RECURSOS DA LEI ALDIR BLANC

Lei Aldir Blanc; Secel oferece plantões online para tirar dúvidas sobre editais

Publicados

em

A Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) iniciou uma sequência de três transmissões ao vivo para responder questionamentos sobre os editais da Lei Aldir Blanc. Bastante elogiado pelos participantes por oferecer informações úteis para a inscrição de projetos, o plantão tira-dúvidas acontece neste sábado (14), às 19h, por rede social.

Parabenizo a equipe da Secel. Está evidente o quanto vocês estão comprometidos e a fim de a galera se inscrever e de contemplar o máximo de trabalhos possíveis. Pelas lives e pela disponibilidade em responder dúvidas, em nome da classe artística quero muito agradecer vocês, cita a cantora Karola Nunes em mensagem.

Questões sobre categorias de participação, uploads de documentos, abertura de contas, envio de portfólio e currículo foram respondidas durante a primeira live. Os interessados ainda tiveram acesso a orientações sobre projeto de publicações literárias, diferença entre editais, pagamento de direitos autorais de mestres homenageados, de autores de livros e de artistas que também são proponentes, dentre outros.

A respeito da aquisição de equipamentos de uso permanente, a equipe da Secel esclareceu que não há previsão da conduta nos projetos. Além da compra desse tipo de produtos, a Lei Aldir Blanc veda construções e reformas, possibilitando somente aluguéis de espaços e materiais.

O retorno a perguntas sobre realocação de recursos entre categorias certificou que os valores remanescentes serão remanejados para demais propostas classificadas de acordo com a pontuação na fase de seleção. Também foram sanadas dúvidas sobre a previsão de verba para pagamento de profissionais envolvidos na ação, adequações na planilha orçamentária e procedimentos quanto à complementação de informações em projetos já inscritos.

Toda a live continua disponível na página de facebook da Secretaria para acesso ao conteúdo.

A equipe dos plantões tira-dúvidas da Secel é formada pelo secretário adjunto de Cultura, Paulo Traven, o superintendente de Políticas Culturais, Jan Moura, a superintendente de Desenvolvimento da Economia Criativa, Keiko Okamura, e pela assessora especial, Cínthia Mattos.

Desejamos boa sorte aos proponentes e pedimos a todos que se inscrevam e incentivem outras pessoas a se inscreverem, pois existem muitas possibilidades dentro desses cinco editais. Continuaremos tirando dúvidas nas lives até sábado e recebemos ainda inúmeros telefonemas e mensagens. Estaremos à disposição de todos, trabalhando para que todos os processos do edital sejam efetivados com sucesso”, finalizou Paulo Traven.

Editais e inscrições

São cinco chamadas públicas que atenderão todos os segmentos e áreas temáticas artísticas culturais de Mato Grosso.

Devido à reversão ao Estado da verba destinada a municípios mato-grossenses que não se inscreveram para execução da Lei Aldir Blanc, os editais da Secel receberam um incremento de R$ 4,35 milhões, totalizando R$ 29,35 milhões em recursos. O reforço permitiu que a quantidade de projetos beneficiados subisse de 513 para 588, motivando a prorrogação da data final para inscrição nos editais.

Com a retificação de prazo, as inscrições podem ser feitas até segunda-feira (16), sendo que as presenciais devem ser protocoladas na sede da Secel durante o expediente, que encerra às 18h. Já o prazo para apresentação online das propostas vai até às 23h59 da mesma data, por meio do formulário na plataforma formularios.cultura.mt.gov.br.

Os editais, formulários, seus anexos e retificações estão disponíveis nos sites leialdirblanc.cultura.mt.gov.br e www.cultura.mt.gov.br/editais.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Feirantes tem que usar álcool gel, máscaras e luvas descartáveis para manusear os alimentos
Propaganda

Geral

Cuiabá abre pré-cadastro para vacinação de pessoas com comorbidades

Publicados

em

A vacinação de pessoas com comorbidades deve ser escalonada e começar pelos doentes mais vulneráveis à Covid-19. Apesar de as orientações definitivas dependerem de diretriz do governo federal, secretários municipais da Saúde já discutem a logística da vacinação do maior grupo prioritário, que virá após a imunização de idosos.

Entre as doenças que fazem parte da lista de comorbidades, segundo o Plano Nacional de Imunização (PNI), estão diabetes mellitus, pneumopatias crônicas graves, hipertensão, problemas de coração, doença cerebrovascular, doença renal crônica, anemia falciforme, obesidade mórbida, síndrome de down, HIV e cirrose hepática.

A Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá (SES) abriu nesta terça-feira (04) o pré cadastro da vacinação do grupo de pessoas com comorbidades. Para se cadastrarem, elas devem entrar no site vacina.cuiaba.mt.gov.br e preencher todos os campos obrigatórios.

Na primeira fase deste grupo serão contemplados:

– Pessoas com Síndrome de Down, a partir de 18 anos;
– Gestantes e puérperas com comorbidades, a partir de 18 anos;
– Pessoas com comorbidades de 55 a 59 anos;
– Pessoas com Deficiência Permanente cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC) de 55 a 59 anos.

Importante ressaltar que gestantes, puérperas e pessoas com comorbidades quando forem se vacinar deverão obrigatoriamente levar um laudo médico comprovando a comorbidade, que deve estar contemplada na lista disponibilizada pelo Ministério da Saúde (MS).

Pessoas que não apresentarem o laudo, ou cuja comorbidade não esteja na lista do Ministério, não serão vacinadas. Da mesma forma, pessoas com Deficiência Permanente precisam levar um documento ou o cartão que comprove o cadastro no Programa de Benefício de Prestação Continuada para serem imunizadas.

Este grupo começará a ser vacinado com a vacina da Pfizer, na sexta-feira (07), no Centro de Eventos do Pantanal.

Pedimos que neste momento apenas as pessoas contempladas dentro deste primeiro grupo de comorbidades faça o pré cadastro no site da vacinação. Entendemos que muitos estão ansiosos para serem imunizados, mas é importante seguirmos corretamente a ordem preconizada pelo Ministério da Saúde, pois o grupo abrange um grande número de pessoas. Estamos realizando a campanha com muita responsabilidade e transparência e precisamos do apoio e compreensão da população para continuarmos este trabalho de maneira rigorosa e organizada”, comenta Valéria de Oliveira, coordenadora da campanha de vacinação em Cuiabá.

CONFIRA AQUI AS COMORBIDADES E SUAS DESCRIÇÕES

Diabetes mellitus – Qualquer indivíduo com diabetes

Pneumopatias crônicas graves – Indivíduos com pneumopatias graves incluindo doença pulmonar obstrutiva crônica, fibrose cística, fibroses pulmonares, pneumoconioses, displasia broncopulmonar e asma grave (uso recorrente de corticoides sistêmicos, internação prévia por crise asmática).

Hipertensão Arterial Resistente (HAR) – HAR = Quando a pressão arterial (PA) permanece acima das metas recomendadas com o uso de três ou mais anti-hipertensivos de diferentes classes, em doses máximas preconizadas e toleradas, administradas com frequência, dosagem apropriada e comprovada adesão ou PA controlada em uso de quatro ou mais fármacos anti- hipertensivos

Hipertensão arterial estágio 3 – PA sistólica ≥180mmHg e/ou diastólica ≥110mmHg independente da presença de lesão em órgão-alvo (LOA) ou comorbidade

Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade – PA sistólica entre 140 e 179mmHg e/ou diastólica entre 90 e 109mmHg na presença de lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade

Doenças cardiovasculares

Insuficiência cardíaca (IC)IC com fração de ejeção reduzida, intermediária ou preservada; em estágios B, C ou D, independente de classe funcional da New York Heart Association

Cor-pulmonale e Hipertensão pulmonar – Cor-pulmonale crônico, hipertensão pulmonar primária ou secundária

Cardiopatia hipertensiva – Cardiopatia hipertensiva (hipertrofia ventricular esquerda ou dilatação, sobrecarga atrial e ventricular, disfunção diastólica e/ou sistólica, lesões em outros órgãos-alvo)

Síndromes coronarianas – Síndromes coronarianas crônicas (Angina Pectoris estável, cardiopatia isquêmica, pós Infarto Agudo do Miocárdio, outras)

Valvopatias – Lesões valvares com repercussão hemodinâmica ou sintomática ou com comprometimento miocárdico (estenose ou insuficiência aórtica; estenose ou insuficiência mitral; estenose ou insuficiência pulmonar; estenose ou insuficiência tricúspide, e outras)

Miocardiopatias e Pericardiopatias – Miocardiopatias de quaisquer etiologias ou fenótipos; pericardite crônica; cardiopatia reumática

Doenças da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas – Aneurismas, dissecções, hematomas da aorta e demais grandes vasos

Arritmias cardíacas – Arritmias cardíacas com importância clínica e/ou cardiopatia associada (fibrilação e flutter atriais; e outras)

Cardiopatias congênita no adulto – Cardiopatias congênitas com repercussão hemodinâmica, crises hipoxêmicas; insuficiência cardíaca; arritmias; comprometimento miocárdico

Próteses valvares e Dispositivos cardíacos implantados – Portadores de próteses valvares biológicas ou mecânicas; e dispositivos cardíacos implantados (marca-passos, cardio desfibriladores, ressincronizadores, assistência circulatória de média e longa permanência)

Doença cerebrovascular – Acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico; ataque isquêmico transitório; demência vascular

Doença renal crônica – Doença renal crônica estágio 3 ou mais (taxa de filtração glomerular < 60 ml/min/1,73 m2) e/ou síndrome nefrótica

Imunossuprimidos – Indivíduos transplantados de órgão sólido ou de medula óssea; pessoas vivendo com HIV; doenças reumáticas imunomediadas sistêmicas em atividade e em uso de dose de prednisona ou equivalente > 10 mg/dia ou recebendo pulsoterapia com corticoide e/ou ciclofosfamida; demais indivíduos em uso de imunossupressores ou com imunodeficiências primárias; pacientes oncológicos que realizaram tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos 6 meses; neoplasias hematológicas

Hemoglobinopatias graves – Doença falciforme e talassemia maior
Obesidade mórbida – Índice de massa corpórea (IMC) ≥ 40
Síndrome de down – Trissomia do cromossomo 21
Cirrose hepática – Cirrose hepática Child-Pugh A, B ou C

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Pais precisam ter mais controle sobre o acesso das crianças às novas tecnologias
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA