Geral

Primeiro caso de “Coronavírus” o “Covid-19” em MT

Publicados

em

O “Coronavírus” da China deixou o mundo em estado de alerta depois da notícia de que há milhões de pessoas infectadas. Primeiro foi detectada na China, a doença já ultrapassou as fronteiras e chegou arrasando em outros países, e o número de pessoas infectadas em todo o mundo pelo novo “Coronavirus” aumentou.

O Ministério da Saúde atualizou os dados com as Secretarias Estaduais de Saúde que contabilizaram 647 infectados em 21 Estados e no Distrito Federal (DF). Último balanço oficial do Ministério da Saúde aponta 621. Já são 7 mortos no Brasil, 5 no Estado de São Paulo e 2 no Rio de Janeiro.

Mato Grosso registrou o seu primeiro caso confirmado de “Coronavírus”.

A confirmação ocorreu na noite desta quinta-feira (19), após o Laboratório Central do Estado (Lacen/MT) testar nova análise de um dos casos localizados em Cuiabá. No dia 16 de março, o paciente testou positivo para o Covid-19 em exame realizado por um laboratório particular, porém, uma nova amostra foi coletada e analisada pelo Lacen, que confirmou o diagnóstico.

No momento, o diagnosticado apresenta quadro estável de saúde e encontra-se em isolamento domiciliar. As recomendações seguirão o protocolo já estabelecido desde o início do monitoramento do paciente.

No âmbito particular deste paciente, não haverá grandes mudanças; ele continuará em isolamento e deverá seguir todas as recomendações médicas. As orientações dadas anteriormente à população também deverão ser seguidas com rigorosidade. Temos um caso confirmado, mas as recomendações são todas aquelas que já divulgamos e reforçamos”, explica o secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo.

Nesta quinta-feira (19), a SES divulgou a notificação de 59 casos suspeitos de coronavírus em Mato Grosso. Até o momento, as equipes de vigilância monitoraram um total de 87 ocorrências no estado, sendo que 11 casos foram descartadas e 17 foram excluídas por não preencheram critérios de definição de caso paraCOVID-19.

Recomendações

Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo Coronavírus.

Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
– Evitar contato próximo com pessoas doentes. Ficar em casa quando estiver doente;
– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Profissionais de Saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Todas as Notas Informativas da SES estão disponíveis neste link.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Julho Amarelo: um sinal de alerta para as hepatites virais

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Geral

MEC vai repassar para as universidades e institutos federais R$ 200 milhões

Publicados

em

Recentemente o presidente da Republica, Jair Messias Bolsonaro disse que avalia a situação da Educação do Brasil no momento como “horrível”. No meio de uma crise gerada pela demissão do ministro Carlos Decotelli, que ficou dias no cargo e teve seu currículo acadêmico contestado pelas faculdades que passou.

A crise gerada pela “Pandemia do Coronavírus” deverá atingir todas as áreas da Educação, mas ainda é cedo para saber quais serão seus impactos.

Nesta semana, o Ministério da Educação (MEC) anunciou o repasse de cerca de R$ 200 milhões para investimentos em infraestrutura e equipamentos nas universidades e institutos federais. As instituições receberão de R$ 800 mil a R$ 4 milhões, de acordo com o projeto selecionado.

O secretário executivo do MEC, Antonio Paulo Vogel, explicou que os recursos serão investidos em três frentes: segurança, com ações para combate a incêndio e pânico, acessibilidade e vigilância monitorada; redução de despesas futuras, como aquisição de placas de energia fotovoltaica e retomada de obras; e investimentos em equipamentos de tecnologia de informação e comunicação.

De acordo com Vogel, parte do montante também será utilizado para compra de equipamentos para escolas médicas, em campi sem hospitais universitários.

Inovação

Além disso, o MEC anunciou que vai incrementar o orçamento da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii). Ampliado de R$ 28 milhões para R$ 50 milhões, o orçamento que vai possibilitar a abertura de um edital para o credenciamento de novas universidades e institutos federais como unidades de inovação Embrapii.

O objetivo do projeto é estimular a relação entre as instituições de ensino e empresas privadas na pesquisa aplicada à indústria, com o desenvolvimento de projetos que atendam às demandas do setor.

A ideia é que a universidade sirva cada vez mais ao setor produtivo”, disse o secretário de Educação Superior do MEC, Wagner Vilas Boas.

Segundo ele, até um terço do valor dos projetos desenvolvidos pelas unidades de inovação pode ser financiado com recursos públicos. O restante vem do setor empresarial. Atualmente, 17 unidades de pesquisa de universidades e institutos federais são credenciados à Embrapii e a previsão é que o novo edital seja lançado até setembro.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  PM frustra roubo com refém em clínica e prende suspeito em Cuiabá
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA