CORONAVÍRUS NA F1

Com portões fechados, temporada da F1 deve começar na Europa em julho

Publicados

em

Segundo Ross Brawn, diretor técnico da Fórmula 1, a temporada 2020 deve começar em julho, na Europa, e possivelmente em corridas com portões fechados. Com o início do Campeonato Mundial no meio do ano, o britânico acredita ser possível um calendário com até 19 etapas.

As afirmações são feitas um dia após ao adiamento do GP do Canadá, a nona etapa da temporada 2020 a ser impacta em meio à pandemia de “Coronavírus“.

Se conseguirmos começar no início de julho, poderíamos realizar 19 corridas na temporada. Seriam um ano com corridas em três fins de semana seguidos. Já olhamos as logísticas e acho que conseguimos uma temporada de 18 a 19 corridas. A escolha está entre esses dois números“.

Em entrevista foi concedida ao site oficial da F1 nesta quarta-feira, o dirigente também afirma que o desejo da categoria é realizar as corridas o mais cedo possível para dar aos fãs entretenimento durante tempos difíceis, ainda que isso signifique provas sem público e fins de semana de GP com dois dias em vez quatro habituais (um de mídia e três de carros na pista).

Achamos que um início na Europa seria favorável, podendo até ser com portas fechadas. Podemos produzir um ambiente bem controlado, todo mundo testado para que não haja riscos. Não é incrível não ter espectadores, mas é melhor do que não ter corrida alguma. Muitos fãs estão isolados, poder acompanhar o esporte ao vivo e ter entretenimento seria um grande bônus nessa crise“.

Podemos fazer fins de semana de GP com dois dias para fins de logística. Por exemplo, a China, caso realizemos, seria provavelmente em dois dias, para podermos chegar e sair de lá rápido para o próximo evento“.

Brawn afirma que a F1 trabalha com outubro como data limite para começar a temporada 2020, já que assim seria possível realizar ao menos oito corridas, o suficiente para configurar um Campeonato Mundial. Uma outra opção seria usar janeiro de 2021 para terminar a temporada.

Oito corridas é o mínimo para que haja um campeonato de acordo com a FIA. Poderíamos realizar oito corridas começando em outubro. Então se for para dar um limite, seria outubro. Mas há sempre a possibilidade de invadirmos o ano que vem. Isso está sendo explorado. Poderíamos usar janeiro para terminar a temporada? Há todos os tipos de complicações com isso, como você pode imaginar“.

O calendário da Fórmula 1 em 2020 sofreu impactos severos devido à Pandemia da Covid-19. Além do impacto sofrido pelo GP do Canadá, as corridas da Austrália e Mônaco foram cancelados, enquanto as provas de Barein, Vietnã, China, Holanda, Espanha e Azerbaijão estão adiadas.

Fábricas fechadas por mais tempo, redução de teto orçamentário e de salários

Em votação unânime, a F1, as equipes e a Federação Internacional de Automobilismo (FIA), anunciaram nesta ultima terça-feira a extensão de 21 para 35 dias do fechamento compulsório das fábricas das equipes durante a Pandemia da Coronavírus.

Também nesta terça, a direção da Fórmula 1 seguiu o exemplo de McLaren, Williams e Racing Point e decidiu conceder licença a funcionários, além de reduzir os salários de seu corpo diretivo em 20% devido à Pandemia Mundial de Coronavírus. O CEO Chase Carey poderá voluntariamente ter uma redução ainda maior em seus vencimentos.

Já na ultima segunda-feira, a Fórmula 1 e as equipes acertaram uma redução no teto orçamentário que passará a vigorar a partir de 2021. Em vez de US$ 175 milhões (cerca de R$ 925 milhões), o limite será de US$ 150 milhões (aproximadamente R$ 792 milhões).

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  CBF homenageia Campeões Mundiais de 1970
Propaganda

ESPORTES

Volta do “Estadual 2020” só final do ano

Publicados

em

Faltando 14 partidas para que fosse conhecido o Campeão Mato-grossense de 2020, tudo esta caminhando para ser estendido até o fim do ano. Por enquanto, a Federação Mato-grossense de Futebol (FMF) aguarda a flexibilização das medidas de isolamento e a liberação das praças esportivas no Estado.

É preciso que seja definido quem irá garantir vagas na Copa do Brasil e Série D do Brasileirão. A intenção da Federação Mato-grossense é terminar a competição dentro de campo, já que além do vencedor.

Com o avanço da Pandemia do Coronavirus em todo o Estado de Mato Grosso, a Federação Mato-grossense de Futebol (FMF) segue acompanhando e entende que os casos ainda continuam a aumentar pelo Estado. Mesmo assim, as conversas com as prefeituras seguem mantidas, na expectativa de que uma data para o retorno seja definida.

O Campeonato Mato-grossense de 2020 foram até agora jogados 76% das partidas disputadas, restando 14 partidas, 8 das quartas de final e 4 das semis e duas da final.

Diogo Carvalho diretor e competições da Federação Mato-grossense de Futebol (FMF) acredita que até lá a “Pandemia” tenha sido dissipada o que vai liberar os clubes da necessidade de realizar testes.

Como ainda resta pouco, prevemos que conseguimos terminar dentro de campo. Não temos pressa, pode terminar até o fim do ano. Não precisa de agilidade neste momento e é importante para que não vire mera especulação de quem poderá ficar com a indicação”.

Sobre a possibilidade de se realizar todos os jogos em uma sede única, como a Arena Pantanal, Diogo Carvalho disse que por enquanto esta descartada.

Iremos voltar assim que tiver a autorização das autoridades de Saúde e sempre prezando pela Saúde de todos os envolvidos”.

Os clubes também consideram esta possibilidade, o que poderá gerar uma economia a seus cofres. Cuiabá Esporte Clube, na Série B, Luverdense Esporte Clube e Clube Esportivo Operário Varzea-grandensse na Série C, ao contrário, terá de promover os testes em todos os jogadores e comissão técnica, pois estarão participando de competições nacionais como Copa do Brasil, Copa Verde e as Série B e D do Campeonato Brasileiro.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Juiz alerta sobre sintomas na PCE e Governo responde com envio de profissionais e medicamentos
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA