SEM CONDIÇÕES DE UMA VACINAÇÃO EM MASSA

Os desafios da vacinação contra a Covid-19 em Cuiabá

Publicados

em

Em meio a um cenário de incertezas sobre o início da vacinação contra a Covid-19, prefeitos de cinco mil municípios do Brasil, começaram a elaborar seus planos operacionais para a vacinação contra a infecção do novo Coronavírus, eles esperam o sinal verde do Ministério da Saúde (MS) e da Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para coordenar e executar as ações de imunização nos territórios pelos quais são responsáveis.

Eita… Cuiabá “tá” dentro? Não! Aqui é diferente. Na “corrida pela vacina”, na capital de todos os mato-grossenses existe no caminho uma pedra, há uma pedra no caminho, aqui por enquanto sobram incertezas.

A culpa é de Mauro Mendes? Por enquanto a culpa é da “segurança e responsabilidade”, já que o prefeito cuiabano Emanuel Pinheiro (MDB) descobriu nesta segunda-feira (11), que Cuiabá não tem capacidade para realizar uma campanha em massa sozinha.

Dia 11 de janeiro será um dia histórico, o dia em que Emanuel Pinheiro ficou sabendo como é uma estrutura de uma vacinação em massa.

Nós não temos essa estrutura para realizar sozinho. Não adianta adquirir 50, 100 mil unidades da CoronaVac. Não iria resolver o problema e não teríamos estrutura, a logística necessária para imunizar a população cuiabana, palavras do Prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro.

Em seu Twitter o prefeito cuiabano Emanuel Pinheiro postou dizendo:

Nós estamos focados em fazer com que Cuiabá receba o medicamento para dar seguimento ao atendimento aos cuiabanos e estamos nos primeiros passos, mas respeitando os protocolos extremamente rígidos quanto a logística e distribuição“.

Como assim? Só agora que o alcaide cuiabano, descobriu o que os internautas do Blog do Valdemir, já sabiam.

A matéria foi publicada no dia 07 de janeiro.

Nenel, nenel, nenel você está muito esperto, né? Recentemente, ou espertamente disse que se fosse preciso entraria na Justiça para que a vacina começasse a ser distribuída em janeiro em Cuiabá, através do governador Mauro Mendes.

Qual o motivo prefeito? Se no dia 10 de dezembro de 2020, o senhor entra em contato com o governador João Doria do Estado de São Paulo e diz que tem como comprar 200 mil doses da CoronaVac e que a imunização em massa começaria dia 25 de janeiro em Cuiabá.

João Dória, governador do Estado de São Paulo teria feito um anuncio que a vacinação em massa contra o Coronavírus em seu Estado acontece no dia 25 de janeiro. Só que a vacina CoronaVac que esta sendo desenvolvida pelo Instituto Butantan ainda espera autorização da Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

O prefeito foi além, e disse que Cuiabá tem em seu cofre R$ 10 milhões para comprar as vacinas, assim que a Anvisa liberasse a imunização para 40% da população (a população de Cuiabá é de 612 mil habitantes).

Tem mais, o senhor afirma Cuiabá vai entrar para a história ao vacinar sua população antes das demais cidades de Mato Grosso.

No dia 1 de janeiro em sua segunda posse o senhor me diz que a vacina é prioridade e agora começa a fazer o seu “joguinho” do empurra, a culpa não é minha, choveu a culpa é de Mauro Mendes.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Louder Mendes: - Cartórios e o combate a corrupção
Propaganda

Política

PDT quer beber vinho em vez de água e esquece discurso contra Emanuel

Publicados

em

O tempo passou e…

Como num passe de mágica, os que atiravam no Governo Municipal a alguns dias atrás, deixaram de atirar, claro…no prefeito cuiabano Emanuel Pinheiro do MDB.

Mas, alguns ainda prosseguem atirando no emedebista Emanuel Pinheiro, que muitas das vezes mesmo com sua caneta e sem tinta, (armas e munição), continua pautando esse povo e incomodando muita gente.

Mudaram, todavia, o tom quando a referência é o Governo do Municipal.

Teriam descoberto que estavam errados naqueles julgamentos que faziam do Governo Municipal?

Bom…, o parlamentar estadual do Partido Democrático Trabalhista (PDT), Allan Kardec Pinto Acosta Benitez, o professor Allan, que alguns dias entrou com representação na Justiça Eleitoral em nome da coligação Mãos Limpas e Unidas Por Cuiabá liderada pela ex-candidata Gisela Simona Viana de Souza do Partido Republicano da Ordem Social (Pros), acusou o prefeito reeleito por Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), de captação ilícita de votos, e supostamente, pagar jantar à convidados, em reunião no dia 31 de outubro em local denominado “Chácara do Totontinho”, sítio de um apoiador do prefeito cuiabano, no primeiro turno das eleições municipais em Cuiabá.

O parlamentar estadual Allan Kardec chegou ate mesmo em sua denúncia, anexar ao processo uma série de publicações sobre o jantar, usando como provas vídeos, textos, fotos e outros materiais.

E segundo informações do denunciante, o encontro foi conduzido pelo ex-secretário de Obras e o então coordenador-geral de campanha, Vanderlúcio Rodrigues da Silva e seu sobrinho, Alex Rodrigues, que era na época candidato ao cargo de vereador pelo Partido Progressista (PP), partido da base aliada de Emanuel Pinheiro.

Da água para o vinho

Depois de todos os acontecimento, os fatos, as provas apresentadas pelo parlamentar estadual Allan Kardec Pinto Acosta Benitez, o professor Allan, o PDT vem tentando fazer as pazes com o Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro.

O motivo, bom…, o motivo muitos já sabem, o PDT esta de olho na formação do staff no Palácio Alencastro.

E a vaga seria a Secretaria de Cultura de Cuiabá, e o PDT esta tentando emplacar o maestro Fabrício Carvalho, que foi candidato a vice-prefeito na chapa Mãos Limpas e Unidas Por Cuiabá, de Gisela Simona Viana de Souza do Pros.

Nas eleições municipais que aconteceram em outubro de 2020, tanto o PDT quanto o Pros ecoaram as críticas sobre corrupção na gestão de Emanuel Pinheiro.

Já no segundo turno, o Partido Democrático Trabalhista (PDT), liderado pelo deputado estadual, Allan Kardec Pinto Acosta Benitez, o professor Allan, ficou em cima do muro.

Ainda conforme a representação, o caráter eleitoreiro do encontro pode ser comprovado pelos discursos que foram proferidos, além da distribuição de banners e outros materiais de campanha com o nome de Alex Rodrigues e de Emanuel Pinheiro. Houve também, segundo o deputado estadual Allan Kardec, reprodução de jingle de campanha e pedido de votos. O deputado estadual pediu a cassação do registro de candidatura de Emanuel e aplicação de multa em razão do ocorrido.

Outro lado

A assessoria do Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, que informou, em nota, que a representação movida por Allan Kardec não demonstra a existência de provas ou indícios de provas que poderiam levar à cassação do seu registro de candidatura.

O caso mostra que a ação foi movida em desfavor de pessoa ilegítima, já que Emanuel não teria ligações com o ocorrido. Tanto é verdade que nas pseudoprovas colacionadas aos autos não há nenhuma imagem ou vídeo dos representados ou ainda áudio com pedido de votos para o prefeito Emanuel Pinheiro, sendo certo que para a procedência da ação exige-se conjunto probatório robusto, indene de dúvidas, não podendo se fundar em frágeis ilações ou em presunções quanto aos fatos, diz trecho da manifestação da defesa de Pinheiro.

A defesa também lembra que Emanuel Pinheiro não tinha conhecimento do encontro e que Vanderlúcio Rodrigues, que esteve presente na reunião, é presidente do Partido Progressista (PP) e tio de Alex Rodrigues, que liderou o encontro. Neste caso, diferente do que informou a ação de Kardec, o ex-secretário de Obras não compareceu ao evento como representante de Emanuel Pinheiro, mas sim na condição de tio de Alex e presidente do partido.

O proprietário da chácara e outros presentes assinaram manifestação, anexada à defesa, na qual garantem que o jantar foi servido durante as comemorações do aniversário. (Com o Bom da Noticia)

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Novas vitimas da "Pandemia do Coronavírus"; Desemprego bate recorde
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA