EVITAR CONTAMINAÇÃO PELO CORONAVÍRUS

Várias cidades já anunciaram que não haverá Carnaval em 2022

Publicados

em

Ainda que a imunização completa de brasileiros e brasileiras tenha chegado a cerca de 61% da população e os números da Covid-19 tenham caído, algumas cidades, a maioria em São Paulo, já cancelaram o Carnaval de 2022.

Mesmo em cidades com forte tradição carnavalesca, como Salvador, Recife e Olinda, prefeitos e governadores de direita, que querem realizar a festa de qualquer jeito, enfrentam resistência dos de esquerda, que querem proteger a saúde das pessoas.

O temor das autoridades da área da saúde, inclusive da Organização Mundial da Sáude (OMS), é de que o surto de contaminações que tomou conta da Europa atinja o Brasil, após as aglomerações típicas da ‘maior festa brasileira’.

E a experiência recente vivida pelo Brasil e outros países, justifica a preocupação. No começo de 2021, o Brasil enfrentou uma segunda e mais agressiva onda de contaminações pelo Coronavírus que, segundo especialistas, ocorreu por causa da flexibilização de regras de distanciamento social e pelo relaxamento nos cuidados para evitar a transmissão do vírus.

As festas de fim de ano e viagens de férias foram decisivas para que novas cepas se propagassem matando mais milhares de brasileiros.

O médico sanitarista Gonzalo Vecina, um dos fundadores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), alertou que a pandemia no Brasil só vai acabar quando não houver mais casos em outros países.

Há possibilidade de novas variantes e de tudo começar de novo”, disse o médico.

Ele explicou que apesar de a vacinação no Brasil ter diminuído o número de casos, após seis meses da imunização os anticorpos tendem a baixar o que torna as pessoas mais suscetíveis à contaminação.

Diferente de ambientes fechados, não há como controlar as pessoas que se encontram nas ruas. Quando há controle, tem risco baixo”, ele diz, reforçando que aglomerações de Carnaval o risco aumenta também porque haverá pessoas que não foram vacinadas. Para o médico, realizar atividades no Carnaval 2022 é uma ‘ideia doida’.

Ele alerta ainda que o país recebe muitos turistas europeus para o Carnaval e isso pode causar um aumento de casos por aqui. A Fundação Osvaldo Cruz (FioCruz) também alertou para os riscos ressaltando, em nota técnica, a necessidade de se debater a manutenção de medidas de distanciamento físico e de proteção individual no Brasil.

A entidade também cita a desaceleração do ritmo de vacinação da primeira dose contra a Covid-19 no país. De acordo com especialistas, a pandemia só pode ser considerada controlada quando mais de 75% da população está com o esquema vacinal completo, ou seja, as duas doses ou dose única a depender do imunizante.

Confira as cidades onde o Carnaval de 2022 já foi cancelado:

Em Belo Horizonte, a prefeitura já definiu que não patrocinará o Carnaval 2022. No entanto, grupos e blocos estão organizando suas atividades de forma independente.

No Espírito Santo, por enquanto a única decisão por cancelar o carnaval foi tomada na cidade de Guarapari, após reunião realizada entre a Secretaria de Turismo da cidade e representantes das escolas de samba e blocos carnavalescos, no dia 3 de novembro. O motivo é que a cidade ainda não tem 90% da população vacinada.

No Paraná, o vice-líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Cobra Repórter (PSD),entrou com um requerimento de cancelamento da festa alegando a necessidade de manter baixa a taxa de contaminação no estado.

No Estado de São Paulo, mais de 70 cidades já cancelaram o carnaval, todas no interior paulista.

Veja a relação:

• Águas de Lindóia
• Altinópolis
• Américo Brasiliense
• Amparo
• Barrinha
• Borborema
• Botucatu
• Cabreúva
• Caconde
• Caçapava
• Campo Limpo Paulista
• Cássia dos Coqueiros
• Cunha
• Descalvado
• Dobrada
• Dumont
• Franca
• Gavião Peixoto
• Guariba
• Guatapará
• Holambra
• Iacanga
• Ibitinga
• Itápolis
• Itatiba
• Itupeva
• Jaboticabal
• Jacareí
• Jaguariúna
• Jarinu
• Jundiaí
• Lagoinha
• Lindóia
• Lins
• Louveira
• Migelópolis
• Motuca
• Mogi das Cruzes
• Monte Alegre do Sul
• Monte Alto
• Monteiro
• Natividade da Serra
• Nova Europa
• Paraibuna
• Pedreira
• Pitangueiras
• Poá
• Potirendaba
• Pradópolis
• Redenção da Serra
• Rifania
• Rincão
• Roseira
• Salesópolis
• Santa Ernestina
• Santa Isabel
• Santo Antônio do Pinhal
• Santa Lúcia
• Santa Cruz da Esperança
• Santa Rosa do Viterbo
• Santo Antônio da Alegria
• São Bento do Sapucaí
• São Luiz do Paraitinga
• São Simão
• Serra Negra
• Socorro
• Suzano
• Taquaritinga
• Taubaté
• Ubatuba
• Valinhos
• Várzea Paulista
• Vinhedo

Em Bauru, também no interior de São Paulo, a prefeita bolsonarista Suellen Rosim (Patriota), afirmou que a prefeitura não organizará, mas liberou festas de rua para quem quiser fazer.

Veja onde o Carnaval 2022 ainda está sendo discutido ou confirmado

Em Florianópolis, a prefeitura já confirmação a realização do Carnaval de rua e blocos no ano que vem.

Em Manaus, o carnaval também está confirmado com apoio financeiro, inclusive, da prefeitura.

Em Salvador o carnaval ainda está indefinido. Os trios elétricos com animação de artistas famosos são tradição na cidade e leva milhares, até milhões de pessoas às ruas da capital baiana. O prefeito da cidade, Bruno Reis (DEM), já se manifestou a favor da realização. O governador do estado, Rui Costa (PT), por sua vez, é contra e já anunciou que se houver Carnaval a Polícia Militar não fará a segurança. Ainda assim, nesta semana deve haver uma reunião entre os dois para definir se o Carnaval será ou não realizado.

O vírus está ensinando que a humanidade precisa ter humildade e ouvir a ciência. Precisamos ter mais amor pelo próximo e atitudes solidárias. Algumas pessoas, mesmo com um ano e meio de pandemia não conseguiram ser tocadas por essa mensagem de respeito. No anseio de realizar um sonho festivo ou empresarial esquecem do drama que vivemos. Não vou colocar a população em risco, colocar a cabeça no travesseiro e ter em mente que seria responsável por centenas de mortes”, disse Rui Costa.

Ainda na Bahia, em Porto Seguro, a prefeitura tem dito que é prematuro anunciar a festa, mas ao mesmo tempo vem estimulando o comércio de turismo com a divulgação da alteração do percurso do Carnaval 2022. As vendas de ‘passaportes’ para festas particulares como o Carnaporto Axé Moi Folia, que tem como um dos organizadores o ex vice-prefeito da cidade e empresário Humberto Adolfo Gattas Nascif Fonseca Nascimento, conhecido como Beto do Axé Moi, estão à venda.

Em Recife, onde a tradição são os blocos de rua, também há um impasse e pressão sobre setores empresariais para que a prefeitura realize a festa. Mas, por enquanto, a administração da capital pernambucana informou que seguirá as orientações de autoridades sanitárias, governo do estado e do Ministério da Saúde, assim como a vizinha Olinda.

Recife entende que apenas com a superação da pandemia será possível assegurar o evento, com as características deste ciclo cultural da capital pernambucana“, diz nota da prefeitura.

Há ainda incerteza sobre a realização em outras cidades de Pernambuco em que o Carnaval também é tradicional. A Capital do Forró, Caruaru, Pesqueira e Bezerros são exemplos de cidades que ainda aguardam as diretrizes do governo do estado para uma decisão. Em entrevista à imprensa local, o secretário de Saúde do Estado de Pernambuco, André Longo, afirmou que ainda é cedo para qualquer decisão mas cenários estão sendo discutidos para os eventos.

Em João Pessoa, na Paraíba, a festa de réveillon na praia está confirmada, mas como na capital paraibana, tradicionalmente, não há festividades no período de Carnaval, apenas algumas atividades como o Projeto Folia de Rua, as autoridades ainda estão discutindo se liberam.

O prefeito Luciano Cartaxo (PP) quer liberar as aglomerações, mas o governo do estado, liderado por João Azevedo (PSB) quer restringir acesso de pessoas a 50%. Várias prefeituras do estado aguardam a decisão tanto do governo do estado sobre medidas de prevenção à contaminação para se posicionarem.

No Ceará, o governador Camilo Santana (PT) já posicionou contra a realização de grandes eventos como o réveillon e o carnaval. Ele afirma que seria uma tragédia par ao estado enfrentar nova onda de casos de Covid-19 após as aglomerações.

Já na capital paulista, ainda falta a aprovação de órgãos de saúde, mas já está prevista a realização do Carnaval de rua com os tradicionais blocos. Até agora já são cerca de 870 blocos inscritos para desfilarem entre 19 de fevereiro e 6 de março.

No Rio de Janeiro a Secretaria Municipal de Saúde considera que há segurança sanitária, portanto desfiles das escolas de samba e blocos carnavalescos serão realizados.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Eduardo Paes no PSD terá repercussões políticas em MT
Propaganda

Geral

Veículos serão removidos se estacionar em local prioritário

Publicados

em

Estacionar o veículo em local proibido, não usar cinto de segurança ou até usar o celular conduzindo um automóvel, mesmo que seja só por um minutinho, pode resultar em multa e alguns pontos na carteira. O Comando de Polícia Polícia Militar (PM/MT), assim como a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) tem alertado a população quanto a estas infrações do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o que têm sido registradas com frequência o desrespeito. Além da aplicação das sanções previstas, o veículo pode ser guinchado ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e ao pátio da SEMOB.

Nesta semana, a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) retoma a “Operação Tolerância Zero” contra motoristas e motociclistas que estacionam em vagas reservadas para idosos, pessoas com deficiência (PCD) ou com mobilidade reduzida. De acordo com o secretário de Mobilidade Urbana (Semob), Juares Samaniego, as primeiras operações serão orientativas, mas, no mês de fevereiro os agentes de trânsito começam a aplicação do auto de infração.

Os agentes também orientarão os motoristas quanto ao não uso das calçadas e a entrada e saída de veículos como estacionamento.

Aos que que não respeitarem a Lei de Trânsito, os veículos poderão ser autuados e removidos. Para o secretário de Mobilidade Urbana, Juares Samaniego, alguns motoristas ainda insistem em “errar” e praticar a infração que é também uma “falta de educação” no trânsito.

Infelizmente, a falta de bom senso ou falta de educação continuam sendo praticadas por alguns motoristas/motociclistas. Todos os dias há alguns motoristas usando vagas prioritárias. Recebemos muitas reclamações dos cidadãos com deficiência ou idosos que se veem impedidos de utilizarem essas vagas porque estão sendo usadas por aqueles que não necessitam delas. Infelizmente, esses cidadãos são os que mais reclamam dos agentes, mas não olham para os próprios erros cometidos no dia-a-dia no trânsito. Para esses motoristas eu peço, tenham consciência“, lamentou o secretário.

Estacionar em vagas reservadas aos deficientes e idosos sem credencial pode resultar na remoção do veículo, 7 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e R$ 293,47 de multa.

Os agentes também orientarão os motoristas quanto ao não uso das calçadas e a entrada e saída de veículos como estacionamento. A fiscalização ocorrerá também dentro dos shoppings e supermercados da capital. A fiscalização nestes locais é legal e consta no artigo 21 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), e nos estatutos dos idosos e PCD.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Ex-ministro palestra em workshop sobre os desafios da economia brasileira para 2018
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA