ENERGIA SOLAR EM CRESCIMENTO

Cuiabá é o 1º município do Brasil a atingir 100 MW em GD solar

Publicados

em

O crescimento da energia solar PV tem ocorrido acima de todas as expectativas e já coloca esta fonte de energia renovável como a de maior crescimento e aquela que deve apresentar os maiores avanços nos próximos anos, em função da redução do preço de produção e devido à capacidade de atender a demanda do mercado, especialmente na produção e distribuição descentralizada.

China, Estados Unidos, Japão e Alemanha estão no topo da lista mundial dos países com a maior potência instalada de energia fotovoltaica. Para quem já conhece esses países sabe que não é estranho encontrar pelas ruas casas com telhados solares produzindo a própria energia.

E a produção da própria energia elétrica usando painéis solares se espalhou também por quase toda a Europa. O que estes países têm de diferente do Brasil? A incidência de sol.

O potencial energético do Brasil de produzir energia fotovoltaica é muito maior do que o da Alemanha, por exemplo. No que diz respeito aos níveis de radiação, a região mais ensolarada da Alemanha tem o índice de radiação solar 40% menor que o índice da região menos ensolarada do nosso Brasil.

Dá pra imaginar o potencial de mercado que nosso país estava perdendo por não haver regulamentação da produção de energia elétrica através do sol?

Cuiabá é o primeiro município do Brasil a atingir a marca de 100 MW de potência solar instalada em residências, fachadas e em pequenos e médios terrenos, segundo dados apurados junto à Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).

Com pouco mais de 615 mil habitantes, a capital do Estado de Mato Grosso já acumula mais de 9,45 mil UCs (Unidades Consumidoras) recebendo créditos e pouco mais de 9 mil usinas fotovoltaicas em operação.

Entre as classes de consumo, os sistemas residenciais são os de maior predominância, com mais de dois terços das usinas (7,62 mil) e mais da metade de toda a potência instalada no município (55 MW). Na sequência, aparecem os sistemas em comércios (24,5 MW) e indústrias (15,8 MW), respectivamente.

De acordo com Thiago Trindade, empreendedor do setor de energia solar na região, Cuiabá é uma cidade que o consumo de energia é alto, por causa das temperaturas elevadas em quase todos os meses do ano.

Isso faz com que a necessidade de ter um sistema de energia solar em casa se torne muito atrativo, pelos benefícios econômicos“, disse ele.

Hoje, uma residência familiar comum, com 4 pessoas, consome tranquilamente de 700 a 800 kwh/mês. Já uma empresa climatizada, para proporcionar um mínimo de conforto para seus clientes, consomem de 3 mil a 4 mil kwh/mês, se não for um espaço muito grande“, explicou.

Já para Tiago Vianna de Arruda, coordenador estadual de Mato Grosso pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), e Sindicato da Construção, Geração, Transmissão e Distribuição. de Energia Elétrica e Gás no Estado de Mato Grosso (Sindenergia/MT), a adesão a energia solar também tem relação direta com o agronegócio regional.

O fato de a concessão englobar todo o Mato Grosso, muitas empresas do agro têm concentrado seus geradores em Cuiabá, fazendo uso da energia através do autoconsumo remoto e também visando operação e manutenção concentrada. Isso tudo gera um custo menor e consequentemente traz ainda mais atratividade financeira para os investimentos (em solar)“, destacou.

Energia solar em MT

Atualmente, o Estado de Mato Grosso está em lugar no ranking de geração de energia solar distribuída no país, com 497 MW de potência instalada, ficando atrás apenas de Minas Gerais (1.479 MW), São Paulo (1.079 MW) e Rio Grande do Sul (1.011 MW).

Entre os anos de 2020 e 2021, a Energisa, empresa responsável pela distribuição de energia no estado mato-grossense, registrou um aumento de mais de 200% nos pedidos para análises de projetos para a inclusão de geração solar na rede de distribuição, o que revela um aumento no interesse dos consumidores pela fonte fotovoltaica na região.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Sinop é o primeiro mato-grossense a estrear na Copa Verde
Propaganda

Geral

Veículos serão removidos se estacionar em local prioritário

Publicados

em

Estacionar o veículo em local proibido, não usar cinto de segurança ou até usar o celular conduzindo um automóvel, mesmo que seja só por um minutinho, pode resultar em multa e alguns pontos na carteira. O Comando de Polícia Polícia Militar (PM/MT), assim como a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) tem alertado a população quanto a estas infrações do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o que têm sido registradas com frequência o desrespeito. Além da aplicação das sanções previstas, o veículo pode ser guinchado ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e ao pátio da SEMOB.

Nesta semana, a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) retoma a “Operação Tolerância Zero” contra motoristas e motociclistas que estacionam em vagas reservadas para idosos, pessoas com deficiência (PCD) ou com mobilidade reduzida. De acordo com o secretário de Mobilidade Urbana (Semob), Juares Samaniego, as primeiras operações serão orientativas, mas, no mês de fevereiro os agentes de trânsito começam a aplicação do auto de infração.

Os agentes também orientarão os motoristas quanto ao não uso das calçadas e a entrada e saída de veículos como estacionamento.

Aos que que não respeitarem a Lei de Trânsito, os veículos poderão ser autuados e removidos. Para o secretário de Mobilidade Urbana, Juares Samaniego, alguns motoristas ainda insistem em “errar” e praticar a infração que é também uma “falta de educação” no trânsito.

Infelizmente, a falta de bom senso ou falta de educação continuam sendo praticadas por alguns motoristas/motociclistas. Todos os dias há alguns motoristas usando vagas prioritárias. Recebemos muitas reclamações dos cidadãos com deficiência ou idosos que se veem impedidos de utilizarem essas vagas porque estão sendo usadas por aqueles que não necessitam delas. Infelizmente, esses cidadãos são os que mais reclamam dos agentes, mas não olham para os próprios erros cometidos no dia-a-dia no trânsito. Para esses motoristas eu peço, tenham consciência“, lamentou o secretário.

Estacionar em vagas reservadas aos deficientes e idosos sem credencial pode resultar na remoção do veículo, 7 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e R$ 293,47 de multa.

Os agentes também orientarão os motoristas quanto ao não uso das calçadas e a entrada e saída de veículos como estacionamento. A fiscalização ocorrerá também dentro dos shoppings e supermercados da capital. A fiscalização nestes locais é legal e consta no artigo 21 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), e nos estatutos dos idosos e PCD.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Na prática de delitos criminais dos companheiros, as mulheres têm papel secundário
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA