Política

Vaga para o Senado no PT: Enelinda surpreende e apresenta chapa

Publicados

em

Se fosse em uma partida de futebol, com Estádio lotado, e com seus torcedores já cantando o hino da vitória, poderíamos dizer que o gol aconteceu aos 45 minutos do termino da partida.

Foi isso que aconteceu nesta sexta-feira (28), na sede do Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) do Estado de Mato Grosso.

Muitos já estavam acreditando e chegaram ate mesmo de fazer alguns anúncios de que o parlamentar estadual e também Presidente Regional do Partido dos Trabalhadores (PT), Valdir Mendes Barranco seria mesmo o representante da sigla para esta eleição suplementar no dia 26 de abril para ocupar a vaga que será deixada pela Senadora do Podemos, Selma Rosane Santos Arruda.

A maioria de seus filiados já dava como certa uma candidatura única do deputado estadual, mas já no apagar das luzes, quase no apito final do juiz da partida no prazo limite para que fosse registrada da inscrição, a ex-vereadora de Cuiabá, Enelinda Escala surpreendeu a maioria de seus filiados e apresentou sua chapa para uma disputa interna no Partido dos Trabalhadores.

Com isso, o Partido dos Trabalhadores (PT) concluiu nesta sexta-feira (28), o processo de inscrição dos filiados interessados em disputar a vaga de Senador da República.

Os dois nomes serão avaliados pela Comissão Executiva Estadual que definirá o representante do partido no dia 8 de março.

Fica a expectativa de que o deputado estadual Valdir Mendes Barranco seja o escolhido dentro do PT, já que tem apoio da maioria de seus membros, já que o parlamentar estadual Valdir Barranco apresentou uma lista com 1.013 assinaturas de apoio à sua candidatura contra 443 de sua concorrente Enelinda Escala que obteve o mínimo de apoiadores exigidos pelo Partido dos Trabalhadores.

O parlamentar estadual do Partidos dos Trabalhadores, Valdir Barranco já diz contar com apoio da deputada federal Professora Rosa Neide, do ex-deputado federal Carlos Abicalil, do presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e suplente de deputado estadual Henrique Lopes, do prefeito de Juina, Altir Peruzzo e de vários vereadores do PT, todos integrantes do grupo político Construindo um Novo Brasil (CNB) que hoje possui quase 70% do poder de decisão dentro do PT em Mato Grosso. Enelinda Scala faz parte do grupo Militância Socialista.

A CNB sempre foi a maior força dentro do nosso partido, mas vou trabalhar para que as demais forças estejam conosco e o PT unido. Se a escolhida for a professora Enelinda estaremos juntos como sempre estivemos. Agora é hora de sentar e discutir políticas para Mato Grosso, disse Barranco.

A eleição suplementar para o Senado da Republica está marcada para acontecer no dia 26 de abril e os partidos devem oficializar as candidaturas em convenções até 10 de março.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Eleições municipais de 2020; Botelho não descarta disputar Prefeitura

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Política

“CPI do Paletó”; Relatório pede afastamento e cassação do prefeito Emanuel Pinheiro

Publicados

em

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro por quebra de decoro e obstrução de justiça, aprovou um relatório paralelo ao oficial em que pede o afastamento do prefeito do cargo durante o prazo de 180 dias, bem como a abertura de comissão processante contra Pinheiro, que pode culminar na cassação de seu mandato.

O relatório foi apresentado durante a última reunião da CPI do Paletó nesta sexta-feira (10), pelo vereador Sargento Joelson (SD) e teve o voto favorável do vereador Marcelo Bussiki (DEM), presidente da CPI. O vereador Toninho de Souza (PSD), relator da comissão, apresentou um relatório também, mas foi voto vencido.

Em seu documento, Toninho apontou ser “impossível” responsabilizar o prefeito Emanuel Pinheiro, pois o vídeo em que Emanuel aparece recebendo maços de dinheiro e os colocando no paletó ocorreu na época em que ele era deputado estadual e não no cargo de prefeito. O dinheiro, segundo oitiva do governador Silval Barbosa, e de seu ex-chefe de gabinete, Sílvio Corrêa à CPI do Paletó, era fruto de propina e foi pago para Emanuel para que ele apoiasse os projetos do Executivo.

Diante do exposto e considerando que os supostos crimes elencados no ponto nº 2 na presente CPI, qual seja o suposto recebimento de valores ilícitos durante o exercício do mandato de deputado estadual, o senhor prefeito Emanuel Pinheiro, não tendo os supostos fatos ligação com o mandato atual e tendo sido cometidos em relação as funções do cargo de prefeito, entendo que não é possível o julgamento desses fatos por essa CPI por limitação de competência impondo óbice constitucional, disse Toninho.

No entanto, o vereador Sargento Joelson discordou e elaborou um relatório paralelo, em que apontou que o vídeo, independentemente do período em que foi gravado, comprova que Emanuel Pinheiro agiu com conduta incompatível com a dignidade e o decoro do cargo que ocupa.

Segundo ele, Emanuel inclusive cometeu infrações éticas, já que tal vídeo atinge a credibilidade e a respeitabilidade da Prefeitura de Cuiabá perante a sociedade e demais instituições.

Além disso, o relatório apontou que Emanuel atuou para dificultar os trabalhos da CPI do Paletó. Por essa razão, Joelson pediu pela abertura de processo político-administrativo e o afastamento de Emanuel Pinheiro durante o período em que o processo ocorrer.

Com respaldo no que estabelece na Constituição do Estado de Mato Grosso e considerando os diversos embaraços criados pelo prefeito Emanuel Pinheiro, em parceria com o senhor Allan Zanata, para dificultar a colheita de provas e até mesmo para anular as poucas existentes, voto pela suspensão liminar do exercício do mandato do prefeito municipal de Cuiabá pelo prazo de até 180 dias, ou até a conclusão do processo, disse Joelson.

Já o vereador Marcelo Bussiki votou acompanhando o relatório de Joelson, pedindo ainda a inclusão do crime de improbidade administrativa no rol de acusações, já que Emanuel Pinheiro se enriqueceu ilicitamente e causou prejuízo ao erário ao ter recebido dinheiro fruto de propina. Além disso, apontou que Pinheiro fez parte de uma organização criminosa, já que estava junto ao grupo de deputados que, agindo de forma associada, obtiveram vantagens indevidas e cometeram crimes graves, que foram flagrados no vídeo.

Em razão de todo o exposto, bem como das robustas e evidentes provas produzidas no decorrer de todo o transcurso dessa Comissão Parlamentar de Inquérito, acompanho o relatório produzido pelo membro dessa Comissão Vereador Sargento Joelson, no sentido de que o acusado cometeu os delitos de obstrução de justiça, bem como quebra de decoro do cargo, por receber dinheiro oriundo de propina, concussão, organização criminosa e ato de improbidade administrativa. Consequentemente, voto pela abertura de uma comissão processante em desfavor do acusado e que seja o mesmo condenado à cassação do cargo que ocupa, de Prefeito de Cuiabá“, disse Bussiki.

Além da abertura de comissão processante e do afastamento, o relatório apontou ainda a necessidade de que todo o trabalho apurado ao longo da CPI seja encaminhado ao Ministério Público Federal, à Polícia Federal, ao Ministério Público Estadual e à Delegacia Fazendária, para as providências que o caso requer.

Com a aprovação do relatório na comissão, o documento será encaminhado ao presidente da Câmara de Cuiabá, vereador Misael Galvão, que deve colocar à votação dos demais parlamentares, em sessão plenária.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Governo do Estado compra lotes de “kit-covid” para distribuir aos 141 municípios
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA