ARTIGO

Francisney Liberato: – Fenomenal

Publicados

em

 

                                     Fenomenal

Autor: Francisney Liberato

Quando o Salvador te encontra, nada mais fica igual!

Se olharmos para o nosso histórico de vida, iremos perceber quantos encontros e desencontros já tivemos. Alguns deles foram marcantes a ponto de mudarem a nossa história, já outros, apesar da lembrança, no fundo, desejaríamos esquecer.

Um encontro bíblico muito conhecido e que revolucionou a vida de uma mulher foi o encontro entre Jesus e uma mulher.

A mulher que fora pega em adultério, havia sido levada a Jesus e jogada ao chão por alguns líderes e fariseus que, enfurecidos, com pedras em suas mãos, ansiavam o momento certo para apedrejá-la até a morte.

Será que você é igual aos mestres da lei e fariseus, que imbuídos da ausência de empatia e total desprezo à condição humana, aprecia apontar os erros para as pessoas? Será que existe harmonia entre o seu ímpeto em apontar os deslizes alheios e a autorreflexão que você deveria fazer sobre as suas falhas?

O Mestre que viveu imaculado de pecado, dotado de todo direito de sentenciar a vida daquela pecadora, em atitude benevolente, começa a escrever na areia do mesmo chão que dividia o corpo da jovem aos pedaços: físico, mental, emocional e espiritual; os pecados cometidos por aqueles homens irados e soberbos de razões.

A pergunta central, capaz de ensinar até hoje as gerações, está relatada no Livro de João, capítulo 8, que diz:

Quem de vocês estiver sem pecado, que seja o primeiro a atirar uma pedra nesta mulher!”.

E os homens, ao perceberem que o imaculado Jesus Cristo proferiu essas palavras, e vendo os seus pecados revelados ali, eles então tiveram um encontro consigo mesmos, ao perceberem quão miseráveis eram suas condições, enquanto pecadores e, naquele instante também, como julgadores.

Todos os homens, envergonhados, foram embora. Viver em pecado é a certeza de viver uma vida sem plenitude.

Jesus olha dentro dos olhos daquela mulher e diz que não havia mais ninguém para condená-la. Que a partir daquele momento ela poderia criar uma nova história, um novo rumo, um novo começo.

A música “Fenomenal” do Ministério Amiel descreve essa cena:

Pedras nas mãos; olhares de acusação; um corpo estendido no chão; dedos mostram erros; de um pecado atroz; poderia ser qualquer um de nós; O pecado é assim; destrói a ligação; mas Cristo sempre vem religar; ele pega em suas mãos e diz: vai e não peques mais”.

Quantos encontros nós já tivemos nesta vida? Quantas situações embaraçadas nos envolveram? Quantas vezes estamos com “pedras em nossas mãos” para destruir a vida de outra pessoa, com comentários maldosos? O quão pecador somos, e nos escondemos atrás de nossas máscaras para apresentar uma reputação perfeita, porém, a imagem real é podre e cheira mal.

Aqui estamos vendo o encontro de uma mulher com o Mestre, apesar disso, poderia ser o encontro de qualquer um de nós. Somos indivíduos que até tentamos fazer o que é bom, contudo, infelizmente, acabamos por fazer aquilo que é errado. Perdemos a ligação e a conexão com o nosso Criador.

Mas o amor de Deus nos dá diversas oportunidades para seguir no caminho sensato. A bela canção ainda descreve:

O amor de Deus é assim; restaura; nos dá um novo coração; ele pega em suas mãos e diz: vai não peques mais”.

Como é bom saber que no encontro com Deus dificilmente seremos a mesma pessoa. Podemos ter uma vida transformada e restaurada, assim como foi a dessa mulher, por mais pecadores que sejamos.

O encontro com o Mestre é fenomenal, pois Ele muda o nosso ser, Ele reescreve a nossa vida, Ele transforma o nosso coração, Ele muda os nossos pensamentos e Ele muda o nosso jeito de ser e de viver.

A mensagem central dessa reflexão é reafirmada pela música do Ministério Amiel:

Quando o Salvador te encontra, nada mais fica igual; quando o Salvador te encontra; não dá para entender o que ele faz por você; é fenomenal”.

Tenho certeza que o nosso encontro com o Criador será inesquecível e prodigioso. Você deseja, hoje, ter essa transformação fenomenal?

Assista o clipe da música: Clique aqui.

Francisney Liberato Batista Siqueira é Auditor Público Externo do Tribunal de Contas de Mato Grosso e Chefe de gabinete de Conselheiro do TCE-MT. Palestrante Nacional, Professor, Coach e Mentor. Bacharel em Administração, Bacharel em Ciências Contábeis (CRC-MT) e Bacharel em Direito (OAB-MT). Autor dos Livros: “Mude sua vida em 50 dias”, “Como falar em público com eficiência”, “A arte de ser feliz” e “Singularidade”.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Dra. Elisabete Oliveira Bottolo: - Entenda como o Direito Público é impactado pela pandemia de COVID-19
Propaganda

Artigos

Dra. Elisabete Oliveira Bottolo: – Entenda como o Direito Público é impactado pela pandemia de COVID-19

Publicados

em

 

Entenda como o Direito Público é impactado pela pandemia de COVID-19

Autora: Dra. Elisabete Oliveira Bottolo

O setor público foi fortemente impactado pelo novo coronavírus. Em razão da pandemia COVID-19 houve a diminuição de atendimentos presenciais, motivada pela necessidade do distanciamento social. A situação somente aumentou a morosidade dos procedimentos administrativos dentro dos órgãos públicos. Se antes da atual crise instalada já existia uma demora exacerbada nas análises dos pedidos administrativos dos servidores públicos, tal tempo se acentuou.

É de conhecimento geral que os pedidos do cidadão comum à administração pública são demasiadamente demorados e burocráticos. Tal situação não difere na relação funcionário e empregador, quando o contratante é um ente público. Vale dizer que a omissão à resposta administrativa no prazo legal é um motivo frequente para interposição de Mandados de Segurança por Omissão. O ato legal ocorre contra o agente público que deixa de promover alguma ação que tem obrigação legal.

Também é possível verificar, em razão da mora administrativa, ações indenizatórias. A demora em concessão de direitos que ocasionam prejuízos de ordem financeira ou, até mesmo, danos morais são alguns exemplos. É possível encaixar situações em que há atraso na concessão da aposentadoria, no apostilamento do direito aos adicionais de tempo de serviço ou mesmo a negativa administrativa em conceder a Licença Premio não usufruída ao aposentado ou exonerado.

Justiça x Setor Público

Se de um lado há a discussão sobre o tempo que o setor público leva para resolução de problemas, seja para o cidadão comum ou para os trabalhadores, por outro a advocacia e o Poder Judiciário não pararam desde que o contágio do novo coronavírus iniciou no Brasil. Embora respeitem o distanciamento social e tenham aderido ao trabalho de forma remota, a justiça e seus componentes têm estado ativos ao balancear direitos e deveres.

Desde os primeiros efeitos da crise gerada pela COVID-19, a necessidade de promover demandas judiciais se tornou ainda mais frequente. Porém, é notável que algumas questões poderiam ser até mesmo evitadas se houvesse uma gestão administrativa pública que funcionasse, sem burocratizar cada vez mais o sistema.

O Direito Público é nossa ferramenta para que possamos argumentar e buscar soluções por medidas judiciais ou administrativas. Seja no período de pandemia ou fora dele, é por meio desse campo do direito em que se discute as relações jurídicas em que a Administração Pública venha causar prejuízos aos servidores e demais cidadãos.

Dra. Elisabete Oliveira Bottolo faz parte da equipe técnica do escritório Aparecido Inácio e Pereira Advogados Associados. A profissional é bacharela em Direito pela Universidade Cruzeiro do Sul, desde 2005, especialista em Direito do Constitucional e Administrativo pela Escola Paulista de Direito, desde 2009, e inscrita na Ordem dos Advogados do Brasil sob o nº 249.895.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  JUACY DA SILVA: - DIA DA ÁRVORE, DESMATAMENTO E QUEIMADAS
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA