EM TODOS OS MUNICÍPIOS

Campanha de vacinação contra a poliomielite começa dia 15

Publicados

em

Campanha estava prevista para começar na próxima segunda-feira (08), mas devido ao atraso do envio das vacinas por parte do Ministério da Saúde, a SES decidiu pelo adiamento do início da vacinação.

O início da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite em Mato Grosso inicia no dia 15 de agosto. A campanha estava prevista para começar na próxima segunda-feira (08), mas em razão do atraso do envio das vacinas por parte do Ministério da Saúde, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) decidiu pelo adiamento do início da vacinação.

Cerca de 170 mil doses da vacina chegaram nesta quinta-feira (04) na Rede de Frio do Estado. A superintendente de Vigilância e Atenção à Saúde da SES, Alessandra Moraes, explica que as equipes não teriam tempo hábil para distribuir as doses aos municípios até a próxima segunda-feira.

Neste momento, as equipes da Vigilância Estadual trabalham no recebimento das doses, na conferência da quantidade, na catalogação dos imunizantes e no encaixotamento. A distribuição das doses aos municípios deve iniciar em breve“, informa Alessandra.

A partir do dia 15 de agosto, devem ser imunizadas contra a poliomielite crianças menores de cinco anos de idade. A estimava é de que sejam vacinadas 227.559 crianças desta faixa etária.

Leia Também:  Prefeitura nomeia e convoca mais 223 aprovados no concurso da Educação

Em Mato Grosso, também foi adiado para o dia 15 de agosto o início da campanha de Multivacinação para Atualização da Caderneta de Vacinação da Criança e do Adolescente menor de 15 anos de idade. As vacinas para esta campanha chegaram nesta quinta-feira (04) na Rede de Frio do Estado. São aproximadamente 700 mil doses de vacinas que integram o Calendário Nacional de Vacinação.

As campanhas de vacinação contra a Poliomielite e Multivacinação coincidirão com a continuidade da vacinação contra a Covid-19.

A vacina contra o coronavírus poderá ser administrada de maneira simultânea ou com qualquer intervalo com as demais vacinas do Calendário Nacional de Vacinação, na população a partir de três anos de idade“, esclarece Alessandra.

O Dia “D” de mobilização nacional das duas campanhas está previsto para ocorrer no dia 20 de agosto, mas conforme orientação do Ministério da Saúde, os municípios terão autonomia para definir as datas de mobilização (Dia D) para a vacinação em conformidade com a realidade local.

Leia Também:  Prefeitura publica nesta segunda atos de nomeação e convocação do concurso da Assistência Social

O que é a poliomielite?

A Poliomielite, também chamada de pólio ou paralisia infantil, é uma doença contagiosa aguda causada pelo poliovírus, que pode infectar crianças e adultos por meio do contato direto com fezes ou com secreções eliminadas pela boca das pessoas doentes e pode provocar ou não paralisia. Nos casos graves, em que acontecem as paralisias musculares, os membros inferiores são os mais atingidos.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Geral

Médica orienta cumprir esquema vacinal para evitar casos de meningite

Publicados

em

Meningites e pneumonias podem ser causadas por vírus, fungos e bactérias. No caso desse último agente infeccioso, existem vacinas que oferecem proteção contra alguns dos sorotipos mais comuns de meningococos e pneumococos, responsáveis por manifestações graves dessas doenças”.

Considerada pelo Ministério da Saúde como doença endêmica no Brasil, a meningite ocorre com maior intensidade na forma bacteriana no inverno e na forma viral no verão. No entanto, o que preocupa é que apesar de ter cobertura, os dados do Plano Nacional de Imunização (PNI) evidenciam que 73% do público-alvo da vacina meningocócica forma mais grave da doença e distribuída gratuitamente pelo SUS não tomou todas as doses dos imunizantes.

A responsável pelo setor de terapia intensiva do sistema Hapvida, Franciane Gonçalves, explicou que a meningite é uma doença tratável.

E que, por isso, parte do problema está exatamente no não cumprimento do esquema vacinal completo, principalmente nas crianças.

É importante que tomem o reforço, pois com o tratamento incompleto fica mais suscetível da pessoa ser acometida de uma infecção”.

A médica reforça ainda que esta é uma doença que pode ser evitada.

Porém, para isso precisamos manter o calendário de proteção atualizado”, reafirmou.

Para evitar confusões, ela pontua que na hora de consultar o cartão de vacinação é recomendável pedir ajuda a atendentes.

Eu sempre explico que às vezes a pessoa lê e não compreende as doses que faltam. O ideal é que o paciente peça auxílio para identificar o que ainda precisa ser feito”, recomendou.

A profissional ainda destacou que na meningite ocorre uma inflamação da meninge, que é uma espécie de película que recobre o cérebro. Ela pode ser causada por vírus, bactérias, parasitas ou fungos.

Leia Também:  Tensão na Penitenciária Central do Estado

Os sintomas são variados quando o tipo é viral e são parecidos com um resfriado comum; febre, falta de apetite e fadiga. Já quando é bacteriana os sintomas são mais fortes.

É importante lembrar que a meningite meningocócica é a mais grave, podendo inclusive levar à morte. Então essa é a mais preocupante e é preciso ficar atento aos principais sintomas que são febre alta e persistente, dificuldade de colocar o queixo no pescoço, rigidez de nuca da criança e umas manchas vermelhas que aparecem pelo corpo”, completou.

Ela orienta que, neste caso, é necessário levar o paciente de imediato para o atendimento médico.

A doença é tratável, mas não pode ficar em casa, com esses sintomas”, resumiu.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA