DISPONÍVEIS NAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE

Prefeitura de Cuiabá inicia entrega de “Kits Covid”

Publicados

em

A Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) inicia, nesta terça-feira (21), a entrega de “kits Covid-19” para pacientes que apresentarem sintomas iniciais da doença, mediante prescrição médica e assinatura do termo de consentimento por parte do paciente, em 14 unidades básicas de saúde da capital. Cada kit é composto por 5 comprimidos de azitromicina 500mg, 4 comprimidos de Ivermectina 6mg e 20 comprimidos de dipirona 500mg.

O prefeito Emanuel Pinheiro, o secretário municipal de Saúde, Luiz Antonio Pôssas de Carvalho, e o secretário-adjunto de Assistência em Saúde, Luiz Gustavo Raboni Palma estiveram no Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos do Município nesta terça, 21, fazendo as últimas vistorias e acompanhando os últimos preparativos para o lançamento dos kits na rede básica de saúde.

Esta é mais uma medida concreta da Prefeitura Municipal de Cuiabá no combate à “Covid-19” com um único objetivo: a proteção à saúde e à vida das pessoas, especialmente a população SUS, os mais carentes, os menos favorecidos, aqueles que dependem da rede pública municipal de saúde. O “Kit-Covid” vem exatamente com esse objetivo: evitar a propagação e evolução da doença no paciente logo que ele tem os primeiros sintomas”, disse o prefeito Emanuel Pinheiro.

De acordo com Luiz Gustavo Raboni Palma, que é médico, a Ivermectina tem mostrado, em estudos in vitro, que diminui a replicação viral; a Azitromicina é um antibiótico que ajuda no combate das infecções oportunistas e das bactérias atípicas no paciente acometido por Covid-19 e a Dipirona é um analgésico e antitérmico que pode ser usado para amenizar os sintomas de dores e febre. Ele destaca que os medicamentos são utilizados como tratamento precoce e não como prevenção à Covid-19.

Só vai receber o kit quem passar por consulta médica. Ele vai ser avaliado e o médico vai ver se os sintomas são reais porque não adianta chegar lá e inventar um sintoma pra poder receber preventivamente um “kit Covid, não tem efeito nenhum pra isso. Ele só tem efeito para sintomas iniciais da “Covid-19“. O tratamento é precoce e não preventivo, é importante ressaltar isso”, assevera.

O prefeito reforça essa recomendação médica e pede que a população tenha consciência ao procurar as Unidades de Saúde.

Se você não tem nenhum sintoma, não precisa. Porque se você conseguir o medicamento ele vai te dar algum efeito colateral, como diarreia, por exemplo, porque você não tem nenhum sintoma. E o que é pior: além de não ter nenhum sintoma, você vai estar levando pra sua casa um “kit Covid” que pode estar tirando de uma pessoa que precisa do “kit Covid” para o seu tratamento para salvar a sua vida”, frisa Pinheiro.

O gestor ainda complementa que não adianta forçar o médico, não adianta tentar desesperadamente levar o “kit Covid” sem a prescrição médica que você não vai conseguir”.

Para o prefeito, é preciso apoio da população para que o combate ao novo coronavírus seja eficaz.

Nos ajude a cuidar da sua vida, nos ajude a cuidar da sua saúde, da saúde da sua família, da saúde dos seus irmãos cuiabanos. Contamos com o apoio de vocês”.

Raboni Palma ainda elenca quais são os sintomas da “Covid-19“.

Os sintomas podem ser mais variados, mas, geralmente, são sintomas gripais, como também dor de cabeça, perda do olfato, perda do paladar, tosse seca ou tosse produtiva, febre, mialgia e artralgia, que são dores nos músculos e nas articulações”, explica.

De acordo com o secretário-adjunto, a implantação do kit Covid-19 em Cuiabá segue um protocolo organizado pelo Ministério da Saúde, levando em conta apontamentos de grandes infectologistas e epidemiologistas do Brasil.

Eles dizem que esses medicamentos podem ser usados para tratamento precoce aos sintomas da “Covid-19”. São remédios também que, se não servirem pra “Covid-19”, vão servir para outros tipos gripais”.

Veja as 14 unidades básicas de saúde que dispõe do “Kit Covid-19”:

PSF Santa Izabel I / PSF Santa Isabel II
PSF Despraiado I / PSF Despraiado II
Centro de Saúde do Grande Terceiro
Centro de Saúde Dom Aquino
Centro de Saúde Jardim Leblon
PSF Pedregal I / PSF Pedregal II
PSF Pedra 90 I / PSF Pedra 90 II
Centro de Saúde do Parque Cuiabá
Centro de Saúde do Tijucal
UBS Parque Ohara
Clínica da Família do CPA 1
PSF Três Barras
PSF Jardim Umuarama
Centro de Saúde CPA III

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Cuiabá vence Ação e esta a um passo da final
Propaganda

Geral

Márcia Pinheiro lança programa “Cuiabá de Prato Cheio”

Publicados

em

A primeira-dama de Cuiabá, Márcia Pinheiro, por meio do seu Núcleo de Apoio, em conjunto com a Prefeitura de Cuiabá (Secretaria de Assistência Social, Direitos Humanos e das Pessoas com Deficiência), lançou o programa “Cuiabá de Prato Cheio”. Por meio dessa iniciativa, a Prefeitura de Cuiabá passa de 1,2 mil para 26 mil refeições distribuídas por mês para pessoas de toda a capital.

O principal conceito do projeto, idealizado pela primeira-dama, descentralizou a política de segurança alimentar, ao levar para 14 bairros a alimentação social para população vulnerável inserida no Cadastro Único do município.

A grande diferença será a descentralização. Não vai ser somente um restaurante popular oferecendo alimentação social no Centro de Cuiabá. Serão 20 restaurantes oferecendo refeições para mais de 15 mil famílias que vivem em vulnerabilidade social, segundo estimativa da Prefeitura“, disse a primeira-dama.

Os restaurantes locais dos respectivos bairros e regiões apontados no escopo do projeto podem se habilitar para serem parceiros por meio do Chamamento Público.

Leia Também:  Jefferson Gabriel sonha com biblioteca comunitária recebe doação de Xuxa

A proposta da Prefeitura de Cuiabá, é subsidiar quase 80% do valor das refeições e a contrapartida das pessoas em vulnerabilidade social será de simbólicos R$ 2,00.

Para o consumo local a Prefeitura pagará R$ 13 e para viagem R$ 10 e o beneficiário arcará com o valor social de R$ 2,00. Todas essas pessoas são referenciadas pela Prefeitura e grande parte recebe auxílio financeiro do Governo Federal, o que torna o projeto financeiramente sustentável, mesmo para população carente da Capital, explicou Márcia.

O projeto piloto também possui viés econômico, uma vez que fomenta o comércio local e impulsiona a economia dos bairros, gerando renda extra, emprego e valorização dos micro empreendimentos.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA