Política

Maioria do MDB apoia candidatura do Pivetta

Publicados

em

Sem um nome de peso e não muito animado para concorrer ao Senado da Republica nesta eleição suplementar para a vaga de Selma Rosane Santos Arruda (Podemos), o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) diz ter uma nome para suplente, mas que tem alguns requisitos para apoiar o próximo Senador.

O parlamentar estadual do MDB Thiago Silva, diz que Carlos Bezerra e o ex-prefeito do interior do Estado da cidade de Sinop, Juarez Costa, são os principais nomes que a legenda têm nessa eleição atípica.

O nosso partido tem vários nomes que estão sendo colocados e discutidos pelo Diretório Estadual, como o próprio deputado Carlos Bezerra, a ex-deputada Teté Bezerra, e o ex-prefeito de Sinop, Juarez Costa, que são pessoas que já têm uma densidade eleitoral muito grande”.

O deputado do MDB Thiago Silva diz que o partido ainda está indeciso entre quem apoiar.

Na eleição passada nós apoiamos o candidato do PSD, Carlos Fávaro, mas nós também temos uma boa amizade com Otaviano Pivetta do PDT, então vai depender das articulações, o partido quer indicar um suplente de alguma chapa”.

Ele ainda expõe os requisitos que a sigla quer ver em um candidato, para poder apoiá-lo.

É aquilo que partido defende, o candidato que aceitar a questão do pacto federativo, o fortalecimento dos municípios e um senador que não trabalhe por apenas um seguimento, mas seja municipalista, o MDB vai defender”.

Já a parlamentar estadual Janaína Greyce Riva, afirma que dentro da sigla existe um consenso quanto à candidatura de Otaviano Pivetta.

Tem uma tendência de o partido em apoiar a candidatura do Otaviano Pivetta. O próprio Bezerra está conduzindo isso. A gente vai fazer essa reunião para já definir de uma vez e bater o martelo nessa questão”.

Algumas lideranças do MDB chegou a cogitar o nome de Carlos Bezerra para ser o nome da sigla como pré-candidato ao Senado, um balde agua fria veio quando o Diretório Estadual recebeu informações de resultado de uma pesquisa interna de outro partido que acabou não agradando, e com isso, a os caciques da legenda mudaram de plano.

Segundo Janaína Riva, a pesquisa foi analisada e tiveram como base dados apontados por outros pré-candidatos.

Nós tivemos acesso a algumas qualitativas que foram feitas por alguns pré-candidatos e a gente pensa em construir essa candidatura mesmo, de apoio ao Pivetta. Se o partido tivesse que ter uma definição hoje, seria essa. Mas faremos essa reunião com os deputados federais e estaduais e, até o dia 10 ou 12, faremos a nossa convenção”.

Segundo a vice-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL/MT), deputada estadual Janaína Riva, o cacique do MDB, deputado federal Carlos Bezerra, esta organizando para a próxima quinta-feira (5) uma reunião com a Executiva Estadual do partido para fechar apoio ao vice-governador Otaviano Pivetta (PDT), que concorre como candidatado ao Senado na eleição suplementar.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Alô Emanuel e Abílio: voto útil é decisão do eleitor, não de "caciques" políticos

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Política

115,5 mil eleitores estão impedidos de votar no 2º turno

Publicados

em

A Justiça Eleitoral de Mato Grosso reforça que os eleitores de Cuiabá que não cadastraram a biometria estão impedidos de votar neste segundo turno das eleições, que ocorrerá no dia 29 de novembro.

Pelo levantamento do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT), na capital 85,4 mil eleitores estão com os títulos cancelados devido à ausência a revisão com coleta biométrica. Ao todo, somando eleitores que tiveram seus títulos cancelados por ausência às urnas em três pleitos consecutivos, decisões judiciais de perdas de direitos políticos, além de falecimentos recentes, são 115 mil eleitores impedidos de participar da Eleição.

O eleitor em situação regular, mesmo não tendo comparecido ao primeiro turno, poderá votar no domingo (29). A exemplo do registrado no dia 15 de novembro, 378 mil eleitores estão aptos a votar na capital.

O principal motivo do cancelamento, o cadastramento biométrico dos eleitores de Cuiabá, começou a ser realizado em agosto de 2015.

A Justiça Eleitoral ofertou todos os meios possíveis para a população efetuar o cadastro biométrico. Foram montados guichês de atendimento em órgãos públicos, na Assembleia Legislativa, nos shoppings da capital, ações itinerantes, além do atendimento diferenciado na Casa da Democracia. Fizemos atendimento por agendamento para evitar filas, tivemos situações com fila também, enfim, foram quatro anos para que o eleitor se cadastrasse biometricamente. Só após esse período é que se realizou o cancelamento, destacou o diretor geral do TRE/MT, Mauro Diogo.

Para ele, a grande maioria dos eleitores já sabe se pode ou não votar, se está ou não em situação regular, porém, a orientação é sempre instalar o aplicativo e-Título no smartphone para ter acesso às informações e serviços importantes da Justiça Eleitoral.

Foi uma ferramenta muito útil aos eleitores, mesmo com momentos de lentidão devido ao grande número de acessos. Neste segundo turno a quantidade de pessoas buscando informações será muito menor”.

Além do aplicativo, o eleitor pode verificar a situação eleitoral pelo telefone via 0800-647-8191, ou acessar o site do TRE-MT (www.tre-mt.jus.br).

Comparecimento

A taxa de abstenção no primeiro turno foi de 22,01%, número considerado próximo ao registrado nas últimas eleições: Em 2018 a abstenção foi de 19.09%, em 2016 foi de 19.91% e em 2014 foi de 18,13%. No último domingo 15, 294.861 eleitores de Cuiabá compareceram às urnas.

Mesários

Para realizar a eleição neste segundo turno, foram convocados 4,15 mil mesários, sendo 64% deles do sexo feminino. Quanto a faixa etária, aproximadamente 63% tem entre 21 e 49 anos. A grande maioria são solteiros ou divorciados, 65,8%, sendo que 50% possui nível superior de escolaridade.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  "Um prefeito precisa construir pontes e não destruir”
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA