CONFRONTO

Cuiabá terá 50% dos ônibus novos em circulação totalmente climatizados

Publicados

em

O fraco desempenho da economia, aliado ao aumento de custos operacionais, leva muitas empresas ao adiamento dos planos de renovação de frota. Afinal, em tempos de crise, ninguém deseja se comprometer com financiamentos e taxas de juros e ver seu capital parado em função da baixa atividade, não é?

No entanto, os veículos mais antigos demandam elevados custos de manutenção, além de representarem mais riscos e consumirem mais combustíveis. Ou seja, é preciso analisar qual o momento certo de fazer a renovação de frota para não comprometer sua produtividade e competitividade no mercado.

Anúncio em 2019

A renovação da frota dos ônibus em circulação na capital de todos os mato-grossenses era para ter acontecido no ano de 2020, quando em dezembro de 2019, o Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), tinha ordenado que as quatro empresas vencedoras da licitação do transporte público teriam que fazer a sua renovação em 50% da frota, cerca de 180 veículos, até junho do ano de 2020. A licitação exigia que as empresas começassem a operar com no mínimo 30% da frota com ar condicionado.

Na época, as empresas vencedoras foram: Viação Paraense, Rápido Cuiabá Transporte Urbano, Caribus Transportes e Serviços e Integração Transporte.

Nesta sexta-feira (08), um novo anúncio, o Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) fez um comunicado que, já a partir do mês de maio deste ano, a frota do transporte coletivo da Capital passará a contar com 111 veículos totalmente novos e mais 90 com ar-condicionado.

De acordo com o chefe do Executivo Municipal, com isso Cuiabá se tornará uma das primeiras capitais brasileiras a ter 50% dos ônibus em circulação totalmente climatizados.

O gestor explicou que, atualmente, a Capital conta com 382 ônibus atendendo os bairros das quatro regiões da cidade. Com o processo de modernização iniciado, 201 veículos deverão ser climatizados, neste curto prazo. Ainda segundo explicado por Pinheiro, o planejamento é de que, em 2022, esse número suba para 75% e, nos anos seguintes, 100% da frota seja alcançada. Além disso, a idade média dos veículos também será reduzida para 4,5 anos.

Nos comprometemos a entregar, até junho, 50% da frota climatizada. No entanto, não vamos nem deixar chegar esse prazo. No dia 31 de maio, já quero que isso esteja em funcionamento. Cada empresa assinou essa responsabilidade, que deve ser cumprida em curto prazo. Temos essa prioridade com o cidadão. É um processo de modernização que inicia pela renovação da frota, com veículos 0 km.

A renovação só foi possível graças a atuação do prefeito para garantir o destravamento do processo licitatório, que há mais de 20 anos não ocorria. Por meio do certame, novas responsabilidades foram atribuídas às empresas, entre elas estão a redução na idade média e climatização dos veículos. Também está em andamento o trabalho de melhoria nos abrigos de embarque e desembarque de passageiros.

Diante do planejamento apresentado, o prefeito destacou que esse é o principal motivo de não ter aceitado a solicitação do Governo do Estado de Mato Grosso para que a Prefeitura de Cuiabá suspendesse esse procedimento. Para Pinheiro esse é um pedido totalmente inviável, já que prejudica diretamente a população, impedindo de promover uma mudança completa no transporte coletivo.

Nosso plano de transformação dessa realidade já está pronto para ser executado. Então, não há essa possibilidade de atender um pedido do Estado, que tem como base uma decisão unilateral de seu comandante na troca do VLT pelo BRT. Não vamos atender isso e isso está decidido. O que vamos fazer é dar início na consolidação desse período de respeito, conforto e modernização do transporte que o cidadão merece”, argumentou.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Nossos eleitores estão amadurecidos nesta eleição?
Propaganda

Geral

Sem folia, feriado de carnaval terá expediente normal em Cuiabá

Publicados

em

A certeza é de que em fevereiro, mês previsto para o Carnaval, entre os dias 13 e 16 em 2021, a festa não acontecerá. A festa que sempre foi tradicional já esta suspensa no país por vários governos e prefeituras, mas em alguns Estados e Municípios ainda vão decidir sobre a manutenção de dias de descanso em fevereiro.

Se mantidas as festividades do carnaval de 2021, as gigantescas aglomerações geradas pela festa seriam como “bombas” de contágio do novo Coronavírus. Pela lei, a festa não é um feriado nacional, mas um ponto facultativo. Ou seja, estados e municípios têm autonomia para decidir se têm ou não a folga.

Em Cuiabá, a Capital de todos os mato-grossenses, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), já assinou um novo Decreto com ações de enfrentamento ao novo Coronavírus, a Covid-19. Conforme a determinação, está proibida a realização de eventos carnavalescos na Capital nas datas de 15 e 16 de fevereiro de 2021.

O Decreto ainda transforma as datas 15, 16 e 17 em dias úteis. Dessa forma, o expediente no serviço público municipal funcionará normalmente.

Emanuel Pinheiro determinou ainda que às secretarias municipais competentes, que suspenda a emissão de qualquer tipo de autorização para eventos e festejos nas datas citadas sob pena de multa para quem descumprir o decreto.

A medida, conforme o gestor, foi tomada por causa do crescente número de casos confirmados, bem como de óbitos decorrentes do vírus.

A festa, que é uma tradição no país, evidencia uma probabilidade de alta transmissibilidade e risco de agravamento do atual quadro de saúde pública vivenciada, decorrente da Pandemia do Coronavírus.

Para atendimento das denúncias referentes ao descumprimento das disposições contidas no Decreto, o Município disponibiliza os seguintes canais de comunicação: Disque Silêncio (fone: 99341-3000) e Polícia Militar (fone: 190).

A fiscalização será realizada pelas secretarias municipais de Ordem Pública, de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano Sustentável, de Mobilidade Urbana (Semob), Vigilância Sanitária, além da Polícia Militar (PM).

Confira abaixo o decreto na íntegra

https://www.cuiaba.mt.gov.br/download.php?id=119922

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Julho Amarelo: um sinal de alerta para as hepatites virais
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA