FUSÃO PSL E DEM INCOMODA MUITA GENTE

PSL quer crescer o DEM parar de encolher

Publicados

em

Um elefante incomoda muita gente, dois elefantes incomodam muito mais…, mas será que os elefantes nunca se sentem incomodados. A conhecida cantiga cumulativa sofre uma inesperada subversão ao apresentar uma situação em que os elefantes começam a se sentir incomodados com a presença de inúmeros e curiosos ratinhos.

Domingão chegou, mas na quarta-feira a fusão se concretizou, alô Barbudo, Elizeu, Ulysses, Cattani não tem jeito não, em fevereiro terá que acompanhar o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro no Partido Progressista (PP), apesar que os senhores já sabiam que, o Partido Social Liberal (PSL) já desenhava uma união do tipo desde junho 2021. Tudo aconteceu em um jantar, no qual contava com as presenças de lideranças do PSL e do MDB.

Na época, a ideia era apostar na chapa formada pela Senadora Simone Tebet e no apresentador José Luiz Datena, ambos filiados ao MDB até aquela data.

Outra ala do PSL já falava numa possível junção do partido com outra agremiação. Foi neste momento que o DEM apareceu e começou a articulação.

Na ocasião o PSL era cortejado pelos Progressistas e Podemos.

Até julho, a expectativa era que além do DEM, o PP também se unisse ao PSL.

Em setembro a parceria foi fechada somente entre DEM e PSL. Na última quarta-feira (6), a fusão foi oficializada para a criação do União Brasil, nome que surgiu a partir de pesquisas qualitativas feitas pelos partidos. O número na urna será o 44 e a expectativa é lançar candidatura própria para a Presidência da República, como alternativa a Bolsonaro e Lula em 2022.

O partido, no entanto, só existirá oficialmente após a aprovação do tribunal superior eleitoral, o que deve ocorrer até fevereiro do próximo ano. A expectativa é que existam dissidência, principalmente na ala mais bolsonaristas do PSL, e entre os apoiadores do presidente no DEM.

Eles podem sair do novo partido sem perder o mandado.

Incomodados que se mudem

O Senador e cacique do Partido Democratas (DEM), Jayme Veríssimo de Campos afirmou que os incomodados com a criação do Partido União Brasil, podem pegar a mochila e seguir a sua caminhada.

Tudo é normal. Vamos ser honesto, os incomodados que se mudem. A fusão já foi aprovada e deve ser homologada pelo TSE nos próximos dias e o cidadão que não tiver contente, satisfeito, vai ter caçar seu espaço. Acho isso bacana. Isso é a democracia. Ele (?) tem esse direito“, disse o Senador cacique do Democrata.

Porém, o Senador Jayme Campos não poderia deixar passar e sua marca registrou;

Ninguém sabe o rumo que o partido vai tomar. As eleições vão acontecer em outubro do ano que vem. Estão precipitando. Estão afogando em copo de água. Tem que ter paciência para ver como vai ser o encaminhamento dos fatos“, cutucou Jayme Campos.

Aqui eu não fico

Falar é bom demais, mas sair da zona de conforto é complicado, por isso vamos saber do deputado federal Nelson Ned Previdente, o Nelson Barbudo, que informou que acompanhará o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro em sua decisão partidária. O parlamentar prefere não tecer comentários pessoais a respeito da possível fusão entre o DEM e o PSL.

Não tenho nada a criticar. Eu faço a minha política (?), sempre acompanhando Jair Bolsonaro e eles que façam que quiserem. Eu sou fiel ao presidente“, disse.

O parlamentar federal se acha o “rei da cocada”, e até parece que a reeleição será fácil.

Não precisa ser fiel ao povo mato-grossense somente faça alguma coisa de bom para Mato Grosso.

Júlio na presidência

O líder do Governo do Estado na Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (ALMT), o deputado estadual do Partido Democrata (DEM), Dilmar Dal’Bosco, disse que a discussão sobre quem deve ficar a frente do partido no Estado, ainda está sendo feita. Dilmar defende que a liderança seja uma figura histórica dos Democratas.

Dizem que pode ser Fabinho, Cidinho. Eu defendo o nome mais importante do partido como de Júlio Campos“, opinou o parlamentar Democrata.

Terceira via nasce morta

Com futuro incerto na nova legenda, o deputado estadual Gilberto Cattani, afirmou que aguarda decisão do presidente da República, Jair Messias Bolsonaro para então definir seu rumo político.

Alô Democratas, Cattani pediu para avisar os senhores que não tem jeito;

A terceira via, para mim, já nasceu morta. Não existe terceira via. Não tem espaço para uma candidatura desse tipo, na minha visão, porque em todo lugar que você passa, vê apoiadores do Bolsonaro a população o recebe em peso“.

O parlamentar disse ainda que já decidiu que vai apoiar somente o candidato que disputar o Governo do Estado em 2022 aquele que tiver aval do presidente Jair Bolsonaro seja ele qual for.

Superpartido defende reeleição de Mendes

Ainda que o Democrata Mauro Mendes diga que não se colocou como candidato a reeleição e, nem precisa porque as ações mostram que teremos que aguenta-lo até abril de 2026. O deputado estadual e primeiro secretário da Casa de Leis, José Eduardo Botelho, não acredita em problema na condução desse projeto com o PSL.

Eu creio que aqui, estamos bem alinhados. PSL e DEM. O PSL já estava na base do governador Mauro Mendes. Então não teremos problema nenhum. Aqui, ganhamos força, corpo para a sucessão Mauro Mendes“, palavras de Eduardo. Assim seja!!

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  É a hora de mostrar quem é o "cara" de 2022: Mauro ou Nenel, alguém amarelou
Propaganda

Política

Projeto que proíbe governo de propor o passaporte da vacina é aprovada na ALMT

Publicados

em

Com o avanço da corrida para a vacinação anti-Covid-19 em diversos países do mundo, de forma a tentar controlar as continuidade dos numerosos casos de infecções pelo Coronavírus SARS-CoV-2 e suas consequências, têm surgido nova polêmica, “o passaporte vacinal“.

Países do mundo todo estão apostando nas vacinas para sair desta pandemia, porém os governos agora enfrentam outra questão: será o momento de retomar certa parte da economia como viagens, teatros, shows e até mesmo o trabalho para todos? Ou somente para quem já foi vacinado?

As vacinas têm se mostrado eficazes no combate à Pandemia, incluindo na redução dos casos graves e hospitalizações. Isso significa que se as empresas, locais de trabalho e fronteiras forem reabrir, uma maneira de reduzir o risco de um novo surto seria exigir algum tipo de prova de vacinação na entrada, que poderia ser um passe de saúde ou um passaporte de vacina.

O assunto gera debates, já que na maioria dos países a vacina não será obrigatória, e o ritmo da vacinação significa que muitos de nós ainda teremos de esperar por muito tempo. Além disso, há quem não possa tomar por questões médicas, enquanto outros podem alegar crenças religiosas incompatíveis com a vacinação. Com isso, permitir certas liberdades e privilégios para aqueles que tomaram as doses provavelmente seria visto como discriminatório por muitas pessoas.

O Projeto de Lei n° 417/21 visa criar o Passaporte Digital de Imunização, quanto à vacinação da Covid-19. O objetivo é aumentar o controle sanitário sobre locais com aglomeração de pessoas. O texto, de autoria do deputado estadual Paulo Roberto Araújo (Progressistas) tramita na Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (ALMT).

Segundo a proposição, o Passaporte Digital de Imunização poderia ser exigido para autorizar a entrada em eventos e locais públicos, utilização de meios de transporte coletivos, sejam: terrestres ou aéreos, bem como em qualquer local em que a aglomeração de pessoas exija controle sanitário com o intuito de aumentar a segurança da população.

E por 13 votos os deputados estaduais derrubaram o parecer contrário da Comissão de Saúde e aprovaram em primeira votação, na manhã desta quarta-feira (20), o Projeto de Lei 780/2021 de autoria da deputada estadual Janaína Greyce Riva (MDB) que proíbe a implantação por parte do poder público de um passaporte sanitário ou da vacina como popularmente vem sendo chamado, em Mato Grosso.

Numa sessão que contou com discussões acaloradas na Tribuna da Casa de Leis, e que contou com a galeria repleta de apoiadores ao Projeto, Janaína Riva defendeu que o passaporte fere o artigo 5° da Constituição Federal que trata do direito de ir e vir do cidadão.

Eu sou a favor da vacina, tomei as duas doses e tomaria uma terceira se eu tivesse direito inclusive, mas também sou a favor da liberdade. A nossa discussão não é sobre a vacina, mas sobre o cerceamento do direito das pessoas de ir e vir, bem como a segregação e o controle social por trás desse passaporte. Já pensou as pessoas serem proibidas de entrar numa igreja? Ninguém tem o direito de fazer isso. Eu citei igreja, mas falo também do comércio. De serem impedidas de ir ao mercado por que não se vacinaram”, disse.

A parlamentar do MDB, Janaína Riva explica que o projeto dela trata apenas das igrejas, comércios e congêneres, não se estendendo ao ambiente público. A parlamentar trouxe à tona na tribuna o caso de uma mãe que perdeu a guarda do filho por não querer se vacinar.

Se vacina quem quer e alguns não podem vacinar por limitações religiosas. É direito individual de cada um à integridade física e sobre o próprio corpo. Estar vacinado não significa estar isento de cuidados como uso de máscara e higienização das mãos e ambientes, até porque nenhuma vacina tem 100% de eficácia. Precisamos retomar o rumo do desse país, o comércio já foi prejudicado demais. Não podemos deixar que o radicalismo impere”, finalizou.

Agora, a proposta vai à segunda votação e segue para sanção do governador Mauro Mendes (DEM). Deputados como Faissal Jorge Calil Filho (PV), Ederson Dal Molin, o Xuxu Dalmolin (PSC), Gilberto Moacir Catani (PSL), dentre outros, fizerem a defesa do Projeto da parlamentar Janaína Riva.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Michel Temer e bancada federal de MT discutem obras de infraestrutura para o Estado
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA