VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA

Justiça autoriza pedidos de vítimas para uso do “SOS Mulher-Botão do Pânico”

Publicados

em

O Poder Judiciário julgou 1140 pedidos para botões do pânico, por meio do Aplicativo “SOS Mulher MT – Botão do Pânico“, lançado em junho deste ano. Desses pedidos, 1.073 foram deferidos pelos juízes e juízas das Varas de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher em três meses (até 30 de setembro de 2021), sendo 59 acionamentos (chamadas de emergência).

Nesse período foram feitos 631 downloads para o sistema Android e 103 para IOS gratuitamente pelo celular. A solução tecnológica permite que a mulher vítima de violência doméstica possa solicitar alguns serviços sem precisar sair de casa, como é o caso da medida protetiva on-line, site lançado juntamente com o aplicativo pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso em parceria com a Polícia Judiciária Civil estadual, e que teve 34 solicitações de junho a setembro de 2021.

Para ter acesso ao botão do pânico, um juiz precisa autorizar a liberação, que é solicitada no momento em que a vítima faz o pedido da medida protetiva e pode ser solicitada sem precisar ir até uma delegacia.

O SOS Mulher possibilita que a mulher tenha acesso ao botão do pânico virtual, utilizado quando o agressor descumpre a medida protetiva.

Medida Protetiva on-line

Pode ser solicitada pelo site https://sosmulher.pjc.mt.gov.br/. Clique em “Solicitar Medida Protetiva” e depois em “Iniciar Pedido de Medida Protetiva”. O serviço é disponível para todos os tipos de violência doméstica, exceto a sexual.

SOS Mulher – Botão do Pânico

Aplicativo que deve ser instalado no celular e poderá ser utilizado para mulheres com medidas protetivas determinadas judicialmente e que morem em em Cuiabá, Várzea Grande, Cáceres e Rondonópolis, cidades com unidades do Ciosp instaladas. As mulheres que moram em outras cidades, o aplicativo disponibiliza canal de denúncias, telefone de emergência e solicitação de medida protetiva.

A parceria do Judiciário com a Polícia Civil tem auxiliado no pedido de socorro das vítimas. Imagine que mais de mil mulheres tiveram autorizados pela justiça a utilização do botão do pânico e 59 fizeram o chamado de emergência para o descumprimento das medidas protetivas. São ferramentas importantes que estão à disposição das vítimas, um excelente canal de denúncia que tem evitado até o feminicídio, disse a presidente do TJMT, desembargadora Maria Helena Póvoas.

Os dados foram repassados pelo setor de Tecnologia da Informação da PJC-MT. Essas e outras informações, números e estatísticas relacionadas à violência doméstica contra a mulher no Estado podem ser conferidas no portal da Cemulher (clique AQUI).

Quebre o ciclo

A campanha “A vida recomeça quando a violência termina: quebre o ciclo” foi lançada em março pelo Judiciário mato-grossense para o enfrentamento da violência doméstica. A iniciativa tem mobilizado vários órgãos e instituições no intuito de levar informações para mulheres que sofrem qualquer tipo de violência.

Acesse AQUI o hotsite da campanha.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Câmara homenageia Flor Ribeirinha em sessão solene nesta segunda-feira
Propaganda

Geral

Campanha de vacinação alerta para baixa adesão de adolescentes

Publicados

em

Cerca de metade do público de 12 a 17 anos estimado pelo Ministério da Saúde (MS) para Cuiabá fez o cadastro para receber a vacina contra o Coronavírus na capital até o momento. Segundo informações da coordenação da campanha, a meta prevista é de 53.824 adolescentes, e desse montante aproximadamente 26 mil fizeram o cadastro.

Quando liberamos o cadastro deste grupo, tivemos uma grande procura no começo. Os 26 mil cadastros foram feitos logo na primeira semana, mas depois disso não tivemos mais adolescentes se cadastrando”, revelou Valéria de Oliveira, coordenadora da campanha de vacinação.

Ela conta ainda que todos as pessoas deste grupo já foram agendadas.

Já liberamos as agendas para todos os adolescentes cadastrados. Temos pessoas de 12 a 17 anos agendadas até esta quinta-feira (21). Não temos mais ninguém dessa faixa etária no cadastro depois disso. Pedimos aos pais ou responsáveis por adolescentes que ainda não tenham feito o cadastro que façam o quanto antes, para darmos prosseguimento à imunização deste grupo”, pediu a coordenadora.

Segunda dose e dose de reforço

Valéria também alerta sobre a baixa procura para pessoas que precisam tomar a segunda dose de Pfizer e a dose de reforço.

Recentemente o Ministério da Saúde liberou para as pessoas tomarem a segunda dose de Pfizer 56 dias após a primeira, mas depois disso parece que as pessoas esqueceram que precisam receber essa segunda aplicação. Além disso, a procura de dose de reforço para idosos a partir de 70 anos e trabalhadores da saúde também está pequena. Nós, da vacinação, convocamos todo este público que venha aos polos de vacinação ou unidades básicas de saúde que aplicam as vacinas para tomarem sua dose e completar o esquema vacinal”, concluiu.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Termino do Parque das Águas entra na reta final para a grande festa
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA