ESPORTES

Cuiabá e Sinop se consagram campeões estaduais de vôlei

Publicados

em

A 7ª edição da Copa Mato Grosso de Voleibol consagrou como campeões as equipes de Cuiabá e Sinop, nas categorias adulto masculino e feminino, respectivamente, no Centro Esportivo João Balduino Curvo, no bairro Quilombo, em Cuiabá. A capital venceu a final com placar de três sets a zero contra Lucas do Rio Verde. As parciais foram de 25/18, 25/21 e 27/25. Já Sinop levou a taça do feminino com escore de três Sets a zero em cima de Sorriso. Ambos os campeões garantiram vaga para representar MT no brasileiro de clubes.

Márcio SobhieDe acordo com o técnico do Colégio Isaac Newton (Cin), Márcio Sobhie, que faturou o caneco invicto para Cuiabá, a campanha de sete partidas, tanto da etapa classificatória quanto das finais, foram conquistadas todas com contagem de três Sets a zero. Isso significa que os atletas não perderam um único Set em toda a 7ª Copa. Para Márcio, o resultado coroa o trabalho de anos, que começou na categoria de base e foi até o adulto, pois o Cin conquistou o segundo lugar nas últimas cinco edições da Copa Mato Grosso de Voleibol.

"Todos os jogadores dessa equipe saíram de dentro do Isaac Newton. Nós não convocamos ninguém de fora. É de fato o time da casa, de Cuiabá. Parte desse grupo treina junto já faz sete anos. Por conta disso nós ganhamos no conjunto. Não temos um atleta destaque. Temos é uma turma hora liderada por uns e outrora por outros. Dependendo do contexto da partida os líderes, aqueles que chamam a bola para sí, mudam e se alternam. E, nessa final, o que mais deu certo foi a mudança de estratégia de saque, do viagem para o flutuado forte", diz Sobhie.

Lucas Messias, empresário e desportista de 30 anos, camisa nº 2, que joga na posição oposta ao levantador, a mais especializada em ataque, costuma ser o jogador mais acionado nas ofensivas e, com isso, foi o pontuador da final pelo Cin. Para ele, além da experiência, pois joga desde os 15 anos e já golpeou a bola em três campeonatos nacionais, os treinos extra quadras fizeram a grande diferença. Lucas avalia que é comum nas finais os atletas estarem cansados e com dores musculares e, nesse momento, àqueles mais preparados rendem mais.

"O condicionamento físico é fundamental em qualquer esporte. Treino voleibol três vezes por semana e faço musculação todos os dias. Essa é minha atividade fora das quadras para complementar a preparação do corpo. Na final de um certame, quando muitos estão cansados e doloridos, quem ainda estiver inteiro prevalece. Terá resistência para se manter no tempo da bola e continuará batendo com força. Acredito que esse foi o diferencial", opina Messias.

Feminino

A 7ª Copa Mato Grosso de Voleibol teve início em maio com a etapa classificatória, que foi organizada em quatro fases, região Norte (1ª fase), Metropolitana (2ª), Oeste (3ª) e Sudeste (4ª). Em cada uma se classificaram as quatro melhores campanhas, duas masculinas e duas femininas. Pela Norte, a AABB Sinop faturou a classificação em 1º do grupo. Na etapa final, ocorrida de 18 a 21 de junho, venceu a semi-final por três Sets a dois em confronto com Novo Vôlei de Várzea Grande. E no jogo final, derrotou Sorriso com parciais 25/12, 25/20 e 25/10.

Segundo a técnica e também desportista de Sinop, Claudete Hasselstrom, Sinop e Sorriso já haviam se enfrentado na disputa pela região Norte, na qual os sinopenses saíram vitoriosos, mas que essa final não foi um repeteco por conta das escalações de jogadores. Ela esclarece que na classificatória foram utilizados mais atletas do infanto-juvenil, por ser o momento certo deles ganharem experiência. E que na etapa final os titulares, já adultos, assumiram os postos.

"Todas as meninas começaram na categoria de base do município, cerca de nove anos atrás. Agora, parte delas em torno dos 21 anos de idade, formam a seleção de vôlei da cidade. Três delas já foram da seleção mato-grossense infanto-juvenil. Então é uma turma com certa experiência. E na final, a qualidade do nosso saque foi muito responsável pela pontuação. E também, é claro, o bloqueio. As meninas estão com média de 1,80 de altura", avalia a técnica. 

Investimento

De acordo com o presidente da Federação Mato-grossense de Voleibol (FMTV), Nicanor Lopes dos Reis Filho, essa foi a edição da Copa MT de Vôlei com maior representação no Estado. Com participação de 35 times de 15 municípios. Segundo ele, outro ponto que merece ênfase é a aplicação de esforços e recursos para viabilizar as transmissões das partidas via internet. Frisa que com esse canal alternativo de comunicação ampliam-se as oportunidades de Marketing, o que pode dar sustentabilidade para a modalidade esportiva.

"Neste ano tivemos 1.804 visualizações e 13.462 minutos assistidos. Um crescimento de quase 100% na comparação com o ano anterior. Além disso, as ferramentas que utilizamos nos permitem conhecer qual o perfil desses espectadores. Atualmente, as duas faixas etárias que mais assistiram aos jogos pela internet foram: de 18 a 24 anos e de 25 a 34 anos. Mas que variaram entre 13 e mais de 65 anos. Sendo 74% masculino e 26% feminino", revela Nicanor. 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Mato-grossense 2ª Divisão 2020: Conheceremos os finalistas neste domingo

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

ESPORTES

COT do Pari; Cuiabá Arsenal está cada vez mais próximo de conseguir cessão

Publicados

em

As conversas que já ocorrem desde 2019, chegaram em uma fase mais avançada com a Secretária de Infraestrutura. Para o encontro com o secretário adjunto de obras especiais da SINFRA, Isaac Nascimento Filho, foi levado uma apresentação de sustentabilidade para que ela possa ser apresentada ao Governador. Além disso, o time está reunindo mais de sessenta cartas de instituições nacionais e internacionais que apoiam a iniciativa.

No Brasil, a reconstrução do COT junto a um time de futebol americano será algo inovador e pioneiro, e para o Cuiabá Arsenal, o local irá além de um espaço para treinos e eventos esportivos, podendo tornar-se uma potência esportiva, econômica e referência em cidadania. A equipe acredita que, com o projeto ocorrerá a promoção social, atendendo as necessidades presentes e ainda ampliando as oportunidades para futuras gerações.

De início, a equipe propõe a limpeza geral, reconstrução do campo, iluminação e isolamento das áreas que oferecem risco. Após isso, os trabalhos serão tomados por setores. De modo que, mesmo sem a finalização total da reforma, o COT possa ser utilizado por partes, observando sempre os critérios de segurança.

Conforme informações da SINFRA, eles estão realizando trabalhos para retomada da obra. Atualmente, já foi solicitada uma limpeza no local e também será realizada nas próximas semanas uma licitação para a construção do muro, reinstalação da energia e adição de segurança no local.

O COT

Construído inicialmente para ser o maior estádio de Várzea Grande, o COT do Pari teve seu projeto mudado até a Copa do Mundo de 2014, mas não foi finalizado. Atualmente seu valo chega a R$ 31,7 milhões, sendo R$ 21 milhões já pagos à construtora. O Cuiabá Arsenal pretende analisar e readequar o projeto com objetivo de que seja um centro de treinamento e arena completamente funcional.

O CUIABÁ ARSENAL

O Cuiabá Arsenal é uma associação sem fins lucrativos, que além de declarada de utilidade pública pelo município de Cuiabá pela Lei 6.049/2016 e pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso pela Lei 10.921/2019, pelos seus trabalhos na área social e desportiva já realizados, possui forte atuação social em Várzea Grande-MT.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Clubes de MT decidem vaga na Copa do Brasil de Futsal
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA