EM FLAGRANTE

Duas pessoas são presas por comercializavam computadores furtados do Estado

Publicados

em

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Combate à Corrupção (Deccor), prendeu em flagrante, nesta sexta-feira (10), em Cuiabá, duas pessoas pelo crime de receptação de produtos furtados de um órgão público estadual.

A delegacia especializada foi acionada pela atual gestão do Ganha Tempo, administrado pela Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão, que constatou, durante levantamento patrimonial de rotina, a falta de equipamentos informáticos da unidade da Praça Ipiranga e que poderia haver participação de funcionários do local.

Durante diligências, as equipes de investigação da Deccor apuraram que uma atendente da unidade do Ganha Tempo estava anunciando em rede social a venda de computadores idênticos aos furtados do local.

Os investigadores localizaram uma loja de assistência e venda de equipamentos de informática, onde foram apreendidos dois computadores subtraídos do Ganha Tempo. O proprietário do local foi preso em flagrante por receptação. Durante interrogatório, o suspeito confirmou que adquiriu três equipamentos da atendente e os colocou à venda. Um deles foi recuperado após ter sido vendido.

Em continuidade às diligências, a equipe da delegacia especializada localizou a servidora do Ganha Tempo, que confirmou a venda dos computadores ao receptador e disse que guardou um deles na residência da mãe dela.

Depois de apreender o aparelho com a atendente, os policiais deram voz de prisão à funcionária, que foi também encaminhada à delegacia. Em depoimento, ela declarou que havia ‘ganhado‘ cinco computadores (CPU, teclado, mouse e monitor) de um ex-funcionário do Ganha Tempo, que subtraiu os equipamentos do local. A moça disse ainda que anunciava a venda em páginas pessoais e comerciais na internet.

Subtração

Os policiais da Deccor localizaram o ex-funcionário do Ganha Tempo que, em oitiva na delegacia, confessou o furto de 10 computadores da unidade da Praça Ipiranga, há mais ou menos dois meses. Ele declarou ainda que entregou cinco deles à atendente e vendeu outros cinco para uma pessoa em Várzea Grande.

A pessoa que comprou os equipamentos em Várzea Grande compareceu espontaneamente na unidade policial e confirmou a compra do ex-funcionário do Ganha Tempo, tendo revendido os computadores em sua loja de assistência técnica. Um dos equipamentos foi recuperado.

Diante das informações apuradas pelas equipes da Deccor, o delegado Cláudio Álvares Sant’Ana autuou a atendente e o comerciante preso com dois computadores pelo crime de receptação qualificada. Ambos foram presos em flagrante porque ocultaram ou mantiveram consigo para venda em proveito próprio produto que sabiam ser obtido de forma ilegal.

O ex-funcionário do Ganha Tempo, responsável pelo furto dos equipamentos enquanto exercia atividades no órgão estadual, vai responder pelo crime de peculato.

Sendo o peculato um crime instantâneo, que consumou-se no momento da subtração, não há situação de flagrante, devendo o mesmo responder criminalmente ao longo das investigações“, explicou o delegado.

As investigações prosseguirão na Deccor, unidade responsável por apurar delitos de corrupção cometidos contra a administração pública, para saber se há possível envolvimento de outras pessoas.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Ultrapassa de 5 toneladas de drogas apreendidas em Mato Grosso no semestre
Propaganda

Geral

“Operação Lei Seca” prende sete motoristas e apreende 49 veículos

Publicados

em

Na “Operação Integrada da Lei Seca“, realizada na Avenida do CPA, próxima ao bairro Baú, na noite desta quarta-feira (15), foram fiscalizados 116 veículos e aplicados 116 testes de alcoolemia. Sete motoristas foram presos dirigindo embriagados e 49 veículos foram removidos, sendo 41 carros e oito motocicletas. A ação começou as 23h30.

Dez pessoas foram flagradas conduzindo veículo sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH), 22 estavam dirigindo sob efeito de álcool (quantidade inferior para caracterizar crime de trânsito), outros 19 motoristas estavam com veículo sem registro ou sem o licenciamento. Ao todo foram aplicados 76 Autos de Infração de Trânsito.

Doze motoristas se recusaram a realizar o teste do bafômetro.

Em Cuiabá, a Operação Lei Seca foi realizada pelo Gabinete de Gestão Integrada da Secretaria de Estado de Segurança Pública (GGI/Sesp), Batalhão de Trânsito da Polícia Militar, Delegacia de Delitos de Trânsito (Deletran), Detran, Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) e a policiais penais do Serviço de Operações Especiais Penitenciárias (SOE).

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Defesa Civil e Politec-MT autorizam demolição emergencial de estrutura da Ciclo Ribeiro
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA