Geral

“Prevenção ao Coronavírus”; Prefeitura suspende a realização de feiras livres

Publicados

em

As feiras livres, além de serem fortes ponto de comercio, são também consideradas tradições culturais e pontos de turistas e também servem de ponto de encontro nas cidades de todo o Brasil. Em Cuiabá, existem 52 feiras livres com 1.070 feirantes cadastrados.

Quem não gosta de ir à feira comer pastel, tomar caldo de cana e comprar frutas, legumes e verduras frescos?

A feira é um lugar onde você vai encontrar o cuiabano legítimo, pechinchando e conversando com desconhecidos! E claro vai provar frutas cortadas na hora ou ainda vai poder comer um bolinho ou um pastel com um caldo de cana (e porque não um cervejinha super gelada!) num lanche para abrir o apetite antes do almoço!

Mas, em virtude da publicação do Decreto Municipal de nº 7.839/2020, assinado pelo prefeito Emanuel Pinheiro no início da semana, a Secretaria Municipal de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico informa que, todas as feiras livres que estavam previstas, deverão ser canceladas.

Todo e qualquer evento público está suspenso a partir desta segunda-feira (23) até o dia 05 de abril, podendo ser prorrogado caso haja necessidade. Essa medida prevista em decreto é de responsabilidade dos organizadores, cabendo a Secretaria fiscalizar o atendimento e se está sendo cumprida a determinação.

Existem em Cuiabá 52 feiras livres, espalhadas por todos os bairros, com 1.070 feirantes cadastrados, responsáveis por mais de 1.450 barracas, distribuídas pelos seis dias da semana, sempre de terça a domingo. As feiras mantém sempre o mesmo formato, embora algumas tenham se ressentido da concorrência dos supermercados e dos varejões. Sobrevivem à modernização dos tempos e vêm mantendo a atratividade do que frequentam semanalmente esses mercados de céu aberto e se abastecem dos produtos lá comercializados.

Nesse momento que estamos vivendo da pandemia do coronavírus todo cuidado é pouco. A única alternativa é a prevenção, cabe cada um fazer a sua parte e a nós que estamos a frente da pasta, contribuir na fiscalização”, disse a secretária municipal de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico, Débora Marques.

É de responsabilidade da Secretaria de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico criar, localizar, dimensionar, remanejar, suspender ou mesmo extinguir as feiras de Cuiabá, bem como alterar dias e horários de funcionamento, quantificar e qualificar os tipos de produtos que serão comercializados, atendendo sempre o interesse do público respeitando as exigências sanitárias, viárias e urbanistas.

Nunca a cidade precisou tanto de nós todos juntos como agora. Para superarmos isso, é necessário que cada um chame um pouco da responsabilidade para si. Como prefeito, farei o que for possível para resolver e causar o menor impacto. Fico extremamente satisfeito em ver o engajamento, a preocupação e a conscientização desse setor que é tão importante para o desenvolvimento da cidade”, finalizou o prefeito Emanuel Pinheiro.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Novo vírus da gripe com potencial de causar pandemia é descoberto na China

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Geral

MEC vai repassar para as universidades e institutos federais R$ 200 milhões

Publicados

em

Recentemente o presidente da Republica, Jair Messias Bolsonaro disse que avalia a situação da Educação do Brasil no momento como “horrível”. No meio de uma crise gerada pela demissão do ministro Carlos Decotelli, que ficou dias no cargo e teve seu currículo acadêmico contestado pelas faculdades que passou.

A crise gerada pela “Pandemia do Coronavírus” deverá atingir todas as áreas da Educação, mas ainda é cedo para saber quais serão seus impactos.

Nesta semana, o Ministério da Educação (MEC) anunciou o repasse de cerca de R$ 200 milhões para investimentos em infraestrutura e equipamentos nas universidades e institutos federais. As instituições receberão de R$ 800 mil a R$ 4 milhões, de acordo com o projeto selecionado.

O secretário executivo do MEC, Antonio Paulo Vogel, explicou que os recursos serão investidos em três frentes: segurança, com ações para combate a incêndio e pânico, acessibilidade e vigilância monitorada; redução de despesas futuras, como aquisição de placas de energia fotovoltaica e retomada de obras; e investimentos em equipamentos de tecnologia de informação e comunicação.

De acordo com Vogel, parte do montante também será utilizado para compra de equipamentos para escolas médicas, em campi sem hospitais universitários.

Inovação

Além disso, o MEC anunciou que vai incrementar o orçamento da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii). Ampliado de R$ 28 milhões para R$ 50 milhões, o orçamento que vai possibilitar a abertura de um edital para o credenciamento de novas universidades e institutos federais como unidades de inovação Embrapii.

O objetivo do projeto é estimular a relação entre as instituições de ensino e empresas privadas na pesquisa aplicada à indústria, com o desenvolvimento de projetos que atendam às demandas do setor.

A ideia é que a universidade sirva cada vez mais ao setor produtivo”, disse o secretário de Educação Superior do MEC, Wagner Vilas Boas.

Segundo ele, até um terço do valor dos projetos desenvolvidos pelas unidades de inovação pode ser financiado com recursos públicos. O restante vem do setor empresarial. Atualmente, 17 unidades de pesquisa de universidades e institutos federais são credenciados à Embrapii e a previsão é que o novo edital seja lançado até setembro.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  "Kit Covid-19"; pacientes passarão a receber gratuitamente o chamado "Kit Covid-19"
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA