Política

Com Pedro fora do ninho, tucanos voam levando nome de Nilson Leitão

Publicados

em

O seu objetivo era disputar o Senado da Republica, mas acabou sendo “fritado” no ninho tucano, e com isso, José Pedro Gonçalves Taques oficializou sua saída do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB).

A saída Pedro Taques ocorre logo após o seu isolamento dentro do ninho tucano por parte de algumas lideranças da sigla que diziam que Taques só apareceu no PSDB para se filiar após sua saída do PDT, e lançar sua candidatura ao Governo do Estado e nunca sequer apareceu para participar de reuniões, e depois desapareceu do Diretório Estadual.

Membros do Diretório Estadual no dia do lançamento de Nilson leitão como o candidato do partido para representar os tucanos nesta eleição suplementar no dia 26 de abril, são de que o ex-governador Pedro Taques estaria interessado em ser o candidato sem ser aprovado pela maioria na convenção partidária.

O que ele estava fazendo com o PSDB é uma verdadeira piada, só apareceu aqui para assinar ficha de filiação e depois veio para lançar sua candidatura, não esteve presente em nenhum debate político de grande interesse no Diretório, esta com uma rejeição grande e ainda queria dar as cartas como o nome para o senado”.

Nilson Leitão foi oficializado como candidato dos tucanos na semana passada como pré-candidato ao Senado pelo PSDB. E segundo Carlos Avalone Junior, presidente do Diretório Estadual, afirmou que tanto ele (Avalone), quanto Nilson Leitão esteve reunido com Pedro Taques para lhe dizer que ele poderia colocar seu nome para uma disputa na convenção marcada para o dia 11 de março, mas Taques havia afirmado para ele e Leitão que não tinha interesse em participar da eleição suplementar.

Isolado, Pedro Taques pretende agora ir para o Partido Solidariedade ou para o Cidadania, para resgatar sua credibilidade política caso vença a eleição suplementar.

Pedro Taques agora aguarda um posicionamento de uma consulta realizada pelo Partido Cidadania junto ao Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Mato Grosso (TRE/MT) de que ele pode disputar a eleição suplementar marcado para o dia 26 de abril sem ter completado seis meses de filiação ao novo partido.

Para a alegria de muitos e tristeza de poucos, o ex-governador José Pedro Gonçalves Taques, nesta segunda-feira (2), protocolou sua desfiliação da sigla no Cartório da 39ª Zona Eleitoral. Taques em seu documento que também chegou de ser enviado para a direção do PSDB Municipal de Cuiabá, pede que seu nome seja retirado da lista de filiado do PSDB.

Em entrevista a uma emissora de Rádio da Capital, o presidente do Diretório Estadual, Carlos Avalone Junior, disse que Pedro Taques teve uma ascensão muito rápido de vida publica, como Senador e Governador do Estado de Mato Grosso.

Junior disse que tentou convencer Pedro Taques permanecer na sigla e ajudar o partido nesta eleição suplementar e também na eleição para a Prefeitura de Cuiabá, mas não teve êxito.

Avalone diz também que foi o primeiro a recebeu o comunicado do próprio Pedro Taques de sua desfiliação, mas que foi a escolha dele próprio.

Segundo Avalone, Pedro Taques vai voltar ao processo político com o tempo e no tempo certo, mas que ele espera o resultado da consulta que foi realizada junto ao TRE.

Nós estamos analisando e vendo, que existe um movimento no tabuleiro que esta sendo mexido no processo político, e uma jogada de mestre têm que ser bem feita”.

O PSDB segundo Avalone Junior, esta focado no nome de Nilson Leitão que foi o escolhido para representar os tucanos nesta eleição suplementar e se prepararem também para a eleição municipal com o nome de Luiz Carlos Nigro.

Nigro esta com sangue nos olhos, e isso é bom, muito bom, mostra que o candidato esta focado e com vontade de vencer”.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Bezerra garante que Pinheiro será o candidato do MDB

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Política

Bezerra garante que Pinheiro será o candidato do MDB

Publicados

em

Ainda é cedo para pensar nas eleições, você deve imaginar enquanto está mais preocupado em fugir para a praia mais próxima. Pois, para partidos e lideranças políticas, este já é o momento de começar a pensar nas estratégias para a disputa das Prefeituras e Câmaras de Vereadores, marcada para o fim do ano.

A Emenda Constitucional 97/2017 acabou com as coligações partidárias a partir das eleições de 2020.

Se na Eleição de 2020 os votos válidos forem próximos aos números apresentados na eleição de 2016, o quociente eleitoral ficará alto demais para muitos vereadores, em virtude do aumento do número de vagas, ou seja, para que um partido eleja um candidato, ele terá que obter no mínimo o dobro de votos da eleição passada.

Com essa nova situação apresentada para as Eleições de 2020, nos últimos dias surge uma correria por parte dos vereadores, na busca de um partido que venha a lhe dar sobrevivência política, e com a abertura da “Janela Partidária” que permitiu a mudança de partido e, desse modo, esse quadro ainda poderá sofrer algumas alterações.

Em Cuiabá, esta acontecendo um verdadeiro corre-corre de vereadores e apoiadores após a declaração do emedebista Emanuel Pinheiro, Prefeito de Cuiabá, dizendo que no momento esta preocupado com aPandemia do Coronavírus, e não tem intenção de colocar seu nome novamente para a aprovação popular, e que poderia apoiar o nome do presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (Al/MT), deputado estadual José Eduardo Botelho do Partido Democrata (DEM), nas eleições municipais em Cuiabá.

Alguns aliados já começaram apegar o seu banquinho e sair bem de mansinho, caso o prefeito cuiabano Emanuel Pinheiro não venha concorrer à reeleição.

O posicionamento de Emanuel Pinheiro fez acender um alerta dentro da sigla partidaria, e com isso esta sendo agendado para os próximos dias uma reunião de todos os emedebistas para discutir o assunto não reeleição de Emanuel Pinheiro.

Liderado pelo deputado federal Carlos Gomes Bezerra, o MDB se prepara para ter candidatos próprios nas principais cidades do Estado, inclusive a capital. Segundo o cacique emedebista, em Cuiabá o partido deverá lançar um nome para a disputa local e o nome é de Emanuel Pinheiro.

O cacique e presidente estadual da legenda no Estado de Mato Grosso, o deputado federal Carlos Gomes Bezerra comunicou a todos a respeito da agenda e afirmou que Emanuel Pinheiro será o nome do MDB nas próximas eleições.

O Emanuel Pinheiro será candidato e pronto. Isso já está decidido. Só que ele não pode anunciar agora porque tem que cuidar da “Pandemia””.

O presidente estadual do MDB Carlos Bezerra afirmou que as conversas eleitorais ficaram paralisadas por conta da Pandemia da Covid-19. Mas que, com a definição do adiamento das eleições para o dia 15 de novembro, o partido começará a se preparar para a disputa no Estado.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Emanuel dá sinais claros de que está fora da disputa eleitoral 2020
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA