-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, José Geraldo Riva, que confessou que recebia um “mensalinho” do Governo do Estado. A propina, segundo ele, também foi recebida por outros 33 deputados para que votassem os projetos de interesse do Executivo Estadual.

Leia Também:  "Precisamos correr atrás desses empenhos e pagar essas emendas porque são importantes para os municípios que estão esperando os investimentos"

O ex-parlamentar declarou que os seguintes parlamentares e ex-parlamentares receberam propina: Silval Barbosa, Sérgio Ricardo, Mauro Savi, Carlão Nascimento, Dilceu Dal Bosco, Alencar Soares, Pedro Satélite, Renê Barbour, Campos Neto, Zeca D’Ávila, Nataniel de Jesus, Humberto Bosaipo, Carlos Brito, João Malheiros, Eliene Lima, José Carlos de Freitas, Sebastião Rezende, Gilmar Fabris, Zé Domingos, Wallace Guimarães, Percival Muniz, Wagner Ramos, Adalto de Freitas, Juarez Costa, Walter Rabello, Nilson Santos, Chica Nunes, Airton Português, Maksuês Leite, Guilherme Maluf, Ademir Brunetto, Chico Galindo e Antônio Brito, além dele.

Acordo com a Justiça

Outro ex-parlamentar estadual a assinar um acordo com a Justiça para o pagamento de R$ 150 mil em ressarcimento à propina recebida durante seu mandato na Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (AL/MT), foi o ex-deputado estadual José Domingos Fraga. O acordo foi homologado no início do mês pelo juiz da 5ª Vara Federal, Jefferson Schneider, e inclui a confissão de José Domingos em ter participado do esquema que ficou conhecido como “mensalinho”.

A quantia a ser paga pelo ex-deputado está dividida em R$ 100 mil em multa e R$ 50 mil por reparação de danos. O montante poderá ser parcelado em 12 vezes. A pena também exige o cumprimento de serviços comunitários por dois anos a qualquer entidade pública.

Leia Também:  Cliente pode escolher data de vencimento da conta no site da Águas Cuiabá

José Domingos Fraga, hoje assessor técnico da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, foi um dos parlamentares flagrados em vídeo recebendo dinheiro do chefe de gabinete do então governador Silval Barbosa. – (Com O Livre)

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA