REGRA VALE PARA TODAS AS ESCOLAS

Escolas não podem negar matrícula a pessoas com deficiência

Publicados

em

As escolas públicas brasileiras ainda têm um grande caminho a percorrer para serem consideradas inclusivas a pessoas com deficiência. Um estudo da plataforma QEdu, realizado a partir de dados do Censo Escolar, mostrou que pouco mais de um quarto das 37.593 unidades da rede pública do país tem dependências acessíveis. Nas particulares, o número sobe para aproximadamente 45%.

Apesar do número baixo, há uma evolução. Como as informações disponíveis são oriundas do Censo Escolar, os dados sobre as crianças e jovens com deficiência que não possuem acesso à Educação ficam na invisibilidade. São insuficientes, ainda, as informações sobre as pessoas com superdotação ou altas habilidades na Educação Básica e no Ensino Superior, embora haja a determinação legal, desde 2015, da criação de um cadastro nacional.

Segundo estudos, esse avanço é considerado positivo.

É preciso ter todas as escolas inclusivas em termos arquitetônicos, além de transporte adequado para os estudantes, sem dizer dos desafios relacionados às demais barreiras”.

Considerando que as escolas costumam fazer as adaptações mediante às necessidades da comunidade interna, o número de matrículas de estudantes com deficiência impulsiona a acessibilidade do espaço escolar.

Escolas não podem negar matrícula ou rematrícula

O Procon Estadual de Mato Grosso alerta pais e responsáveis de que, havendo vagas disponíveis, as escolas não podem negar matrícula ou rematrícula de pessoas com deficiência. O direito tem por base diversas leis, entre elas a Constituição Federal, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e o Estatuto da Pessoa com Deficiência.

A regra vale para todas as instituições de ensino, sejam públicas ou privadas, em qualquer nível ou modalidade de ensino.

De acordo com o fiscal de defesa do consumidor, André Badini, a legislação brasileira garante o direito à educação inclusiva e as escolas, públicas ou particulares, devem disponibilizar a matrícula com igualdade para todos. Devem, também, arcar com todos gastos e investimentos necessários à educação de qualquer criança, inclusive aquelas que possuem algum tipo de deficiência, como, por exemplo, ter projeto pedagógico específico, professores para atendimento educacional especializado e recursos de acessibilidade que eliminem as barreiras e promovam a inclusão plena.

Entretanto, diversas instituições de ensino, em vários municípios de Mato Grosso, já foram autuadas pelo Procon Estadual por descumprimento da legislação. Entre as infrações já encontradas pelo órgão de defesa do consumidor, além da recusa de matrícula para pessoas com deficiência, estão a ausência de estrutura adequada e acessível; a cobrança de mensalidade maior ou de valor adicional para matrícula; e a transferência para o consumidor da obrigação de contratação de profissionais pedagógicos para aluno com deficiência.

O Estatuto da Pessoa com Deficiência estabelece que, se houver vaga na instituição de ensino, é crime recusar a matrícula, cobrar valores adicionais, suspender, procrastinar, cancelar ou fazer cessar inscrição de aluno portador de deficiência. O crime pode ser punido com pena de dois a cinco anos e multa.

O secretário adjunto de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor, Edmundo Taques, adverte que o crime, inclusive, está sujeito à atuação da polícia em flagrante.

Os pais que tiverem a matrícula negada podem e devem procurar a delegacia de polícia para registrar a ocorrência. Também é possível fazer uma reclamação ou encaminhar uma denúncia ao Procon”, informa Edmundo.

Ministério Público Estadual

Recentemente, o Núcleo de Defesa da Cidadania de Cuiabá, do Ministério Público Estadual (MPMT), instaurou inquérito civil para investigar supostas recusas de matrícula de alunos com deficiência em unidades da rede privada de ensino de Cuiabá. A investigação foi motivada por notícias veiculadas na imprensa de que algumas escolas particulares de Cuiabá estariam negando matrícula a aluna com Síndrome de Down.

Práticas abusivas, que podem caracterizar infração administrativa e/ou criminal:

– Negar a matrícula de aluno devido à deficiência;
– Cobrar pagamento de taxas extras ou valores diferenciados devido à deficiência ou alegando possíveis necessidades educativas especiais;
– Obrigar pais ou responsáveis a contratar profissionais de apoio escolar para acompanhar o aluno;
– Impor provas ou outros mecanismos de avaliação (como laudos médicos) que impeçam ou dificultem a matrícula de alunos com deficiência;
– Obrigar pais ou responsáveis a permanecerem na escola para acompanhar o filho portador de deficiência (em distinção ao exigido de famílias dos demais estudantes).

Ser Inclusivo Sensorial

Em junho, o Governo do Estado inaugurou a sala Ser Inclusivo Sensorial, nas dependências do Centro de Reabilitação Integral Dom Aquino Corrêa (Criadac), em Cuiabá. A sala é um espaço estruturado para atendimento e cuidado exclusivo de crianças diagnosticadas com o Transtorno do Espectro de Autista (TEA).

O espaço é o primeiro específico na rede de saúde do Estado para atendimento dos autistas e foi estruturado com recursos do Bazar Vem Ser Mais Solidário, realizado pela primeira-dama Virginia Mendes. Saiba mais aqui.

Reclamações

Desde setembro, o Procon-MT passou a contar com um novo canal de atendimento: agora pelo WhatsApp. Basta adicionar o número (65) 9228-3098, enviar uma mensagem e seguir as instruções que serão enviadas. Além disso, o consumidor também pode agendar o atendimento presencial pelo mesmo número de telefone.

O consumidor pode, ainda, obter orientações ou encaminhar denúncia pelo canal da Ouvidoria.

A sede do Procon Estadual de Mato Grosso está localizada na Rua Baltazar Navarros, n. 567, esquina com a Av. General Vale (antigo Sine), Bairro Bandeirantes, Cuiabá (MT).

Também é possível registrar sua reclamação pelo Consumidor.gov.br a qualquer hora do dia ou da noite. Entretanto, para utilizar esse canal, a instituição de ensino precisa estar cadastrada na plataforma. Para obter essa informação, basta clicar aqui e digitar o nome da escola no campo de busca “Digite o nome da empresa a ser pesquisada”.

Outras opções de atendimento do Procon Estadual

Ganha Tempo da Praça Ipiranga (Cuiabá): das 08h às 17h, por agendamento via sistema da Seplag.
– No Centro Estadual de Cidadania, que fica dentro do Várzea Grande Shopping: das 10h às 18h, por ordem de chegada.
– No posto do Procon Estadual na Assembleia Legislativa: das 7h às 17h.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  "Operação Lei Seca" prende 10 pessoas e autua 76 motoristas
Propaganda

Geral

Todos os polos de vacinação podem aplicar a dose de reforço contra o Coronavírus

Publicados

em

A partir desta segunda-feira (6), todos as pessoas de 18 a 59 anos que tenham tomado a segunda dose de qualquer vacina contra o Coronavírus há 5 meses (150 dias) poderão receber a dose de reforço. Até então apenas trabalhadores da saúde e pessoas a partir de 60 anos estavam recebendo a terceira aplicação, mas com o recebimento de mais doses, a campanha Vacina Cuiabá – Sua Vida em Primeiro Lugar ampliou o público.

O anúncio foi feito pelo Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), na tarde desta ultima sexta-feira,3.

Com apoio de todos vocês, juntos, vamos vencer essa cruzada contra a Covid-19“, declarou o prefeito.

É como se estivéssemos começando novamente a campanha de vacinação, pois agora toda a população adulta poderá ser vacinada com a dose de reforço. Por isso pedimos encarecidamente que as pessoas verifiquem com cuidado a data que tomaram a segunda dose, para só comparecerem aos polos de vacinação para receber a terceira aplicação no prazo correto, que é de 150 dias após a segunda vacina”, explicou Valéria de Oliveira, coordenadora da campanha.

Em relação à segunda dose da Janssen, Valéria revelou que é necessário aguardar a chegada das vacinas.

Recebemos cerca de 15 mil doses de Janssen para aplicação de dose única na época e ela já foi toda usada, não temos mais nenhuma dose. Precisamos aguardar o envio da segunda dose para o público que recebeu essa vacina para darmos continuidade ao esquema vacinal”, disse.

A coordenadora aproveita para fazer o chamamento das pessoas que estão com a segunda dose ou a dose de reforço atrasadas.

Temos muitas pessoas que precisam comparecer aos polos de vacinação para completarem o esquema vacinal. Quem tomou a primeira dose de Pfizer ou Astrazeneca, pode tomar a segunda depois de 56 dias. Quem tomou a primeira de Coronavac, pode tomar a segunda após 28 dias. Pessoas acima de 12 anos que ainda não tomaram nenhuma dose, devem fazer o cadastro no site Vacina Cuiabá e comparecer a qualquer polo e se vacinar o quanto antes“.

Ela reforça a importância de se completar o esquema vacinal e tomar a dose de reforço.

Temos visto nos noticiários que vários países da Europa estão passando por mais uma onda da Covid-19 porque a cobertura vacinal está abaixo do esperado. O Brasil tem uma forte cultura de vacinação e já conseguiu controlar inúmeras doenças por meio da imunização. É essencial que as pessoas venham se vacinar, pois quanto mais pessoas imunizadas, menos risco corremos de passarmos por uma nova onda da pandemia. Quem se vacina, protege si mesmo e o próximo”, concluiu Valéria.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  "Vacina é a melhor alternativa contra a COVID-19"
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA