SEM ADVERSÁRIO POLÍTICO

E o Mauro como está? Continua jogando nos erros dos adversários

Publicados

em

A movimentação dos partidos políticos chama atenção. Na semana passada, tivemos mais uma vez um caso que anda repercutindo o debate, debate não, porque debate é coisa civilizada.

A verdade é que, desde que alguns partidos saíram derrotados nos dois últimos pleitos eleitorais, os tais líderes e as siglas perderam o controle e, se não tomarem atitudes vão se definhar, caso cometa os mesmos erros de ficarem refém de um projeto pessoal.

Os partidos precisam ter muito juízo. As siglas partidárias têm que estar preocupadas em voltar fortalecido para este pleito de 2022, ocupar os espaços que já ocuparam no passado. Voltar a ser protagonista nas principais disputas.

E quem estiver interesse em saber o que está acontecendo e o que vem depois, visite o Blog do Valdemir sempre. As conveniências mudaram para alguns. Existe na política situações em que as lealdades cedem lugar aos egoísmos e desejos de ocasião. Quem desconhece isso, não faça política, porque mesmo que seja correto, um dia será apanhado por quem não é.

As siglas MDB, PSDB e PT, continuam achando que a disputa é entre cada um deles. Se tivessem bom senso, sentimento democrático e espírito público, os partidos e seus pré-candidatos deveriam entender o caráter da disputa. O primeiro passo é a unidade: renúncia de todos os candidatos em benefício daquele que apresente maior chance de barrar Mauro Mendes. Por causa da arrogância, por causa dos erros, falta de percepção. Mas cada um faz o que é preciso para que aconteça o W.O. nesta Eleição de 2022.

Os tais líderes, precisam entender que, mesmo com muito chão pela frente, a largada foi dada antes do apito oficial, e resta saber se o Democrata (DEM), Mauro Mendes Ferreira, não precisará gastar muita energia para cruzar a linha de chegada. Em nenhum outro momento, desde os primórdios da redemocratização, a disputa rumo ao Palácio Paiaguas ficou tão fácil.

Mauro terá adversário?

A possibilidade da candidatura do Prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB), é uma incógnita. As movimentações dos partidos são para inglês ver e, o “tabuleiro político” já está desenhado: adversários sem votos para preocupar o atual ocupante da cadeira número 1 do Palácio Paiaguas.

MDB descarta candidatura de Emanuel

O deputado federal Valtenir Pereira confirmou o que o Blog do Valdemir já havia publicado: Emanuel não será candidato da sigla emedebista ao governo. Em julho a deputada estadual Janaína Riva disse que Emanuel Pinheiro é irrelevante ao MDB e nem fará falta.

Valtenir disse que; Não tem discussão e nem debate…nós estamos organizando para as chapas de deputados estaduais e federais. Já temos diversos nomes e podemos lançar até 16 federais e 48 estaduais. O foco do MDB está em fazer uma chapa forte de deputados estaduais para eleger de 7 e 8 e fazer no mínimo 3 federais“, disse Valtenir mandando o recado para quem imagina ou sonha com a candidatura de Nenel Pinheiro nesta Eleição de 2022.

O Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), dizem as boas línguas, ainda esta sendo cotado para disputar a eleição ao Governo do Estado em 2022, e defende que o MDB tenha candidatura própria. Bom…, ainda sendo cotado para 2022?

Nesta segunda-feira (13), o prefeito cuiabano espera se reunir com prefeitos e vice-prefeitos do MDB para construir grupo de “oposição” ao governo Mauro Mendes, candidatíssimo à reeleição pelo Partido Democrata (DEM).

Emanuel Pinheiro, defende que o MDB tenha candidatura própria.

Estou propondo uma reunião possivelmente para a próxima segunda-feira com todos os 23 prefeitos do MDB e os 12 vice-prefeitos, é a força municipalista do MDB para uma discussão em Cuiabá sobre o momento político nacional e local”.

Dificuldades de renovação

As estruturas dos partidos são e estão engessadas, hierárquicas e prontos para eleger certas figuras e talvez para trazer um único novo nome.

Na lógica de privilégios quem já está no Poder, o sistema político dá especial atenção aos donos de mandatos ou de cargos que conseguem usar a máquina pública.

Importante ressaltar que a população tem a sua contribuição: tem pequena disposição para mudar o sistema.

Para finalizar vamos deixar duas perguntas: os tais líderes, ainda acreditam que há espaço para construir uma candidatura para disputar contra Mauro? Se todos os mato-grossenses podem votar, por que continuam elegendo pessoas, que representa muito mais os interesses das empresas que os da própria população?

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Políticos de MT fiquem ao lado dos pobres e não de quem constrói usinas
Propaganda

Política

Lúdio propõe PEC para obrigar entidades do Agronegócio a prestarem contas do recurso público

Publicados

em

O deputado estadual do Partido dos Trabalhadores (PT), Lúdio Frank Mendes Cabral apresentou, nesta quarta-feira (15), o Projeto de Emenda Constitucional (PEC) Nº 15/21, para obrigar as entidades privadas que recebem dinheiro público em Mato Grosso a prestarem contas da aplicação desses recursos.

Entre as entidades que atualmente não prestam contas do recurso público que recebem está a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Instituto Mato-grossense do Agronegócio (Iagro), Instituto da Madeira de Mato Grosso (Imad), entre outros.

Diversas entidades do agronegócio recebem recursos de tributos como o Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab). As entidades privadas têm que ter transparência e mostrar como aplicam o recurso público que recebem. A prestação de contas é uma exigência que já existe na Constituição Federal, mas não existe na Constituição Estadual. Nossa PEC é para corrigir o texto da Constituição Estadual e adequá-lo ao texto da Constituição Federal, explicou Lúdio.

Lúdio criticou a existência de fundos privados alimentados com recursos públicos.

Mato Grosso tem uma aberração que é a existência desses fundos, que são contrapartida para renúncias fiscais e são administrados por entidades privadas, são extra-orçamentários, não estão no orçamento do Estado e não seguem qualquer regra de contabilidade pública. Isso é absolutamente inconstitucional“, afirmou.

O deputado apresentou também um requerimento de informações ao governador Mauro Mendes (DEM), ao secretário de Fazenda, Rogério Gallo, e ao controlador-geral do Estado, Emerson Hideki Hayashida, sobre as providências adotadas pelo Estado para cumprir as recomendações feitas pela Controladoria Geral do Estado (CGE) em dezembro de 2018 sobre as irregularidades e ilegalidades na transferência de recursos públicos a entidades privadas e a penalização dos responsáveis.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  “Nosso time esta completo e forte para a eleição suplementar”
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA