ESPORTES

Zico é candidato à presidência da Fifa

Publicados

em

O ex-jogador de futebol Artur Antunes Coimbra, conhecido como Zico, reafirmou que é candidato à presidência da Federação Internacional de Futebol (Fifa) e comentou a atitude do atual presidente da entidade, Joseph Blatter, que declarou em entrevista a um jornal suíço, na última quinta-feira (25), que não teria renunciado, deixando em aberto uma possível volta ao cargo. Zico participou no Rio de Janeiro, ao lado do ministro do Esporte, George Hilton, da cerimônia de despedida da delegação brasileira que participará do Special Olympics, nos Estados Unidos competição para jovens com deficiências intelectuais.

zico"Estamos na fase de aguardar o desenrolar dos fatos. A gente já vê o presidente [Blatter] dizer que não falou o que muita gente colocou e que não era bem aquilo que ele tinha dito. Acho que todos esses fatos denegriram muito o futebol mundial, e a gente espera que haja uma solução definitiva, para o bem do futebol. Não podemos ter dirigentes importantes presos e denunciados, indiciados. Isso contamina. A gente vê uma oportunidade ímpar para uma entidade importante passar a ser democrática, passar a ter decisões que beneficiem o futebol, e não pessoas", comentou.

Zico disse que desde o dia em que anunciou sua candidatura, em 10 de junho, vem recebendo inúmeros apoios. Para se candidatar à Fifa, ele precisa de um mínimo de cinco federações nacionais lhe apoiando. Ele conta com a do Japão, país onde ajudou a popularizar o futebol, e vai à Índia, em busca de voto.

Leia Também:  Série B e D, terá no comando de árbitros mato-grossenses

"Tivemos uma aceitação muito grande de todos os lugares, nacional ou internacional, e eu fiquei muito feliz com isso. Agora, já começamos a trabalhar, independente[mente] do que vai acontecer ou não. Vamos montar um programa. Estou me reunindo com pessoas importantes, que têm conhecimento de diversas áreas do futebol. [A candidatura] Está de pé. Dei minha palavra, botei minha cara. Estou esperando o desenrolar dos fatos. Vou enviar o meu programa, com a plataforma, para todas as federações do mundo", enfatizou.

Em relação a Michel Platini, ex-jogador francês e atual presidente da União das Federações Europeias de Futebol (Uefa), cotado como possível candidato à Fifa, Zico disse que ele não teria demonstrado interesse em participar da eleição. "Ele está em dúvida. Acho que é bem possível que continue na Uefa, pois está muito bem lá. Uma parte dos europeus quer que ele se candidate, mas não vi ele muito empolgado à Fifa, não", acrescentou.

Leia Também:  Cuiabá vence com gol aos 48 minutos do segundo tempo

Zico é um dos embaixadores da Special Olympics, que este ano ocorre na cidade norte-americana de Los Angeles, de 25 de julho a 2 de agosto. A delegação brasileira tem 39 atletas, todos com algum tipo de deficiência intelectual. O ministro George Hilton disse que a competição "é um evento de inclusão social. São atletas especiais que nos ensinam muito mais do que nós podemos oferecer a eles. O Ministério do Esporte tem hoje um foco nisso. Temos uma política arrojada para o alto rendimento, mas sem perder de vista o esporte de inclusão".

Um dos atletas do Brasil no Special Olympics é o carioca Breno Viola, judoca do Clube de Regatas Flamengo. Ele salientou que sua meta é de trazer medalhas, e ressalvou que "o judô não vai fazer feio". Tenho síndrome de Down e o ritmo no esporte é lento, mas com o tempo a gente vai conseguindo, disse ele. mas admite que "o esporte traz coisas na vida como determinação, disciplina e amor pelo que a gente faz. A gente tem que realizar o nosso próprio sonho, e eu só paro com o judô quando minhas pernas não aguentarem". – (Agência Brasil)

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

ESPORTES

Cuiabanos são campeões das Américas de Kung Fu Wushu

Publicados

em

Cinco atletas do Projeto Social Kung Fu Wushu, realizado pelo Instituto INCA – Inclusão, Cidadania e Ação, em rede com a academia CPA Fitness, conquistam medalhas de ouro, prata e de bronze, na 13ª edição do Campeonato Pan-americano de Wushu, arte marcial chinesa, em Brasília.

Depois do campeonato Interestadual de Kung Fu Wushu, em Campo Grande (MS), parte da equipe de atletas do projeto social Kung Fu Wushu embarcou para Brasília, ao Pan-Americano trazendo mais medalhas, no mês de julho. De olho nas competições internacionais, os atletas já tem vagas garantidas para representar o Brasil na Indonésia, Turquia e Argentina.

Foram 02 medalhas de ouro para a Tabatta Cristina da Silva Souza, 14 anos, e 2 medalhas, uma de prata e uma de bronze, para o Fernando Silva Araújo, 31 anos, ambos PCds (Pessoa com deficiência) na categoria de adaptados.

Também na modalidade Combate, com o Wushu Sanda, foram 01 de ouro para o Guilherme Matheus Corrêa de Holanda, de 14 anos, 01 de ouro para o Moisés Ribeiro da Silva, de 13 anos, e mais uma de ouro para o professor do projeto social, Gabriel Pedroso de Almeida, de 23 anos.

O Pan-Americano foi realizado pela terceira vez no Brasil e contou com a participação de 16 países, representados por mais de 300 atletas de 6 a 40 anos. O evento teve disputas nas categorias infantil, infanto-juvenil, juvenil e adulto das modalidades de Sanda e Taolu.

De olho nas competições internacionais, os atletas Moisés (categoria infantil, 52kg) e Guilherme (categoria infantil, 45kg) já tem vaga garantida no time do Mundial Júnior de Sanda, de 12 a 14 anos de idade, representando o Brasil, na Indonésia. O professor Gabriel conseguiu vaga para o Campeonato Universitário, na Turquia, na categoria adulto (60kg), a partir de 18 até 25 anos, também no Sanda.

Ainda, a atleta Brenda Silva, que coordena o projeto junto do pai Bruk Lee, especialista no Esportivo, competirá pela primeira vez no Tradicional, o Sul-Americano, na Argentina.

Leia Também:  FMF e Governo do Estado firmam parceria para retomada do futebol de Mato Grosso

O KUNG FU WUSHU

Dentro do Kung Fu existem os departamentos nas áreas do Taolu Tradicional, que trabalha a cultura raiz do Kung Fu básico; o Taolu Esportivo, que é de alto rendimento, onde traz o salto e velocidade, com um alto índice técnico, sendo mais artístico e performático do que o Tradicional; e o Sanda, que é de combate físico.

Dentro de cada departamento existem as categorias de idade, peso, formas, que são as armas utilizadas (curtas, médias e longas, entre outras), para que as competições sejam justas, e que podem acontecer como lutas combinadas, individuais, ou em grupo, por exemplo.

Em Mato Grosso existem pelo menos 500 atletas, o que é pouco, e grande parte vem de nossa academia. O projeto é referência nacional, sendo reconhecido como inspiração para outros professores, por onde a gente passa, fora do Estado. Por isso é muito importante ter apoiadores que investem, porque as coisas acontecem, destaca Brenda.

O PROJETO SOCIAL

O projeto completa um ano neste mês de agosto, implantado via emenda parlamentar do deputado federal Dr. Leonardo, por meio do Ministério da Cidadania, que foi o primeiro a apostar nesta importante ação de inclusão social.

O projeto social Kung Fu Wushu foi elaborado com o objetivo de oportunizar aulas gratuitas de Kung Fu, nas modalidades Kung Fu Tradicional, Tai Chi, Boxe Chinês, a 100 inscritos, de baixa renda familiar e com pouca ou quase nenhuma atividade esportiva, buscando minimizar as diferenças sociais para o maior número de pessoas. Além de fomentar o esporte em si e o lazer, ao público da Grande Morada da Serra, onde está localizada a academia que atende o projeto.

Durante esse período, os alunos se tornaram verdadeiros atletas, onde muitos garantiram dezenas de medalhas em campeonatos de seletiva, como no Mato-grossense, que aconteceu em Cuiabá, e para o Brasileiro, realizado em Brasília (DF), no final de 2021, onde os idosos também competiram, consagrando entre os melhores colocados do Brasil, e garantiu, para alguns, vagas ao mundial.

Temos apenas 28 anos de história de Kung Fu em Mato Grosso. Por isso é importante esse projeto, para ajudar a difundir o esporte no Estado todo. Como, por exemplo, se a gente conseguisse colocar ele nos jogos escolares, algo que estou buscando na Secretaria de Estado. Imagina esses atletas disputando na seletiva por uma vaga no Estadual? Teríamos um nível melhor de atletas em destaque por Mato Grosso, ressalta o mestre Bruk.

Agora o projeto está na segunda etapa, sendo patrocinado pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer, via emenda parlamentar dos deputados estaduais Wilson Santos e Carlos Avallone, ofertando cursos de capacitação e aperfeiçoamento aos alunos e professores, nas modalidades de Sanda, Wushu Moderno, Wushu Tradicional e Arbitragem.

Leia Também:  Série B e D, terá no comando de árbitros mato-grossenses

Começou com o Kung Fu Wushu Sanda, pela professora e atleta internacional de Sanda, Edinea Camargo, nos dias 14 e 15 de julho. Já teve o curso de Wushu Moderno, entre 27 e 30 de julho, com o professor de Arte Marcial Wushu Esportivo, João Ferreira Júnior, ex-atleta da seleção brasileira de Wushu, multi campeão nacional e internacional, formou diversos atletas medalhistas Brasil à fora, além de ter sido técnico da seleção brasileira por 10 anos, de 2009 a 2019, e formador da Brenda.

Deve concluir com Wushu Tradicional e Arbitragem, pelos professores Renato Feijó e Nina Romano, de 11 a 14 de agosto.

Nesta etapa, os alunos também ganharam sapatilhas para compor o traje de aulas, apresentações ou competições.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA