PSDB ESTADUAL FOCADO NAS PROPORCIONAIS

PSDB quer ampliar sua posição na Assembleia e voltar à Câmara dos Deputados

Publicados

em

Recentemente, o deputado e presidente do Diretório Estadual do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), do Estado de Mato Grosso, Carlos Avalone Junior, disse que a sigla deverá ter candidatos ao Senado da Republica e ao Governo de Mato Grosso nas eleições do próximo ano.

O nosso grande ídolo, Dante de Oliveira, dizia que partido que não tem candidatura própria, acaba, temos que trabalhar para ter candidatura própria. Estar na base do governo Mauro Mendes não significa estar na eleição com o governador, nas próximas eleições. Se não tivermos candidatura própria, vamos com o governador, mas nosso foco é trabalhar candidatura própria no PSDB de Mato Grosso”.

Para o tucano, o fato do PSDB ter um nome lançado à disputa presidencial em 2022, automaticamente exige-se do partido mais participação no cenário político estadual. Na avaliação do deputado, pelo fato do PSDB ter um nome lançado à disputa presidencial em 2022, automaticamente exige-se do partido mais participação no cenário político local.

Os nomes do PSDB, seja ele quem passar às prévias [das eleições], será uma alternativa viável e estará disputando as eleições. Com certeza irá para o segundo turno”.

Avalone disse que tem viajado por todo o Estado realizando visitas partidárias para finalizar a composição dos diretórios municipais visando as Eleições de 2022. Mesmo com as limitações da pandemia, muitas cidades do interior do Estado de Mato Grosso já receberam a visita do parlamentar tucano, que pretende concluir ainda em 2021 a composição dos diretórios restantes nos 141 municípios mato-grossenses.

O presidente estadual do PSDB, deputado Carlos Avallone, afirmou que a legenda está trabalhando para eleger de 3 a 4 deputados estaduais nas Eleições de 2022. O maior desafio, de acordo com o parlamentar, está na montagem de chapa, que até agora não está fechada.

Só tendo uma base forte, podemos pensar nas eleições majoritárias. Estamos estruturando as chapas estadual e federal, não fechamos nenhuma chapa, pelo contrário, nós estamos articulando, conversando com todo mundo e eu tenho certeza que nossa chapa vai produzir de 3 a 4 deputados estaduais“, ressaltou o parlamentar.

Carlos Avalone Junior afirmou que não esta descartada pelos tucano lançar um nome ao Governo do Estado. E quanto às articulações com outros partidos e com outras lideranças, para formar um arco de liderança, Avallone diz serem importantes, mas não fundamentais.

É importante que a gente tenha mais apoio. Eu acho que o PSDB está no caminho correto e, que depois do carnaval, as coisas vão começar a pegar mais fogo, vai estar mais animado“.

Já para o parlamentar tucano, Wilson Pereira dos Santos, recentemente teria afirmado em entrevista à CBN Cuiabá, disse que a sigla tende a apoiar o governador do Partido Democratas (DEM), Mauro Mendes Ferreira, caso ele decida pela reeleição na disputa eleitoral deste ano.

Pronto, e agora, como fica o PSDB nesta eleição?

Então continuemos…

Quanto ao apoio ao Senado da Republica, segundo o tucano, também não fechou acordo com nenhum dos atuais pré-candidatos ou definiu um nome da própria sigla. E de acordo com o parlamentar, que é candidato à reeleição, o partido está focado na formação de chapas proporcionais. Afinal, são 8 vagas na Câmara dos Deputados e 24 na Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (AL/MT).

O PSDB, até o momento, não tem candidato ao Senado nem ao Governo. Nenhum filiado manifestou o desejo de disputar estas duas posições. O partido está se movimentando para formar uma chapa forte para deputado federal e estadual. Tudo será definido nas convenções“, disse.

Sobre novas filiações, o deputado deixou escapar o convite feito ao secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (SECEL/MT), Alberto Machado, o Beto Dois a Um. Ele já anunciou interesse em disputar uma vaga no parlamento estadual.

Já disse a ele que a história da Secel se divide em duas partes: antes e depois do Beto. O que ele produziu num curto espaço de tempo é inacreditável. As bases do setor produtivo-cultural, em particular, da música, o querem como candidato. É jovem, sangue novo, inteligente, ficha limpa. Fizemos o convite e ele está avaliando“, disse.

PSDB x CIDADANIA

O Cidadania enviará uma resposta oficial ao PSDB sobre a possibilidade de formar uma Federação na Eleição de 2022 até o dia 15 de janeiro. A ideia foi discutida pelo presidente do Cidadania, Roberto Freire, com o presidente do PSDB, Bruno Araújo, em novembro. Os dois dirigentes aprovam a aliança. Caso uma federação seja formada, os partidos terão de caminhar juntos até a Eleição de 2026.

Integrantes do PSDB Nacional dão como certo o apoio do Partido Cidadania à candidatura do governador de São Paulo, João Doria, para a Presidência da República. A sigla trabalha agora para que o União Brasil, formado pela fusão do Democratas (DEM) com o Partido Social Liberal (PSL), e o Movimento Democrático Brasileiro (MDB) também decidam apoiar Doria nas eleições deste ano.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Avenida do CPA será interditada no sábado e domingo
Propaganda

Política

Juiz arquiva inquérito sobre suposta pratica de “Caixa 2” de cervejaria com Pedro Taques

Publicados

em

Um inquérito policial,foi  instaurado em 2019, para apurar suposta pratica de “Caixa 2” na campanha eleitoral de 2014, doados por um posto e não declarados oficialmente à Justiça Eleitoral pela coligação encabeçada pelo ex-governador José Pedro Gonçalves Taques foi arquivado pelo Ministério Publico Eleitoral (MPE).

Em contrapartida, a respectiva empresa doadora, em tese, teria obtido retorno da doação por meio de contrato com dispensa de licitação no valor total de R$ 41 milhões no governo estadual.

O promotor Arnaldo Justino da Silva decidiu que, devido a ausência de qualquer elemento que possa dar justa causa para persecução penal eleitoral, razão pela qual o arquivamento desta notícia de fato se impõe.

No despacho do Ministério Público Eleitoral (MPE), consta que:

O colaborador Alan Maluf, inquirido pela autoridade policial, apenas reafirmou fatos delatados em colaboração premiada de que José Pedro Taques teria recebido valores para campanha de 2014, doados pela empresa” “não declarados oficialmente à Justiça Eleitoral, e após, já na qualidade de gestor público estadual, teria, estranhamente, celebrado contrato com a respectiva empresa no valor de R$ 41milhões, sugerindo, o retorno da doação em favor da respectiva pessoa jurídica, por meio de respectivo contrato. Contudo, Alan Maluf foi vago em suas declarações. Disse, até mesmo, não saber indicar como ocorreu o alegado esquema, asseverou não saber como era o fornecimento desse combustível doado como caixa 2, nem mesmo a quantidade, muito menos o valor”.

O promotor Arnaldo Justino da Silva concluiu que ocolaborador não apresentou provas ou indícios da veracidade do fato, apenas indicou nome de pessoas supostamente envolvidas no fato tido como ilícito, as quais foram categóricas em negar todas as afirmações feitas pelo colaborador, aduzindo desconhecer a existência de tal estratagema.

O Ministério Público Eleitoral (MPE) chegou ate mesmo de emitir parecer contrário ao pedido do ex-governador José Pedro Taques (Solidariedade) para arquivar integralmente uma investigação que o acusa de ter recebido doação irregular para a campanha eleitoral de 2014 por meio da Cervejaria Petrópolis.

INQUÉRITO ARQUIVADO

Em decisão publicada nesta segunda-feira (24), o Juiz eleitoral da 51ª Zona Eleitoral de Cuiabá, Francisco Alexandre Ferreira Mendes Neto, determinou o arquivamento de inquérito que apurava suposta doação ilegal da Cervejaria Petrópolis à campanha do ex-governador do Estado de Mato Grosso, José Pedro Gonçalves Taques, em 2014. Nela o magistrado reconhece a “Ausência de Crime Eleitoral” e, por consequência, crime comum conexo.

No caso dos autos, simplesmente não houve crime eleitoral. A doação foi lícita, sem que se tenha cogitado, sequer, a verificação de elementos que indiquem uso malversado dele“, diz trecho.

A decisão considerou argumentação da defesa dos investigados, no sentido de que, depois de quatro anos de investigação, não foram apontados elementos que pudessem comprovar a suposta doação ilegal. As diligências tiveram início ainda em 2018, com base em acordo de colaboração premiada firmado pelo empresário Alan Malouf.

O próprio empresário, segundo consta nos autos, não soube apontar provas quanto às declarações. Ele teria se limitado a dizer que “ficou sabendo” que a doação tinha como moeda de troca medidas de incentivo fiscal.

Para os fatos constantes destes autos, frise-se, não se pode sequer esperar que o delator possua subsídios que embasem sua conjectura, pois, do contrário, já os teria apresentado. Aliás, apresentou documentos que nada acrescentam ao convencimento acerca de sua imputação“, escreveu o magistrado.

O juiz reconheceu ainda a competência da Justiça Eleitoral para processar, também, o crime comum. Nessa seara, o ex-governador José Pedro Gonçalves Taques era acusado de corrupção passiva, tido como crime conexo à falsidade ideológica eleitoral.

Por todo o exposto, exercendo juízo de retratação, com a consectária integração da decisão recorrida (ID nº 19003698), RECONHEÇO a competência da Justiça Eleitoral para julgamento de todos os fatos constantes dos autos, e, no mérito, DEFIRO os pedidos de (ID nº 101556145 e 101829805) determinando o arquivamento do presente inquérito policial também quanto ao pretenso crime de corrupção passiva (art. 317 do CP), com as ressalvas do art. 18 do CPP, com o consequente óbice ao envio de cópia dos autos ao MP que atua perante a justiça comum“, finalizou. – (Com HNT)

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  “Eles não me toleram, por isso o casamento acabou”
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA