LENHA NA FOGUEIRA

“Dentro do MDB não há espaço para Emanuel Pinheiro em 2022”

Publicados

em

A Pandemia mundial causada pelo novo Coronavírus, além de mudar a rotina dos brasileiros, pôs lenha na fogueira da cena política visando as eleições de 2022, e o Blog do Valdemir já vê debates e embates que estavam previstos para aflorar. Na prática, a eleição de 2022, a corrida em direção ao Palácio Paiaguas foi antecipada.

Ainda não é possível cravar se o Brasil terá os pleitos municipais neste ano e nem qual será o calendário a ser definido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

No entanto, a briga para ver quem vai ser o comandante e quem vai sentar na cadeira numero 1 do Estado de Mato Grosso já começou: além de ter como principal pano de fundo dois nomes outrora pareciam do mesmo lado, novos potenciais candidatos podem sair fortalecidos da crise e buscando um espaço na briga pelo Palácio Paiaguas.

Este ano não é de eleições, mas os protagonistas de 2022 já começam a se mobilizar. E não são apenas os que estão de olho no Palácio Paiaguas. Varias lideranças políticas e caciques de partido estão correndo trecho pelas suas bases em todo o Estado de Mato Grosso.

Bom…, época de eleição é sempre assim, muitos querem holofotes, ficar na mídia para mostrar aos seus eleitores que estão trabalhando.

As próximas eleições prometem um cenário ainda mais acirrado do que foram em 2018, e correr na frente é essencial para colher os louros desse trabalho.

E pelo andar da carruagem, o prefeito cuiabano Emanuel Pinheiro (MDB) já começou a traçar seus planos para 2022.

Em uma recente entrevista para à Rádio Nazareno, o emedebista Emanuel Pinheiro deu um sinal que poderá colocar seu nome como candidato nas eleições de 2022 para bater de frente e medir forças nas urnas contra o governador do Partido Democrata (DEM), Mauro Mendes Ferreira.

Se for plano de Deus na minha vida ser candidato a governador do Estado para mudar esse modelo injusto que se administra para poucos, de um governo que ainda não disse para que veio, nós vamos defender essa bandeira. Bom…, está nas mãos de Deus”.

A rixa entre o prefeito cuiabano Emanuel Pinheiro e Mauro Mendes que são considerados inimigos políticos declarados já dura algum tempo e se acentuou durante as eleições municipais de 2020, quando o prefeito conseguiu uma reeleição apertada sobre o candidato apoiado pelo Democrata Mauro Mendes.

Mas se depender da parlamentar estadual, Janaína Greyce Riva, a Mulher Maravilha do MDB, dentro do grupo, não tem nenhum espaço para Nenel Pinheiro construir uma candidatura ao Governo do Estado nas eleições de 2022. E que se ele quiser ser candidato terá que ser em outro partido, menos no MDB.

Dentro do MDB, não tem espaço para Emanuel ser candidato ao Governo na próxima eleição, ele vai precisar construir em outro partido. É um direito dele, foi reeleito prefeito da Capital, mas no MDB, sem chance nenhuma de construir uma candidatura, alfinetou a parlamentar do MDB, Janaína Riva.

Riva, que hoje é defensora ferrenha do governador Mauro Mendes, disse que o grupo liderado por Mauro por enquanto não tem nenhum concorrente para as eleições de 2022.

Tanto é que hoje não se vislumbra concorrente ao grupo do governador Mauro Mendes”.

A deputada estadual afirmou que Nenel Pinheiro não tem demonstrado habilidade necessária para organizar um apoio partidário com a pretensão de concorrer a eleição estadual de 2022.

Conforme a Mulher Maravilha, Janaina Riva, o escândalo envolvendo o prefeito cuiabano Emanuel Pinheiro, o paletó, que foi gravado recebendo maços de dinheiro vai pesar muito contra ele.

Eu jamais apoiaria um candidato filmado roubando, de forma alguma, dentro do partido ele até poderia, mas da minha parte jamais. Acho que ele demonstra que não tem habilidade necessária de construir isso dentro do partido. Então, essa opção está ficando cada vez mais distante“.

Ele poderia construir isso dentro do partido? Talvez, se tivesse uma atitude diferente. Agora, com essas atitudes de confronto a todo momento, essa possibilidade fica cada vez mais distante. Acho que o Bezerra já deu esse recado quando convidou o governador Mauro Mendes a se filiar ao MDB. Aqui, em 2022, não tem espaço para ele ser candidato a governo“.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  XXIII Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios acontecerá em outubro
Propaganda

Política

MPF consegue na Justiça que trecho da BR-158 que intercepta a TI Maraiwatsédé (MT) seja fechado

Publicados

em

O Ministério Público Federal (MPF) garantiu na Justiça Federal o fechamento do traçado da rodovia BR-158, que corta o interior da reserva indígena Marãiwatsédé, localizada na região de Barra do Garças. O procurador da República Everton Pereira Aguiar Araujo ajuizou ação civil pública (ACP) contra a União, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

A ACP foi motivada pela não resolução consensual entre os entes, e inclusive foi realizada audiência pública promovida pela Câmara dos Deputados em 2018. Na ocasião, o procurador ressaltou que o traçado cortando o interior da Terra Indígena (TI) foi uma das causas e um dos catalisadores da ocupação da área por não indígenas, bem como por novos posseiros.

Conforme a ACP, o traçado da BR-158, que intercepta de norte a sul a TI Marãiwatsédé, afeta diretamente aspectos culturais e existenciais dos povos Xavantes ali residentes. Além disso, o trânsito interno de veículos pesados, além de ocasionar a morte de espécies da fauna nativa, traz risco de acidentes para a população indígena.

O MPF argumentou também que a presença de pessoas alheias à cultura indígena no interior da TI pode gerar conflitos com os residentes. Da mesma forma, uma rodovia que serviria para escoar a produção agrícola da região, de alta demanda, embaraçaria o livre exercício da posse de terra tradicionalmente ocupada.

Nesse sentido, uma rodovia pavimentada no interior desse território facilitaria a perpetração de delitos ambientais como, incêndios e desmatamentos, que prejudicam sobremaneira as atividades de subsistência dos povos indígenas, mormente considerando que eles utilizam preponderantemente a caça para obter alimentos.

Na sentença, a juíza federal Danila Gonçalves de Almeida afirma que a medida mais importante e urgente para preservar os interesses dos indígenas de forma definitiva seria a conclusão do traçado leste, extraindo o trânsito de veículos do interior da TI Marãiwatsédé.

Dessa forma, a União e o Dnit devem abster-se da pavimentação do trecho que corta a TI Marãiwatsédé, promover o seu fechamento e reflorestamento para garantir a recuperação ambiental.

Devem também iniciar, de forma urgente, as obras referentes ao traçado leste da BR-158, respeitando, na elaboração do trajeto, as aldeias antigas, cemitérios e demais locais sagrados para a comunidade indígena. Devem ainda, no prazo de dezoito meses, apresentar o Plano Básico Ambiental e o Estudo de Componente Indígena, como condicionante para a licença de instalação.

Em relação ao Ibama, a instituição não deve expedir licença ambiental quanto ao trajeto da BR-158 que corta a TI Marãiwatsédé.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  “Verticalização da produção tem que vir acompanhada de qualificação profissional”
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA