Geral

Polícia Civil investiga associação criminosa suspeita de direcionar realização de exames toxicológicos

Publicados

em

A Polícia Civil, em ação conjunta das Delegacias Especializadas de Combate à Corrupção (Deccor) e a de Crimes Fazendários (Defaz), com apoio do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT) deflagrou na manhã desta quarta-feira (18) uma ação para cumprimento de mandados de buscas e apreensões e de afastamento cautelar de função pública de cinco pessoas investigadas em possíveis crimes de corrupção ativa e passiva.

O exame toxicológico é um exame laboratorial para verificar se uma pessoa consumiu ou esteve exposta a algum tipo de substância tóxica ou droga. O exame é obrigatório desde 2016 para emissão ou renovação da carteira de motorista das categorias C, D e E, deve ser realizado em laboratórios autorizados pelo DETRAN.

Os mandados foram deferidos pela juíza Ana Cristina da Silva Mendes, da 7ª Vara de Combate ao Crime Organizado da Capital. A ação policial conta com apoio de supervisor dos colaboradores investigados.

A investigação apura a constituição de uma associação criminosa voltada à prática de crimes de corrupção ativa e passiva, que consiste no direcionamento de condutores que procuravam o Detran para a realização de procedimentos de mudança ou renovação de carteiras de habilitação das categorias C, D e E.

No momento de realizar a fotografia no atendimento no Detran, condutores eram direcionados a determinado laboratório para a realização de exames toxicológicos, necessários à renovação/mudança de categoria C, D e E, mediante o pagamento de “propina”, realizada por representante legal da empresa que faz os exames, aos colaboradores que indicavam os motoristas.

Durante a investigação foi possível identificar que as cinco pessoas atuam na modalidade criminosa há mais de um ano, recebendo vantagem indevida pelas indicações feitas à empresa.

O exame toxicológico tem como objetivo detectar a ingestão ou exposição às substâncias tóxicas, drogas e outras substâncias intoxicantes.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Mercado do Porto mantém atendimento ao público com horário reduzido

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Geral

PM frustra roubo com refém em clínica e prende suspeito em Cuiabá

Publicados

em

A Polícia Militar frustrou uma tentativa de roubo com refém em uma clínica odontológica, em Cuiabá na manhã desta sexta–feira (03). Os policiais interviram na ação criminosa, libertando funcionários e clientes que eram mantidos reféns pelos dois suspeitos.

Um homem de 38 anos foi alvejado na perna e preso, os policiais seguem em diligências pela região em busca do segundo suspeito.

Uma equipe de policiais do 10º Batalhão de Polícia Militar realizava patrulhamento de rotina no bairro Jardim Cuiabá quando identificaram uma ação suspeita nas proximidades de uma clínica odontológica na Avenida das Flores. Ao checar o local, os militares identificaram os dois suspeitos que haviam rendido funcionários e pacientes da clínica.

Os policiais cercaram o local e solicitaram apoio do Batalhão Rotam e interviram na ação criminosa, prendendo o suspeito que estava baleado na perna após um médico que tem porte de arma de fogo reagir. O homem presa já tem passagem pela polícia por crimes de roubo e homicídio, ele foi atendido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e conduzido ao hospital.

Os policiais localizaram os pertences pessoais das vítimas como celulares, dinheiro e joias que já estavam na mochila do suspeito. O outro comparsa fugiu com a arma de fogo utilizada para praticar o roubo.

De acordo com as vítimas, os suspeitos invadiram a clínica, renderam os funcionários para roubar. Uma das pessoas que era mantida de refém reagiu, entrou em luta corporal e atirou na perna do suspeito. O outro comparsa fugiu do local. Nenhuma vítima se feriu.

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 0800.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Denúncia de preço abusivo de “Ivermectina” leva Procon e Decon fiscalizar farmácia
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA