Política

Gisela Simona; De terceira via à opção do povo como candidata ao Senado da República

Publicados

em

Sou candidata do povo, com o povo, não tenho milhões na conta, mas tenho décadas de trabalho prestado, defendendo os interesses da população de Mato Grosso“.

As palavras foram da Gisela Simona Viana de Souza, candidata do Partido Republicano da Ordem Social (PROS), durante a Convenção realizada pela sigla.

Na entrada do evento, a Convenção do Pros, que foi realizado no Hotel Fazenda Mato Grosso, Gisela Simona declarou que sofreu investidas de vários adversários, que jogaram pesado, e até fizeram propostas consideradas indecentes, oferecendo dinheiro e cargos para que ela desistisse de concorrer na disputa ao Senado da República, ou aceitasse a suplência em uma outra chapa.

Jogo é pesado

O que eu posso dizer pra vocês é que na verdade o jogo na política é pesado, muito pesado mesmo, e infelizmente, além do jogo ser pesado é sujo, e por conta disso todas as boas lideranças que a gente consegue você vê rapidamente os outros partidos tentando, de alguma forma, tirar de nós uma oportunidade. Daí a importância de a gente segurar até aqui, de ter que divulgar na hora da convenção quase assinando a ata pra não ter jeito de sermos passados pra trás“.

Segundo a candidata do Pros, entre as inúmeras Propostas Indecentes, surgiu uma proposta de candidatura na eleição para à Prefeitura de Cuiabá.

Eles tentaram de todas as formas e propostas de todas as maneiras, me ligaram até de madrugada, tentaram tirar o nosso grupo desta eleição suplementar. Só que eles não sabem que o Pros é um partido que tem base. Então, independentemente de situação financeira e de estrutura de campanha, nós temos o principal que a grande maioria das candidaturas não tem: o povo do nosso lado. Ofereceu-me dinheiro, cargos e até a possibilidade de renunciarmos aqui e assumir um projeto à Prefeitura de Cuiabá”, denunciou a candidata do Pros, Gisela Simona.

Gisela disse que assim como foi feita a sua campanha para deputada federal, quando obteve mais de 50 mil votos, o compromisso foi com o povo, nesta disputa eleitoral para o Senado da República, ela acredita que a população vai escolher uma representante o povo e não os Barões do Agronegócio.

Com propostas voltadas para atender as necessidades e prioridades da população, dos empregados, dos servidores públicos, o discurso de Gisela se torna diferente daqueles que buscam ocupar o cargo de Senador, para defender os interesses dos empresários, dos patrões milionários.

Depois das últimas três convenções que mais chamaram atenção da população, como foi a do vice-governador do Partido Democrático Trabalhista (PDT), Otaviano Olavo Pivetta, do ex-governador Júlio José de Campos, do Partido Democrata (DEM) e de Gisela Simona do Partido Republicano da Ordem Social (PROS), o povo começou analisar quem é quem nesta disputa eleitoral suplementar no dia 26 de abril.

De acordo com informações de especialistas de política, Gisela Simona passou de terceira via, que poderia surpreender ou do voto de revolta, que pode fazer a diferença, para a opção de voto que se identifica, com a massa, com o povo, com aqueles que recebem salário para pagar os financiamentos de casa, carro e empréstimos pessoais.

Pelo que tudo indica, as grandes surpresas desta eleição para o Senado da República, poderão ocorrer com a rejeição e derrotas dos mais afortunados e eternos detentores de cargos públicos.

Faltando pouco mais de um mês para a eleição suplementar, resta saber quem a população ira eleger, uma representante do povo, ou um representante dos patrões, dos barões latifundiários.

Após uma ampla discussão entre filiados e dirigentes dos partidos Rede Sustentabilidade e o próprio Pros, ficou decido pelas lideranças que a formada na noite desta quinta-feira (12), Gisela Simona vem para o Senado da Republica com os suplentes Arthur Nogueira (Rede Sustentabilidade) e Christian Cabral (Pros).

De olho na Prefeitura de Cuiabá

A superintendente do Procon de Mato Grosso, Gisela Simona Viana de Souza, filiada ao nanico Pros, também é o nome mais citado quando se fala em disputa à Prefeitura de Cuiabá na próxima eleição.

A votação expressiva em Cuiabá, na eleição passada quando disputou uma vaga na Câmara Federal, tem colocado Gisela Simona em evidência e, vários partidos, já se reuniram com ela e lideranças do Pros, deixando portas abertas para uma futura composição.

Para a Prefeitura de Cuiabá, Gisela Simona é sondada pelos partidos menores para um amplo arco de aliança, claro, ela na cabeça de chapa. Já outras siglas pensam em uma composição com Simona candidata a vice, o que não agrada os dirigentes do Pros de Mato Grosso.

Disputou uma vaga à Câmara Federal em 2018 e fez 50.682 votos, superando os 49,912 votos do deputado Juarez Costa (MDB), mas ficou sem a cadeira por causa do cálculo do quociente eleitoral. Gisela Simona tem domicílio eleitoral em Cuiabá e forte integração com os movimentos comunitários.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  O golpe político de Neurilan Fraga

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Política

“Vou procurar os 24 vereadores para falar da necessidade de ter um parlamento verdadeiramente independente”

Publicados

em

O vereador Diego Arruda Vaz Guimarães do Partido Cidadania foi o vereador mais votado da Capital e obteve 4.179 votos e foi reeleito na eleição municipal que ocorreu no último domingo (15). Ele obteve o maior número de votos dentre os 25 parlamentares que vão compor a Câmara de Cuiabá pelos próximos 4 anos.

O parlamentar cuiabano Diego Guimarães foi um dos principais apoiadores do vereador e candidato a Prefeitura de Cuiabá, Abílio Jacques Brunini Moumer, o Abílio Júnior da Coligação Cuiabá para Pessoas do Podemos, e seu vice Felipe Wellaton do Cidadania, disse que vai buscar a presidência da Casa de Leis para garantir a independência do Legislativo Municipal.

De acordo com ele, a renovação na Câmara Municipal de Cuiabá e a votação expressiva de Abílio Junior foi um recado do eleitor cuiabano aos vereadores eleitos e reeleitos, de que a Câmara de Cuiabá precisa ser independente e com isso mudar a imagem ruim que passa para a população.

Antes estávamos focados na eleição do Abílio, não planejava isso, mas com a vitória do atual prefeito eu coloco meu nome na disputa porque queremos representar os mais de 129 mil votos que Abílio recebeu dos cuiabanos e cuiabanas que não concordam com uma Câmara Municipal que é submissa ao Poder Executivo“, disse o vereador.

O parlamentar explica que deve conversar com todos os colegas, até os da base do prefeito para explicar sobre a importância de um parlamento atuante e que não apenas cumpre ordens da prefeitura. Ele que já concorreu anteriormente e não obteve êxito, uma vez que a oposição era minoria dentro do parlamento, ressalta que a disputa deve ser pautada no fortalecimento e resgate da imagem do Legislativo Municipal.

Vou procurar cada um dos 24 vereadores para falar sobre essa necessidade de mudar como a Câmara é vista e a necessidade de ter um parlamento verdadeiramente independente. As urnas mostraram que aqueles que conduziram o parlamento nos últimos quatro anos, que fizeram o legislativo submisso foram reprovados. Nossa ideia é compor uma Mesa mais representativa possível com uma proposta de fortalecimento e resgate da imagem da Câmara Municipal“, concluiu o parlamentar.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Abílio e Emanuel, segredo do dia: fazer com que "seu" eleitorado vá em massa votar hoje; 32 mil votos "voando"
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA