REFLEXOS DA PANDEMIA

Tribunal de Justiça vai distribuir cestas básicas às famílias carentes do Estado

Publicados

em

O Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso (TJ/MT), por meio da Justiça Comunitária, iniciará a entrega de cestas básicas às comunidades carentes, dando seguimento à rede de solidariedade para minimizar os impactos e reflexos da Pandemia da Covid-19.

As vans do Poder Judiciário foram carregadas nessa terça-feira (23) com os donativos doados pela Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc) e seguirão para as famílias que estão afastadas dos grandes centros e têm passado por extrema dificuldade nesse período de crise.

A distribuição das doações começará na próxima semana pela região do Pantanal, que também receberá doação de roupas, além de serviços da Justiça Comunitária, como orientações e esclarecimentos sobre Auxílio Emergencial, Previdência Social, requisição de segunda via de certidões, entre outros.

A tratativa se deu entre a presidente do TJMT, desembargadora Maria Helena Póvoas e o juiz José Antonio Bezerra Filho, coordenador da Justiça Comunitária, em continuidade às ações sociais que ocorreram no ano passado durante a pandemia e foram exitosas.

Essa ação da Justiça Comunitária foi definida com a presidente Maria Helena Póvoas, extremamente sensível à causa e atendendo os anseios da comunidade nos autorizou servir essas pessoas que tanto precisam. Isso mostra o comprometimento do Poder Judiciário de Mato Grosso voltado para a população carente e excluída no contexto social“, disse o magistrado.

O juiz explicou que as entregas serão feitas respeitando todas as normas de biossegurança e cuidados, assim como foi realizada no ano passado. Um cronograma está sendo elaborado para contemplar diversas localidades em Mato Grosso.

O momento é de crise e essas famílias precisam da ação concreta. As várias iniciativas da Justiça Comunitária, autorizadas pela presidente, vão abranger diversas regiões do Estado. Nosso foco é levar essas doações e serviços àquelas famílias que estão mais afastadas, onde é difícil de chegar. O carinho e liderança da desembargadora-presidente frente ao Poder Judiciário nesse momento tão difícil mostra que a mulher faz a diferença“.

Há um ano as famílias carentes têm sofrido com o impacto da pandemia trouxe, principalmente aqueles em situação de vulnerabilidade. As doações chegam em boa e para a secretária de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc), Rosamaria Carvalho são ações como estas que fazem a diferença.

O Governo do Estado tem trabalho para tentar diminuir com o sofrimento das pessoas mais vulneráveis, e parcerias como a do Tribunal de Justiça somam esforços para atingir cada vez mais famílias que precisam de ajuda. Projetos como os que a Justiça Comunitária realiza auxiliam para que os alimentos cheguem na casa de quem realmente passa por dificuldades e não têm condições de adquirir o básico para sobreviver“.

Ações

Os trabalhos realizados pela Justiça Comunitária não parou durante toda a pandemia. Os agentes de Justiça e Cidadania realizaram 12.053 atendimentos, além de ações pontuais da Justiça Comunitária como doações de roupas, óculos e alimentos às famílias mais carentes de várias regiões visitadas.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Sorteados do Nico Baracat III ainda não responderam chamamento para análise documental
Propaganda

Geral

Campanha de vacinação alerta para baixa adesão de adolescentes

Publicados

em

Cerca de metade do público de 12 a 17 anos estimado pelo Ministério da Saúde (MS) para Cuiabá fez o cadastro para receber a vacina contra o Coronavírus na capital até o momento. Segundo informações da coordenação da campanha, a meta prevista é de 53.824 adolescentes, e desse montante aproximadamente 26 mil fizeram o cadastro.

Quando liberamos o cadastro deste grupo, tivemos uma grande procura no começo. Os 26 mil cadastros foram feitos logo na primeira semana, mas depois disso não tivemos mais adolescentes se cadastrando”, revelou Valéria de Oliveira, coordenadora da campanha de vacinação.

Ela conta ainda que todos as pessoas deste grupo já foram agendadas.

Já liberamos as agendas para todos os adolescentes cadastrados. Temos pessoas de 12 a 17 anos agendadas até esta quinta-feira (21). Não temos mais ninguém dessa faixa etária no cadastro depois disso. Pedimos aos pais ou responsáveis por adolescentes que ainda não tenham feito o cadastro que façam o quanto antes, para darmos prosseguimento à imunização deste grupo”, pediu a coordenadora.

Segunda dose e dose de reforço

Valéria também alerta sobre a baixa procura para pessoas que precisam tomar a segunda dose de Pfizer e a dose de reforço.

Recentemente o Ministério da Saúde liberou para as pessoas tomarem a segunda dose de Pfizer 56 dias após a primeira, mas depois disso parece que as pessoas esqueceram que precisam receber essa segunda aplicação. Além disso, a procura de dose de reforço para idosos a partir de 70 anos e trabalhadores da saúde também está pequena. Nós, da vacinação, convocamos todo este público que venha aos polos de vacinação ou unidades básicas de saúde que aplicam as vacinas para tomarem sua dose e completar o esquema vacinal”, concluiu.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  MT Hemocentro precisa de doações para o período de Carnaval
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA