OS NUMEROS DA PESQUISA

Pesquisa IBOPE aponta vitória de Abílio no segundo turno

Publicados

em

Certamente uma das melhores traduções empíricas de expectativa de vitória são os resultados de surveys de intenção de voto. Assim como o tema de financiamento eleitoral, as pesquisas de intenção de voto são tratadas majoritariamente a partir dos seus possíveis efeitos eleitorais (neste caso, na relação entre divulgação de pesquisas e voto).

Trabalhos já trataram do tema buscando, sobretudo, verificar se as divulgações têm capacidade de alterar as expectativas, preferências e comportamentos dos eleitores. Os efeitos encontrados são majoritariamente de Bandwagon, quando as opiniões são alteradas em movimento pró-maioria, e em alguns casos de Underdog, normalmente relacionado a comportamentos cínicos, ou de protesto, alterações de opinião pró-candidato secundário.

A Pandemia de Coronavírus tem afastado mais eleitores das urnas, um cenário que tende se repetir nas eleições municipais neste próximo dia 29 de novembro onde estaremos escolhendo no segundo turno a pessoa que vai sentar na cadeira numero 1 do município por 4 anos. Como o voto é obrigatório no Brasil, cientistas políticos não preveem um patamar tão alto de abstenção por aqui neste segundo turno.

A TV Centro América, afiliada da Rede Globo de Televisão, divulgou nesta segunda-feira (23), a primeira Pesquisa Ibope para o segundo turno das eleições municipais em Cuiabá, que acontece neste domingo (29).

A pesquisa apresentada mostra uma diferença mínima entre o candidato do MDB, Emanuel Pinheiro, da Coligação “A Mudança Merece Continuar, e o candidato Abilio Jacques Brunini Moumer, o Abílio Junior, da Coligação “Cuiabá para Pessoas do Podemos.

Conforme a Pesquisa IBOPE, que foi realizada com 602 entrevistados no período de 21 a 23 de novembro, tanto o candidato do Podemos, Abílio Junior como o candidato do MDB, Emanuel Pinheiro estão tecnicamente empatados no limite da margem de erro.

A pesquisa é quantitativa e realizada em entrevistas por meio de telefones. O intervalo de confiança é de 95%, e foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o Número MT-07435/2020.

Abílio Júnior (Podemos) aparece em primeiro lugar 54% dos votos válidos
Emanuel Pinheiro (MDB) aparece com 46%.

Na modalidade estimulada

Abílio Júnior (Podemos) tem 48%
Emanuel Pinheiro (MDB), com 40%.

Brancos e nulos são 7%, e 6% das pessoas que foram entrevistadas não souberam ou não responderam. A margem de erro é de 4 pontos percentuais para mais ou para menos.

Na ultima pesquisa realizada e apresentada para a população cuiabana, no primeiro turno das eleições no dia 12 de novembro, quando havia 8 candidatos pleiteando a vaga de prefeito da capital, Abílio Junior aparecia na época com 32% das intenções de voto e Emanuel Pinheiro, com 31%.

Considerando a margem de erro, os resultados poderiam chegar a 36% para Abílio Júnior e 35% para Emanuel Pinheiro. Nas urnas, o resultado foi de 33,72% para Abílio Junior, e para Emanuel Pinheiro, 30,64%.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  15 de novembro, as ruas estão vazias; sinal que abstenção vem crescendo?
Propaganda

Política

Teis estuda renunciar vaga no TCE

Publicados

em

A Corte do Tribunal de Contas do Estado de Mato grosso (TCE/MT) empossou em dezembro de 2007, dois novos Conselheiros, o ex-deputado estadual Humberto Melo Bosaipo e o ex-secretário de Estado de Fazenda de Mato Grosso (SEFA/MT), Waldir Júlio Teis, que juntamente com o Conselheiro Valter Albano, eram na época os dois únicos, dos sete membros do Tribunal de Contas de Mato Grosso, que nunca ocuparam cargo eletivo.

Os dois novos integrantes ocuparão as vagas dos Conselheiros aposentados Ubiratan Francisco Vilela Tom Spinelli e Júlio José de Campos.

Afastados de suas funções do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE/MT), Humberto Bosaipo e Waldir Teis, envolvidos em compras de vaga e também por envolvimento em negociatas com o Governo do Estado de Mato Grosso, Teis caiu na Operação Ararath que investiga, desde 2013, a prática de crimes de corrupção, sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e organização criminosa pelos Conselheiros do Tribunal de Contas de Mato Grosso.

Cumprindo medidas cautelares impostas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) que incluem proibição de entrar no prédio do TCE/MT, Waldir Júlio Teis, entrou com pedido de aposentadoria que foi protocolado em 16 de dezembro e esta sob relatoria do presidente do TCE, Conselheiro Guilherme Antônio Maluf.

A saída de Waldir Júlio Teis abre negociações na Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (AL/MT) para o sucessor na vaga que tem como cotado o presidente do Legislativo, o deputado estadual José Eduardo Botelho (DEM). Nas últimas semanas, o também deputado estadual, Allan Kardec (PDT), mostrou seu interesse em ingressar no órgão.

Conselheiro estuda renunciar vaga no TCE e perder R$ 35 mil por mês em MT

Waldir Teis, estaria cogitando pedir a renúncia de seu mas teme ter o mesmo destino de seu colega, Antonio Joaquim Moraes Rodrigues Neto, que também esta afastado como Conselheiro e não conseguiu ainda ser aposentado.

Ele aguarda até hoje a análise de sua solicitação para passar à inatividade. Ambos os Conselheiros Waldir Teis e Antônio Joaquim, bem como outros dois colegas de plenário do Tribunal de Contas de Mato Grosso, Sérgio Ricardo de Almeida e José Carlos Novelli, estão afastados da Corte de Contas desde setembro de 2017, após a deflagração daOperação Malebolge, da Polícia Federal.

Com a saída de Waldir Teis pode esquentar ainda mais a disputa nos bastidores por uma vaga de Conselheiro na Corte de Contas um cargo de alto prestígio financeiro e político, vitalício, e que institucionalmente se equipara aos desembargadores do Poder Judiciário. O salário de um Conselheiro do TCE ultrapassa R$ 35 mil fora os penduricalhos.

A Legislação de Mato Grosso estabelece que tanto a Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL/MT), quanto o Poder Executivo, devem escolher os membros da Corte da Conta majoritariamente, decisões políticas, e não técnicas, são levadas em conta na hora da “escolha”.

O Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso atualmente possui apenas 3 Conselheiros titulares dos 7 que deveriam compor o plenário (exceto o presidente). Se optar pela renúncia do cargo, Waldir Teis, que chegou a ser preso no ano passado pela Polícia Federal por tentativa de obstrução de provas, perderá automaticamente o provento de cerca de R$ 35 mil por mês.

Waldir Teis também adotaria uma estratégia semelhante ao ex-conselheiro afastado Humberto Bosaipo. Com dezenas de ações na Justiça, ele renunciou ao cargo em 2014 e escapou de condenações que poderiam levá-lo até mesmo a prisão.

Waldir Júlio Teis foi o primeiro da “safra” de Conselheiros indicados pelo então governador e ex-senador Blairo Borges Maggi, empossado em fins de 2007. No governo Maggi, Júlio Teis foi secretário de Fazenda e vice-presidente do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), órgão que direito da política fiscal brasileira.

Waldir Júlio Teis é graduado em Direito pelo Centro de Ensino Superior de Rondonópolis (Cesur). Em suas atividades profissionais, Teis foi Auxiliar Administrativo, empresário do setor de contabilidade, assessor Jurídico Tributário e societário do Grupo Amaggi de 1984 a 2002.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Concurso da Polícia Civil 2018: Edital com 1.200 vagas no segundo semestre!
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA