ALTERAÇÃO DE EDITAL

Lúdio pede que governo aumente salários oferecidos aos profissionais de Saúde em edital

Publicados

em

O deputado estadual do Partido dos Trabalhadores (PT), Lúdio Cabral, requereu ao governador de Mato Grosso que altere o edital de contratação temporária da Saúde e aumente os valores oferecidos aos profissionais que vão atuar no combate à “Pandemia da Covid-19“.

Lúdio solicitou que as remunerações respeitem o piso previsto pelo conselho de cada categoria. Em ofício ao governador Mauro Mendes (DEM), o deputado observou que, com exceção da remuneração oferecida aos médicos, todos os valores propostos pelo governo estadual estão abaixo do piso salarial.

É absurda a remuneração proposta para todas as profissões, à exceção dos médicos. Na média, para trabalhar em caráter emergencial contra a pandemia, o trabalhador de nível superior terá remuneração inferior a dois salários mínimos e o profissional de nível técnico terá uma remuneração inferior a um salário mínimo“, afirmou Lúdio.

Os cálculos citados por Lúdio foram baseados em uma carga horária de 24 horas semanais. Mas mesmo que façam mais plantões, os valores a serem recebidos pelos profissionais ainda serão muito baixos.

A não ser que eles se submetam a uma carga de trabalho excessiva, que vá além daquilo que a legislação dessas categorias prevê“, disse.

O parlamentar destacou a importância de o Estado realizar a contratação emergencial no setor de Saúde para combater a “Covid-19“.

O trabalhador da saúde no serviço público é essencial para enfrentar a pandemia e está submetido a um risco severo de exposição ao “Coronavírus“. E o Estado lança um edital com esses valores… É necessária a contratação emergencial nesse momento, mas a remuneração que o Estado está oferecendo é desrespeitosa“, afirmou Lúdio.

Os valores oferecidos no edital do governo estadual para cada plantão de 12 horas são R$ 300 para enfermeiros, R$ 257 para psicólogos, R$ 265 para fisioterapeutas, R$ 240 para assistente social, R$ 162 para técnicos de enfermagem, R$ 137 para técnicos de laboratório e R$ 112 para maqueiros. Para os médicos, o valor oferecido é de R$ 1,5 mil por plantão, a única remuneração justa no edital, segundo Lúdio.

O deputado sugeriu ao governador que siga o piso remuneratório proposto pelo conselho de cada categoria, de modo a reconhecer e valorizar o trabalho desses profissionais. O Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso (Coren-MT) chegou a publicar uma nota de repúdio ao edital.

O Edital em questão parece nos mostrar que o poder público pouco valoriza os profissionais de enfermagem na linha de frente, ou não tem qualquer consciência do seu valor. Fica aqui o nosso repúdio e protesto contra os valores oferecidos aos trabalhadores de enfermagem no Edital de Abertura de Processo de Seleção Simplificada N° 001/SES/2020, produto da concepção do Estado de Mato Grosso sobre o trabalho e ao trabalhador de enfermagem, ao tempo em que esperamos que tal proposição seja revista, sob pena do fracasso no processo de recrutamento e seleção, motivado pelas atuais circunstâncias e condições de trabalho oferecidas“, diz trecho da nota emitida pelo Coren.

Veja a nota na íntegra: http://mt.corens.portalcofen.gov.br/nota-de-repudio-do-coren-mt-ao-edital-de-abertura-de-processo-de-selecao-simplificada-n-001-ses-2020_12850.html

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Novo Decreto em Várzea Grande fecha comércio não essencial
Propaganda

Política

Rodízio de veículos, atendimento por CPF esta suspenso; Pinheiro apresenta nesta segunda-feira (6) projeto de barreiras sanitárias

Publicados

em

A grande repercussão negativa entre a população cuiabana levou a Prefeitura de Cuiabá voltar atrás e revogar o Novo Decreto assinado por Emanuel Pinheiro em menos de horas.

Pinheiro, decidiu nesta sexta-feira (3) que suspenderá, neste primeiro momento, as medidas de rodízio no tráfego de veículos e limitação, por CPF, nos atendimentos presenciais realizados por bancos, lotéricas, supermercados e distribuidoras de bebidas. As normas constam no Decreto nº 7.975, que foi assinado pelo chefe do Executivo nesta ultima quinta-feira (2), e passariam a valer a partir de segunda-feira (6).

O Prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro definiu que, na próxima segunda-feira, irá apresentar o projeto para a instalação de barreiras sanitárias na Capital. A medida cumpre com a decisão judicial imposta pelo juiz José Luiz Leite Lindote, da Vara da Fazenda Pública de Várzea Grande, em atendimento ao requerimento do Ministério Público do Estado (MPE).

As duas medidas suspensas serão discutidas com os segmentos da sociedade civil organizada e avaliada nas deliberações do Comitê de Enfrentamento ao Novo “Coronavírus. O prefeito reconhece que, por ser ações que resultam em grandes impactos na rotina da população, é necessário que elas sejam melhores debatidas para que, se necessário a implantação, isso aconteça da forma mais tranquila possível.

Entendo a reação e sei que não é fácil mudar os nosso hábitos, mas está na hora de cada um de nós refletir sobre nosso papel nessa luta. Só vamos vencer essa guerra, se cada um fizer sua parte, caso contrário não adianta só exigir do poder público e não agir com responsabilidade, querer viver como se estivesse tudo normal. Não há decreto no mundo que dê jeito, se não tiver o apoio da população. Cada um fazer a sua parte, exige sacrifícios temporários, como nestes casos que eram apenas de 15 a 17 dias”, comentou Emanuel Pinheiro.

Seguem valendo, até o dia 20 de julho, a ampliação do toque de recolher, das 20h às 5h; regime de trabalho no sistema home office para servidores municipais; proibição da utilização de refeitórios e restaurantes nos hotéis e hospedarias; suspensão do funcionamento de motéis; suspensão das as atividades presenciais nas unidades de ensino públicas e privadas; transporte coletivo com funcionamento total da frota.

Além disso, seguindo a decisão judicial, continua vedada a abertura ao público dos shoppings centers e congêneres, permitida tão somente o funcionamento das atividades essenciais mediante sistema delivery. Também está permitida a comercialização de produtos oriundos das atividades essenciais pelo sistema de entrega e retirada de produtos (delivery e passe e pegue), desde seguida todas as medidas de biossegurança.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Russi propõe parcelamento de ICMS durante calamidade pública
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA