Política

Postulantes ao Senado estão preocupados com “Covid-19” ou com as urnas?

Publicados

em

Infelizmente o que o cantor e compositor Raul Santos Seixas sonhou está acontecendo: “O dia em que a terra parou“. O “Covid-19” chegou e todos nós estamos limitados. Os cinco continentes do mundo estão parando.

Em 1977, Raul lançou o álbum e, 43 anos após, o mundo treme na base. Que Deus tenha misericórdia de nós.

É importante ressaltar que a interpretação desta música define exatamente esse momento de “pandemia” no qual o mundo inteiro está vivenciado (Covid-19) e sofrendo sobretudo as consequências por desacreditar no Deus Supremo.

Jogo esta zerado

“Você vê política como se vê um clássico dos milhões”, ouvi de Herivelto, um ex-jogador de futebol, se referindo ao jogo entre Mixto Esporte Clube e Clube Esportivo Operário de Várzea Grande. O pior é que para contestar, tive que aceitar primeiro.

É verdade que o Blog do Valdemir, entende que política é como um clássico dos milhões, mas para entender a frase é preciso entender o que seja o clássico dos milhões, imagina um torcedor dombosquino, apaixonado por futebol.

O jogo

O clássico dos milhões não dura 90 minutos. O clássico tem mais de 50 anos, com dezenas de jogos disputados. As vezes, um clube está por cima, noutras vezes o outro time. A cada clássico ganha-se, empata-se. Pode ser bom ou ruim, mas o sentimento não dura muito.

Clubes de futebol têm suas personalidades. Porém é possível observar diversos pontos em comum, tanto dentro do campo, na organização tática e postura dos treinadores e jogadores, quanto fora, no comportamento dos dirigentes e dos torcedores. Não foram poucas as vezes que me percebi mais parecido com o editor do Blog do Valdemir com a camiseta noutras cores, com quem estivesse trajando as mesmas cores que ele, um mixtense apaixonado pelo time.

Ponto de interrogação

Isso, não existe em você internauta do Blog do Valdemir, sabe porque? Porque você é diferenciado. Você pode até visitar a muitos, mas você sabe o que precisa saber é somente aqui.

Mas vamos analisar: clássico dos milhões e política

Isso, também ocorre na política. Afinal como meu amigo Herivelto, bem observou “política é como um clássico dos milhões”, uma disputa tensa e sem fim, num jogo entre dois lados em conflitos para mútuo beneficio.

Se eu disser que também consigo enxergar o casamento como um clássico dos milhões, será que a minha amiga e compreensiva esposa do editor do Blog do Valdemir, entenderia a analogia? É lógico, com certeza que vai entender a exemplo dos internautas do Blog.

Em síntese: dito isso, deixe-me explicar melhor como entendo o jogo político.

O fundamento da política é o conflito. O jogo político é composto por lados, após constar tensão um com o outro.

A tensão não apenas faz parte do jogo político, como lhe é constitutiva. Sem tensão não há política, sem política não há comunidade, sem comunidade não há ser humano.

Enfim a política é um jogo no qual, só se vence ao se continuar jogando. Uma definitiva representa a derrota de ambos os lados, pois acaba com a comunidade.

Mato Grosso 1920 – 2020

Em 1920, o governador Francisco de Aquino Correia, o Dom Aquino, foi também Arcebispo de Cuiabá enfrentou a Gripe Espanhola. Após 100 anos, o Democrata Mauro Mendes enfrenta o Covid 19. A responsabilidade nem sempre cabe aos governantes, mas eles costumam pagar um preço alto. Tudo bem que haja uma certa calma depois do pânico, mas a está altura o estrago está feito.

Tudo bem que as campanhas políticas não são necessariamente um ambiente ético, no qual o bom senso e a decência são artigos raros de se encontrar. Mas as vezes o povo exagera na dose.

Eleição suplementar

Assim sendo, após o despacho da ministra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Maria Pires Weber, suspendeu a realização da eleição suplementar para a vaga de Senador da Republica para a vaga de Selma Rosane Santos Arruda, do Podemos, que estava pronto para acontecer no dia 26 de abril no Estado Mato Grosso, o que acontecerá:

Pois bem as convenções partidárias onde foram escolhidos 12 candidatos para a disputa perderam a eficácia, de modo que não mais fala candidatos, mas sim pré-candidatos.

Todos os prazos, que já tinham sido estabelecidos em resolução publicada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Mato Grosso (TRE/MT), deixam de valer.

Ou seja, nenhum obteve registro.

Enquanto isso…Carlos Henrique Baqueta Favaro, cacique do Partido Social Democrático (PSD) carrega debaixo do braço uma liminar do ministro Dias Tofolli, determinando sua posse no Senado da Republica. E, Favaro se tornando Senador, mesmo que temporariamente, ganhará força política para o novo embate político.

Finalizando, os irmãos do Partido Democrata (DEM), Júlio José de Campos e Jayme Veríssimo de Campos se mostram atravessados com o governador Mauro Mendes que é de seu próprio partido. Ambos espalharam que Mauro teria empenhado, para adiar a eleição suplementar… Será?

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Planos de Saúde e seguradoras não poderão suspender atendimento durante a "Pandemia"

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Política

Sem plateia e convidados, Luís Roberto Barroso assume TSE em cerimônia virtual

Publicados

em

O ministro Luís Roberto Barroso toma posse, nesta segunda-feira (25), como presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O ministro Edson Fachin assume como vice-presidente da Corte eleitoral. A gestão segue até fevereiro de 2022.

A solenidade de posse acontecerá, pela primeira vez, sem convidados ou plateia presencial. Por causa da pandemia do novo coronavírus, ambos assumirão os novos cargos em sessão virtual. Estarão presentes apenas a ministra Rosa Maria Pires Weber, atual presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e o ministro Luis Felipe Salomão, escolhido para recepcionar Barroso em nome da Corte.

Uma mesa de autoridades será composta virtualmente. Entre elas estão o presidente da Republica Jair Messias  Bolsonaro; os presidentes da Câmara, deputado Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre; e do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli. Também foram convidados o procurador-geral Eleitoral, Augusto Aras, e o presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, Felipe Santa Cruz.

Barroso assume o Tribunal Superior Eleitoral no período em que deve definir se haverá ou não eleição municipal neste ano. Em reunião virtual com a Associação dos Magistrados Brasileiros, o ministro afirmou que, se houver adiamento, que seja o mais curto possível.

Uma possibilidade é deixar o primeiro turno para 15 de novembro, no máximo dezembro. No entanto, Barroso rechaçou a hipótese de unificar os pleitos em 2022.

Por minha vontade, nada seria modificado porque as eleições são um rito vital para a democracia. Portanto, o ideal seria nós podermos realizar as eleições. Porém, há um risco real, e, a esta altura, indisfarçável, de que se possa vir a ter que adiá-las”, disse o ministro, na ocasião.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Com aumento de casos da “Covid-19” na Casa de Leis, Mesa Diretora adia retorno
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA