O CUIDADO COM AS MEXIDAS DA PEDRA DO XADREZ

Cobranças públicas, ameaças veladas, agonia de Nenel com Wellton, segundou!

Publicados

em

Há 358 dias para as eleições, as parcerias começam a se alterar de um estado de “lua de mel”, para cobranças públicas e ameaças veladas.

Na semana passada em entrevista para a Rádio Capital, o prefeito cuiabano, o emedebista Emanuel Pinheiro, mostrou a sua agonia com as viagens constantes do Senador do Partido Liberal (PL), Wellington Antônio Fagundes com o governador Democrata (DEM), Mauro Mendes Ferreira pelo interior do Estado.

Quer saber as razões, então continue a leitura e ficará sabendo no final da matéria

Sinal laranja está ligado

Está havendo uma mudança sutil no relacionamento de alguns aliados com o Governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, dando sinais que o “sinal laranja”, que é um sinal de alerta está ligado e “caminhando para o vermelho”.

Neste momento os políticos “aliados” não querem se expor contra um governo que está bem avaliado pela opinião pública. Entretanto, as peças estão se movimentando.

Bom…, este editor diz que:

Eles precisam de BL (banho de luz), das maquinas fotográficas, câmeras de TV, presença de jornalistas. A eleição está bem aí batendo na porta deles, precisam aparecer para os eleitores, mostrar que estão trabalhando. Trabalhando….? Entregando tratores comprados pelo Governo do Estado?“.

Vamos lá…, algumas peças do “tabuleiro político” se movem pela expectativa de Poder, por isso, não há dúvidas de que irá abandonar Mauro Mendes.

Isso nos remete no ano 2018, na qual houve uma debandada no governo de Zé Pedro Taques, o que deteriorou as condições políticas de Pedro para enfrentar uma eleição contra Mauro Mendes.

Vejam as movimentações dos “descontentes”, as fissuras coincidem com os possíveis integrantes do bloco à reabilitação eleitoral de Nenel Pinheiro. Para os caciques da política mato-grossense, as próximas peças que Mauro Mendes vai deslocar e terá papel decisivo.

Tive que ligar para o meu amigo para saber se as “traições” serão por ideologia, ele respondeu que, abandonar ou não Mendes será movido por ideologia, sentimento de Poder e circunstâncias municipais.

Segundo o meu amigo, o comportamento de alguns aliados, já era esperado pelo Palácio Paiaguas, afinal estamos em ano pré-eleitoral.

Assembleia Legislativa

No caso da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (ALMT), embora o presidente da Casa de Leis, o deputado estadual Max Joel Russi (PSB), tenha o compromisso de colocar os Projetos do Governo para tramitar, podem ficar ciente: a lua de mel vai acabar, prestem atenção o que ocorrerá nos próximos dias.

E, sem uma união ideológica de um projeto comum entre parlamentares e governo, restam-se as “negociações”: a liberação de emendas ao orçamento e cessão de cargos, que possam resultar em prestígio para os parlamentares nas bases eleitorais.

Nesse caso a Lei de Diretrizes Orçamentaria, a LDO 2022, é o instrumento capaz de enfraquecer o Democrata Mauro Mendes. A formula de emendas, cargos e solenidades, ajuda a segurar apoio, mas não consolida um casamento de interesses que vão além deste ano.

A “Oposição” e os “descontentes” irão tentar esticar a aprovação da Lei Diretrizes Orçamentárias (LDO) ao máximo. Quando mais o tempo passa, mas o preço aumenta. Estamos falando de nomeações, emendas, indicações.

Acorda Mauro

O MDB, do cacique Carlos Gomes Bezerra, está trabalhando a todo vapor com vista as Eleições Gerais de 2022 e luta para desvencilhar do seu governo. A sigla está de olho no capital político em Rondonópolis. Está de olho em Wellton.

Ainda não temos nada fechado, estamos conversando, eu acho o Wellington Fagundes é um grande nome, se ele desvincular dessa tendência palaciana estadual“, disse Emanuel Pinheiro em entrevista à Rádio Capital.

O melhor da entrevista foi quando Nenel Pinheiro disse:

Wellington está na lista de eliminação na chapa de lá, ele jamais vai ter espaço nesse grupo e precisa entender isso. Enquanto ele fica flertando lá, ele se afasta daqui. É uma decisão dele, eu respeito, ele que sabe.

Nenel Pinheiro falou e o Blog do Valdemir anotou: se Wellton continuar no mesmo joguinho, vai acabar cavando a própria sepultura.

Vish…, o menino da Rua Joaquim Murtinho, não precisa disso, você ainda não sabe o que quer e fica cobrando de outros. Tu és engraçado ex-líder do Prefeito Frederico Campos.

Nenel Pinheiro…, respira…, acalma…, escuta teu coração. Você sabe o que precisa fazer.

Você está com medo de ouvir que precisa tomar uma atitude mais rápido possível? Não quer aceitar que precisa tomar outro rumo? É Nenel, concordo contigo, mais fácil ficar do jeito que está, senão…bem deixa prá lá né Nenel?

Segundou e o Blog do Valdemir começou com o menino da Rua Joaquim Murtinho e o alerta para Mauro Mendes: cuidado com as traições políticas.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  PSL quer crescer o DEM parar de encolher
Propaganda

Política

Projeto que proíbe governo de propor o passaporte da vacina é aprovada na ALMT

Publicados

em

Com o avanço da corrida para a vacinação anti-Covid-19 em diversos países do mundo, de forma a tentar controlar as continuidade dos numerosos casos de infecções pelo Coronavírus SARS-CoV-2 e suas consequências, têm surgido nova polêmica, “o passaporte vacinal“.

Países do mundo todo estão apostando nas vacinas para sair desta pandemia, porém os governos agora enfrentam outra questão: será o momento de retomar certa parte da economia como viagens, teatros, shows e até mesmo o trabalho para todos? Ou somente para quem já foi vacinado?

As vacinas têm se mostrado eficazes no combate à Pandemia, incluindo na redução dos casos graves e hospitalizações. Isso significa que se as empresas, locais de trabalho e fronteiras forem reabrir, uma maneira de reduzir o risco de um novo surto seria exigir algum tipo de prova de vacinação na entrada, que poderia ser um passe de saúde ou um passaporte de vacina.

O assunto gera debates, já que na maioria dos países a vacina não será obrigatória, e o ritmo da vacinação significa que muitos de nós ainda teremos de esperar por muito tempo. Além disso, há quem não possa tomar por questões médicas, enquanto outros podem alegar crenças religiosas incompatíveis com a vacinação. Com isso, permitir certas liberdades e privilégios para aqueles que tomaram as doses provavelmente seria visto como discriminatório por muitas pessoas.

O Projeto de Lei n° 417/21 visa criar o Passaporte Digital de Imunização, quanto à vacinação da Covid-19. O objetivo é aumentar o controle sanitário sobre locais com aglomeração de pessoas. O texto, de autoria do deputado estadual Paulo Roberto Araújo (Progressistas) tramita na Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (ALMT).

Segundo a proposição, o Passaporte Digital de Imunização poderia ser exigido para autorizar a entrada em eventos e locais públicos, utilização de meios de transporte coletivos, sejam: terrestres ou aéreos, bem como em qualquer local em que a aglomeração de pessoas exija controle sanitário com o intuito de aumentar a segurança da população.

E por 13 votos os deputados estaduais derrubaram o parecer contrário da Comissão de Saúde e aprovaram em primeira votação, na manhã desta quarta-feira (20), o Projeto de Lei 780/2021 de autoria da deputada estadual Janaína Greyce Riva (MDB) que proíbe a implantação por parte do poder público de um passaporte sanitário ou da vacina como popularmente vem sendo chamado, em Mato Grosso.

Numa sessão que contou com discussões acaloradas na Tribuna da Casa de Leis, e que contou com a galeria repleta de apoiadores ao Projeto, Janaína Riva defendeu que o passaporte fere o artigo 5° da Constituição Federal que trata do direito de ir e vir do cidadão.

Eu sou a favor da vacina, tomei as duas doses e tomaria uma terceira se eu tivesse direito inclusive, mas também sou a favor da liberdade. A nossa discussão não é sobre a vacina, mas sobre o cerceamento do direito das pessoas de ir e vir, bem como a segregação e o controle social por trás desse passaporte. Já pensou as pessoas serem proibidas de entrar numa igreja? Ninguém tem o direito de fazer isso. Eu citei igreja, mas falo também do comércio. De serem impedidas de ir ao mercado por que não se vacinaram”, disse.

A parlamentar do MDB, Janaína Riva explica que o projeto dela trata apenas das igrejas, comércios e congêneres, não se estendendo ao ambiente público. A parlamentar trouxe à tona na tribuna o caso de uma mãe que perdeu a guarda do filho por não querer se vacinar.

Se vacina quem quer e alguns não podem vacinar por limitações religiosas. É direito individual de cada um à integridade física e sobre o próprio corpo. Estar vacinado não significa estar isento de cuidados como uso de máscara e higienização das mãos e ambientes, até porque nenhuma vacina tem 100% de eficácia. Precisamos retomar o rumo do desse país, o comércio já foi prejudicado demais. Não podemos deixar que o radicalismo impere”, finalizou.

Agora, a proposta vai à segunda votação e segue para sanção do governador Mauro Mendes (DEM). Deputados como Faissal Jorge Calil Filho (PV), Ederson Dal Molin, o Xuxu Dalmolin (PSC), Gilberto Moacir Catani (PSL), dentre outros, fizerem a defesa do Projeto da parlamentar Janaína Riva.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Doria quer voto em papel nas prévias do PSDB
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA