Geral

Oficina de “Slime” será a atração principal do Shopping Popular

Publicados

em

Febre absoluta entre as crianças e adultos, o Slime é uma espécie de “geleca” caseira, fácil de fazer e muito divertida. Além de super colorida, é extremamente maleável, podendo ser moldada e esticada quantas vezes você quiser. Manusear dá uma sensação tão relaxante que há quem diga que ajuda a controlar a ansiedade.

Para os pequenos, mais do que uma brincadeira bem legal, é uma experiência sensorial que estimula o reconhecimento de formas, cores e texturas, favorecendo a coordenação motora.

Mania de 9 em cada 10 crianças, o Slime será a atração principal do Shopping Popular nos dois próximos finais de semana. Nos dias 28 de setembro e 5 de outubro, o espaço cultural do maior centro de compras do Estado de Mato Grosso recebe seu primeiro “encontrinho” e a primeira edição de uma oficina para a confecção da massinha. Os eventos ocorrem das 14h às 17h e a entrada é franca.

Organizadora do evento, Kátia Marília explica que estarão à disposição das crianças e adolescentes todo o material necessário para a confecção do Slime.

Quem for e participar da oficina sairá com seu potinho de “Slime“, gratuitamente. Teremos à disposição todos os materiais para isso“.

Além disso, destaca Kátia, as principais slimers de Mato Grosso estarão no local para comercializar o produto já pronto. E quem pensa que a brincadeira fica restrita às crianças, se engana.

Hoje temos meninas de 14, 15 anos, fazendo “Slime“. É uma verdadeira febre que pega desde os pequenininhos até adolescentes“, pontua a organizadora.

Fora dos encontrinhos, pais e crianças podem encontrar os materiais para a confecção do Slime em lojas como a Lolita Cosméticos, de propriedade de Kely Taques Duarte.

Por conta da grande procura, decidi montar um espaço, dentro da loja, para comercializar os materiais, tanto a cola, quanto corante e até mesmo os charms, que são os enfeites usados na massinha“.

O “encontrinho” e a oficina de Slime têm entrada gratuita e ocorrem nos dias 28 de setembro e 5 de outubro , das 14h às 17h, no espaço cultural do Shopping Popular de Cuiabá.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Novo vírus da gripe com potencial de causar pandemia é descoberto na China

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Geral

Em Cuiabá, determinação da Justiça é cumprida após 15 dias: “Barreira Sanitária”

Publicados

em

Após 15 dias do juiz José Leite Lindote da Vara Especializada de Saúde Pública de Mato Grosso determinar a implantação de “Barreiras Sanitárias” em Cuiabá, o Prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro (MDB) resolveu, depois de mostrar que não houve planejamento para o “Combate ao Coronavírus”, implantar a “Barreira Sanitária”.

A Prefeitura de Cuiabá vai realizar quatro barreiras a partir desta quarta feira (8): na BR 163/363/070, saída para a cidade de Rondonópolis, na MT-040, estrada que liga a Capital para Santo Antônio do Leverger na rodovia 040, na Rodovia Emanuel Pinheiro, estrada de saída para Chapada dos Guimarães, e na Rodovia Hélder Cândia, MT 010 que liga Cuiabá ao Norte do Estado.

Procedimento nos ônibus rodoviários

A barreira sanitária também irá verificar a situação dos motoristas e passageiros de transporte rodoviário coletivo. Nesse caso, o fiscal sanitário irá:

– Observar o uso de máscara pelo condutor e demais passageiros
– Oferecer máscara aos condutores que não estiverem com a mesma
– Aferir a temperatura
– Aplicar o questionário em pessoas com temperatura acima de 37,5°C
– Ler as orientações para o condutor
– Encaminhar o condutor a uma unidade de saúde caso esteja com febre.

Não há bloqueios impedindo pessoas de fora entrar na capital, e é apenas uma “Barreira Sanitária”.

A Polícia Militar e a Polícia Rodoviária vai realizar apenas o apoio da ação da Prefeitura de Cuiabá, sem intervenções de abordagens. As equipes só deverão agir em caso de desacato aos Agentes Públicos de Saúde.

A medida será um trabalho de aplicação de questionário, com perguntas de origem e destino da viagem, além de ser feita a medição de temperatura, caso a pessoa apresente febre, será orientada a procurar uma Unidade de Saúde.

A implantação das estruturas é uma estratégia adotada como forma de inibir o contágio pelo novo “Coronavírus”.

A medida é só para…pois bem, o artigo 5° da Constituição Federal disciplina que o direito de ir e vir é norma fundamental, quer dizer não pode ser violado. Porém, os artigos 24 e 196 respectivamente, também garantem competência ao Estado em legislar de forma a proteger a Saúde e garanti-la “mediante políticas sociais e econômicas que visem a redução do risco de doença e de outros agravos”, ou seja, decreta a proibição de entrada e saída de cidades no cenário atual de pandemia é constitucional. E é o que tem ocorrido em medidas tomadas por chefes do Executivo, como a adoção de “Barreira Sanitária”, nestes municípios o seu líderes, aceita em três condições: para carga e descarga, para moradores e prestadores de serviços.

Em algumas cidades do país, a proibição foram mais rígidas e resultaram em queda da ascensão da “Covid-19.

“Barreira Sanitária”, o que seria isso?

Uma equipe de funcionários da rede pública fica disponível em entradas da cidade para oferecer dentre outras coisas, higienização com a álcool em gel e aferição de temperatura, para que pessoas que desejam adentrar na cidade. A ideia é identificar contágio, evitar o contato com outras pessoas.

Relembrando Artigo 196

A Saúde é direito de todos e dever do Estado, garantindo mediante políticas sociais e econômicas que visem a redução do risco de doença e de outros e ao acesso universal e igualitário as ações e serviços para a sua proteção e recuperação.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Período é considerado crime a prática de queimadas
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA