OPERAÇÃO DISPERSÃO IV

Os órgãos de segurança do Governo estão atuando de forma mais severa

Publicados

em

A Operação Dispersão IV, realizada desde o dia 3 de março em todo o Estado, já aplicou R$ 629.500 em multas a pessoas que infringiram o toque de recolher. As multas correspondem ao descumprimento do horário de fechamento de estabelecimentos, aglomerações, além de detenções em barreiras.

Conforme último relatório divulgado pela Polícia Militar, foram contabilizadas durante a operação 76.102 orientações em geral referentes às restrições, 26.101 abordagens em veículos, 31.619 pessoas presentes em situações de aglomerações, 26.284 orientações à população pelo não uso da máscara de proteção facial. Além disso, 353 detenções por descumprimento das restrições de circulação de pessoas, 661 por aglomerações e 350 notificações por descumprimento do horário de fechamento obrigatório às 19h.

A última Operação Dispersão foi realizada entre os dias 2 a 5 de abril, das 19h às 5h da manhã. O relatório aponta que foram aplicadas R$ 96 mil em multas nestes dias. Ao todo, foram abordadas 4.288 pessoas em barreiras, 3.296 pessoas foram dispersas em aglomerações, 115 notificações realizadas em parceria com órgãos de fiscalização e 210 detenções por descumprimento das normas de biossegurança e distanciamento.

Os órgãos de segurança do Governo do Estado estão atuando de forma mais severa, aliando a conscientização e aplicação de multas, para que a população entenda a importância do Isolamento Social e cumprimento das medidas restritivas para o combate à Pandemia da Covid-19.

A multa é de R$ 500 para o cidadão e R$ 10 mil para o estabelecimento, e podem ser triplicadas em caso de reincidência no descumprimento das medidas. No caso dos estabelecimentos, também há possibilidade de interdição do local pelo período de 30 dias e detenção do responsável.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Tênis quer retomar atividades e faz manifestação em frente da Prefeitura de Cuiabá
Propaganda

Geral

Cuiabá lança campanha de vacinação contra Influenza nesta segunda-feira (19)

Publicados

em

Após o surto dos vírus Zika, Dengue e Chikungunya pelo mosquito Aedes Aegypti, o centro das atenções passou a ser novamente a gripe Influenza A (H1N1). Ela já é bem conhecida pelos médicos e pela população mundial, após o surto da doença que ocorreu em 2009 e 2010. Por ser uma mutação da gripe comum, ela possui sintomas parecidos, além da alta taxa de transmissão.

Prevenção

A Influenza A (H1N1) tem sua transmissão feita assim como qualquer outra gripe, e por isso segue as mesmas diretrizes de prevenção, porém deve ter sua atenção redobrada. É preciso lavar sempre as mãos com água e sabão, e evitar o contato com olhos, boca e outras mucosas; não compartilhar itens de uso pessoal como toalhas, copos, talheres e escovas de dentes, e evitar contato próximo com pessoas que estejam doentes.

Tratamento

O tratamento para a gripe (H1N1) é feito através de remédios via oral, que são indicados por um médico e regulamentados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), para combate especifico da doença. Outras medidas como repouso, reposição de líquidos e boa alimentação podem ajudar na recuperação do paciente.

Vacinação

A Secretaria Municipal de Saúde vai lançar nesta segunda-feira (19) a 23ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. O lançamento será realizado na UBS Parque Ohara, às 9h. Neste ano a Prefeitura de Cuiabá decidiu atrasar em uma semana o começo da campanha em decorrência da abertura dos novos polos de vacinação contra o coronavírus.

Neste primeiro momento a campanha de vacinação da Influenza contemplará os seguintes grupos: Crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes e puérperas. A previsão é que a campanha aconteça até o dia 9 de julho.

Nesta segunda faremos o lançamento na UBS do parque Ohara, mas a campanha começará em todos os postos de saúde a partir desta terça-feira (20), com exceção de alguns locais onde não há condições de fazer a separação entre os pacientes de COVID e os que vão ser vacinados”, revela Valéria de Oliveira, coordenadora da Vigilância Epidemiológica.

Pelo fato das campanhas de vacinação contra a Influenza e contra o Coronavírus estarem sendo realizadas ao mesmo tempo, a vacinação contra o Coronavírus deve ter prioridade.

O Informe Técnico da Influenza alerta para a importância da priorização da vacina COVID-19, para pessoas contempladas no grupo prioritário para a Influenza e que ainda não foram vacinadas contra a COVID-19. Nestas situações, deve-se agendar a vacina Influenza, respeitando o intervalo mínimo de 14 dias entre as vacinas, explica a coordenadora.

A partir de terça-feira (20) todos os postos de saúde realizarão a vacinação contra a Influenza a partir das 7h, com exceção das seguintes unidades: PSF Osmar Cabral / Liberdade, PSF Nova Esperança, PSF Pedra 90 lll e lV e PSF São Gonçalo, na região Sul; PSF Novo Horizonte e CS Ana Poupina, na região Leste; PSF Santa Amália /Jd. Araçá, PSF Santa Isabel I e II e PSF Santa Isabel III, na região Oeste.

Em todo Brasil foram disponibilizadas 75 milhões de doses e o objetivo é atingir 90% de cada um dos grupos prioritários. A vacina previne contra três tipos de Influenza: Influenza A H1N1, Influenza A H3N2 e Influenza B.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Mulheres buscam na fé um aliado para superar dores sentimentais
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA