TÁ PROÍBIDO SANTINHO?

Eleição 2020: Distribuição de Santinhos e aglomerações esta proibido pelo Ministério Público

Publicados

em

Uma recomendação foi assinada pelo procurador regional Eleitoral, Erich Masson, e pelo procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges Pereira para os partidos e candidatos que observem, durante a campanha e eleições, as medidas higiênico-sanitárias necessárias à prevenção de contágio pelo “Coronavírus“.

Na recomendação é para que os candidatos evitem levar acompanhantes ao local de votação e também não mantenham contato físico com eleitores, mesários e fiscais. Além disso, deverão observar a obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção individual nos locais de votação e se atentar para a vedação de distribuição de qualquer material impresso, nos termos da Lei 9.504/1997 e Resolução do Tribunal Superior Eleitoral 23.610/2019.

Caso façam uso desses meios de campanha, que observem as restrições previstas dos Decretos e Pareceres Técnicos emitidos pelo Chefe do Poder Executivo e Secretarias de Saúde Estadual e Municipal, como distanciamento mínimo e uso de máscaras de proteção individual.

Santinhos na rua

Em época de campanhas eleitorais, é muito comum deparar-se com panfletos de candidatos, mais conhecidos como santinhos.

Muitos candidatos novos que estão entrando na política, não sabem como fazer o seu marketing eleitoral e nem que existe empresas especializadas que pode auxilia-los nesse processo.

Mas antes de tudo, é importante saber as leis que determinam a permissão de distribuição de santinhos 2020, veja abaixo:

Quais são as regras para a Distribuição de Santinhos 2020 ?

Toda e qualquer propagando realizada fora do período destinado a campanha eleitoral constitui como propaganda eleitoral antecipada e resultará em penalizações, por isso atente-se as datas corretas para cada tema.

A campanha eleitoral para o primeiro turno começa do dia quinze de agosto em diante, seguindo até o dia dois de outubro, por isso separamos algumas das coisas que podem e algumas que não podem ser feitas durante a campanha eleitoral.

Saiba o que está permitido durante a campanha eleitoral:

É permitida a distribuição de santinhos, adesivos e outros impressos.
Propaganda em vias públicas com bandeiras e mesas, desde que não atrapalhe o trânsito e os pedestres.

Alto-falantes após as 08:00 até 22:00, desde que fiquem 200 metros distantes de quartéis militares, escolas, sedes do poder legislativo e executivo, bibliotecas públicas, igrejas e teatros em funcionamento.

Carros de som, assim como minitrios, respeitando o limite de 80 decibéis no nível de pressão sonora, medidos a 7 metros do veículos.
Comício e aparelhagem de sonorização fixas, desde que também seja respeitando o limite de horário: De 08:00 até 00:00.

O financiamento coletivo também é permitido, desde que sigam-se as regras do Tribunal Superior Eleitoral

A distribuição de santinhos, adesivos, carreatas e qualquer outra propaganda devem ser encerradas até as 22:00 do dia 3 de outubro.
No dia da votação, os eleitores podem usar broches, acessórios e adesivos de seu candidato favorito.

Veja o que não está permitido durante a campanha eleitoral:

É terminantemente proibido a distribuição de santinhos no dia da eleição.

  • Todos os outdoors estão proibidos, seja ele impresso ou eletrônico.
    Também está vetado o uso de telemarketing durante a campanha.
    Apesar de adesivos pequenos estarem permitidos, cobrir completamente o carro com adesivos está vetado.
    Também está vetado a distribuição de qualquer brinde durante a campanha. Nem cestas básicas e nem canetas, camisas ou qualquer coisa que seja caracterizado como brinde.
    Simulador de urna eletrônica.
    Contratação de artistas para fazerem show durante comícios também está proibido.
    Propagandas que contenham animações, desenhos e montagens também está vetado.
    Usar cavaletes, faixas, placas ou coisas parecidas também está proibido.
    Está inteiramente vetado após a votação a aglomeração de pessoas com roupas ou bandeiras que possam ser caracterizados como manifestação coletiva, com ou sem carros.
    No dia da eleição também está proibido qualquer tipo de veículo divulgando jingles.
    No dia da eleição, também ficam proibidas as postagens ou impulsionamentos de conteúdos político online.

Conheça a melhor estratégia para Distribuição de Santinhos 2020

Pensando nas regras deste ano, foi desenvolvido uma estratégia de distribuição de santinhos para te auxiliar nesse processo e gerar um retorno positivo para o candidato e até mesmo ao eleitor.

A Distribuição porta a porta, tem sido a opção mais indicada para se obter um reconhecimento de qualidade, isso porque a probabilidade do santinho ser desperdiçado é bem menor, já que os mesmos, serão entregues diretamente em residências e comércios.

Distribuição Porta a Porta

Em alguns casos, a distribuição porta a porta passa a ser mais eficiente, pois as pessoas que recebem esse tipo de material em suas casas acabam dando maior atenção e realmente lendo o que está escrito no panfleto, isso porque em época de campanha eleitoral, a população está em processo de pesquisas de candidatos e uma distribuição bem planejada e segmentada pode ajudar muito em sua decisão final.

Além disso, essa estratégia irá diminui a poluição nas ruas pois dificilmente alguém jogará algo que está na porta da sua casa na rua, e sim na sua lixeira.

Essa é uma ótima opção para candidatos regionais que querem divulgar o seu trabalho em alguma região específica e diretamente aos eleitores que tem maior potencial de votos.

Quais informações devo colocar nos Santinhos?

Primeiramente, antes de se preocupar com tudo isso você deve priorizar o passo principal: Escolher uma empresa especializada.

Procurar por uma boa empresa de criação e distribuição de santinhos é o passo mais importante, pois assim você não precisará se preocupar com esse detalhe.

Por exemplo, a empresa será responsável por criar os seus santinhos de maneira que se encaixem no padrão já estabelecido. Como por exemplo, em papel couché ou em papel reciclato, usando a medida convencional de sete centímetros por dez centímetros e em duas opções de cores: Preto e branco ou colorido.

Uma outra vantagem na escolha de uma empresa de panfletagem, é que quanto mais santinhos forem encomendados, mais barato acabam saindo.

Dicas para impressão dos Santinhos

Um outro ponto importante nesse tópico é o fato de cada santinho ser feito em um trabalho de dupla face, ou seja, esse panfleto político tem dois lados. Isso significa que você não precisa encher um lado só de informações e imagens criando um aspecto visualmente poluído.

Você pode usar na parte frontal uma foto sua junto ao seu slogan, para que o eleitor saiba em quem ele está votando. Quando seu rosto é lembrado, existe uma chance maior de ficar registrado no subconsciente do eleitor e posteriormente ser citado em conversas, o que gera um marketing de boca a boca que aumenta ainda mais o seu alcance.

Enquanto na parte oposta você deve colocar as informações essenciais, como seu partido, outros dados importantes e principalmente, seu número eleitoral. Isso é essencial, por isso é muito importante que seu número esteja destacado na hora da distribuição de santinhos 2020.

Nota da redação

Agora, com certeza você já sabe qual caminho seguir, não é mesmo?

Mas não deixe de contar com uma ajuda especializada, entre em contato conosco! Com certeza poderemos auxiliar você a ter a melhor distribuição de santinhos nestas Eleições 2020.

Gostou do conteúdo?

Então acompanhe nosso Blog e fique sempre por dentro das novidades! Ahh não esqueça de compartilhar com seus amigos de partido.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Após orientação da PGE, governador veta Projeto de Lei de congelamento de preços da cesta básica
Propaganda

Política

Enquanto cuiabanos e várzea-grandenses choram, 139 municípios esperam o ultimato para Emanuel: a “carta”

Publicados

em

O comportamento do prefeito cuiabano do MDB, Emanuel Pinheiro, depende do seu time de coração. Ganharam na segunda-feira no Serrinha contra o Goiás, já foi motivo para começar o seu “joguinho” na mudança do modal do Veiculo Leve sobre Trilhos (VLT) ou o Bus Rapid Transit (BRT) entre as cidades vizinhas, Cuiabá e Várzea Grande.

Porém o que o alcaide cuiabano não esperava foi o ultimato “se o prefeito escrever uma “carta” que não quer ok, tudo bem. Eu vou pegar esse recurso e vamos fazer esse investimento em outro lugar“, disse o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes Ferreira (DEM), nesta terça-feira em Live no site de noticias Mídia News.

Entendam: o Governo do Estado de Mato Grosso detém o crédito e não a escolha de modal, isso cabe a Prefeitura de Cuiabá. Os alcaides das cidades vizinhas de Cuiabá e Várzea Grande, precisam notificar a Caixa Econômica Federal (CEF). Caso Emanuel Pinheiro ou Kalil Baracat não assine a mudança do projeto do Bus Rapid Transit (BRT) ficará no espaço, porque ainda não existe “Projeto”.

Como assim não existe “Projeto”?

Muito bem os internautas do Blog do Valdemir, querem saber o desfecho? Então vamos analisar o dilema de Emanuel Pinheiro: se correr o bicho pega, se correr o bicho come. Nenel Pinheiro foi pego no contra pé e amanhã estará a “carta” que Mauro Mendes quer e que muitos prefeitos não gostariam, e assim o governador mandaria os R$ 400 milhões para os 140 municípios, e Cuiabá ficaria sem o Bus Rapid Transit (BRT).

Então vamos imaginar a “carta” de Emanuel Pinheiro para o Mauro Mendes.

Escrevo está “carta” meu ex-amigo Mauro, com muita raiva. Vou abrir o meu coração, mas, por favor, não leva ao conhecimento da população. Meu ex-amigo político, se por um lado, tornar-se Prefeito de Cuiabá traz mais reconhecimento e salários mais interessantes, por outro, os desafios e as exigências espero que sejam condizentes com tais recompensas. Antes de mais nada, para evitar frustrações, é preciso ter em mente que sair da zona de “conforma” , vai exigir o desenvolvimento de três competências principais: 1) não estou recuando das minhas convicções, estou com medo de perder R$ 400 milhões. 2) não sou humilde, a classe política me conhece, mudei de opinião é porque estou perdendo credibilidade com a população. 3) não acredito Mauro, estou até agora, o xeque mate, este xeque mate, jogou pesado demais. Agora todo mundo vai descobrir que era somente jogo de encenação, para esconder a realidade . Assim Mauro Mendes eu vou mudar, mas saiba que não quero, saiba que não esperava este xeque mate“, “carta” imaginaria de Nenel para Mendes.

Emanuel Pinheiro aproveita e escreva a “carta” no qual é contra o Decreto do governador Mauro Mendes para combater a Pandemia da Covid-19?

Agora, a medida de Emanuel Pinheiro merece os nossos reconhecimentos: vai multar locais com aglomerações. O que escrever com aspas? “multar”, tá bom, não sei o motivo, mas escrevi.

Nota da redação

O mês de janeiro passando, como num estalar de dedos, mas esse início nos trouxe inúmeras lições: janeiro tinha tudo para ser morno por contas dos recessos nos poderes: Legislativo e Judiciário. No entanto, a fábrica de polêmicas do prefeito cuiabano Emanuel Pinheiro não tirou férias.

Volto mais uma vez reiterar que a nossa equipe de reportagem do Blog do Valdemir não tem nenhuma posição política contra e nem a favor de Nenel Pinheiro.

Procuramos sempre elogiar e criticar com base em análises imparciais. A agenda de trabalhos em prol de Cuiabá, por exemplo, é muito boa. A política por outro lado segue ruim.

Emanuel vem acumulando desafetos entre aliados. O caso mais recente é com a “mulher maravilha”. Até quando?

Nenel Pinheiro e a “mulher maravilha” vem travando uma verdadeira batalha nas redes sociais e nos veículos de comunicação. Sem sangue nos olhos até o momento.

Até o dia que Emanuel Pinheiro tomar atitude de um líder e assinar a “carta”.

O prefeito cuiabano tem que aceitar que o jogo acabou. Ou aceita a mudança do modal ou os R$ 400 milhões vão para os 140 municípios do Estado. Estava passando da hora do jogo acabar.

E agora, a que ponto chegamos, “estamos convidando a Prefeitura de Cuiabá e Várzea Grande para participar. Se ele (Emanuel) quiser será bem vindo (…) Se ele falar que não quer o BRT ok. O governo não faz“, palavras do chefe do Executivo Estadual Mauro Mendes.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  "Não tomamos decisão no achismo e nem vendemos ilusões"
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA