ESPORTES

Carlos Orione passa bastão da Federação para João Carlos até dezembro

Publicados

em

O presidente da Federação Mato-grossense de Futebol (FMF) Carlos Orione o “Barão” no uso das suas atribuições legais resolve licenciar-se do cargo e designar o empresário e vice-presidente João Carlos Oliveira Santos para responder o expediente por 170 dias, compreendido de 22.06. 2015 a 08.12.2015.

João Carlos Oliveira_FMF-250Conforme permite o Estatuto da Federação Mato-grossense de Futebol, o Presidente Drº Carlos Orione que esta a frente da entidade desde 1976, em frequentes afastamentos por motivos de tratamento de saúde vem prestigiando seus vice-presidentes.

Os problemas de saúde e o desgaste por tanto tempo no cargo estão pesando para a decisão do "Barão", como é conhecido, em fazer o rodizio na FMF. Apesar de ter dito que ainda tem fôlego para continuar, Orione sucumbiu as doenças, que chegaram a lhe tirar dos três primeiros jogos da Copa do Mundo em Cuiabá.

Primeiro a ssumir foi Luiz Wellington da Silva, Presidente da Liga Esportiva de Barra do Garças, em seguida por duas vezes seguidas o dirigente do Luverdense Helmute Lawiski tocou a Federação Mato-grossense de Futebol realizando um belo trabalho. Helmute teve e tem o reconhecimento dos Presidentes de Clubes que viram no seu desempenho algo digno de elogios assim como boa parte da Imprensa Esportiva.

Para assumir a Federação Mato-grossense de Futebol, Helmute Laswich chegou a pedir licença do comando do Luverdense, já que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não permite que presidentes de clubes assuma o comando da federação.
 
Dois outros vices aguardavam por suas chances, Dr. Francisco Mariño Fernandes Presidente do Rondonópolis e João Carlos Oliveira vice-Presidente sendo o mais antigo dos quatro. 

E chegou a vez do Empresário Várzea-grandense João Carlos Oliveira Santos responder pela gloriosa Federação Mato-grossense de Futebol por um período de 170 dias. Isso significa que o “barão” só voltará ao cargo no inicio de Dezembro.

O novo presidente da Federação Mato-grossense de Futebol João Carlos, agradeceu a confiança que lhe foi passada pelo titular Carlos Orione "Barão" para um mandato até o final do ano. Ele disse que espera realizar uma administração compartilhada no período e citou ainda o legado deixado pelo também vice-presidente Helmute Lawisch, que ficou à frente da entidade desde julho de 2014, quando Orione deixou de vez a FMF por problemas de saúde.

João Carlos disse que esta muito contente por ter sido escolhido pelo presidente titular Carlos Orione, "ele achou que é a minha vez, e que deveria passar pra mim comandar a Federação, Helmute vai continuar ajudando, assim como os outros. Nada impede dele ajudar, continuar dando dicas. Queremos agregar, ajudar a continuar o que já vinha sendo feito. Foram várias ações ao longo desse ano e o principal deles foi a ótima utilização da Arena Pantanal. O Helmute se esforçou muito para que isso fosse possível, com uma boa parceria com o governo estadual, pagando a manutenção do gramado, entre outras coisas".

O presidente empossado João Carlos disse que uma de suas primeiras missões no seu comando a frente da Federação será agilizar a liberação o mais rápido possível o estádio Presidente Eurico Gaspar Dutra, "Dutrinha", que está sem atividades, fechado para reformas desde fevereiro deste ano. 

Veja portaria da FMF

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Sonolento, time do Cuiabá perde terceiro jogo seguido

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

ESPORTES

COT do Pari; Cuiabá Arsenal está cada vez mais próximo de conseguir cessão

Publicados

em

As conversas que já ocorrem desde 2019, chegaram em uma fase mais avançada com a Secretária de Infraestrutura. Para o encontro com o secretário adjunto de obras especiais da SINFRA, Isaac Nascimento Filho, foi levado uma apresentação de sustentabilidade para que ela possa ser apresentada ao Governador. Além disso, o time está reunindo mais de sessenta cartas de instituições nacionais e internacionais que apoiam a iniciativa.

No Brasil, a reconstrução do COT junto a um time de futebol americano será algo inovador e pioneiro, e para o Cuiabá Arsenal, o local irá além de um espaço para treinos e eventos esportivos, podendo tornar-se uma potência esportiva, econômica e referência em cidadania. A equipe acredita que, com o projeto ocorrerá a promoção social, atendendo as necessidades presentes e ainda ampliando as oportunidades para futuras gerações.

De início, a equipe propõe a limpeza geral, reconstrução do campo, iluminação e isolamento das áreas que oferecem risco. Após isso, os trabalhos serão tomados por setores. De modo que, mesmo sem a finalização total da reforma, o COT possa ser utilizado por partes, observando sempre os critérios de segurança.

Conforme informações da SINFRA, eles estão realizando trabalhos para retomada da obra. Atualmente, já foi solicitada uma limpeza no local e também será realizada nas próximas semanas uma licitação para a construção do muro, reinstalação da energia e adição de segurança no local.

O COT

Construído inicialmente para ser o maior estádio de Várzea Grande, o COT do Pari teve seu projeto mudado até a Copa do Mundo de 2014, mas não foi finalizado. Atualmente seu valo chega a R$ 31,7 milhões, sendo R$ 21 milhões já pagos à construtora. O Cuiabá Arsenal pretende analisar e readequar o projeto com objetivo de que seja um centro de treinamento e arena completamente funcional.

O CUIABÁ ARSENAL

O Cuiabá Arsenal é uma associação sem fins lucrativos, que além de declarada de utilidade pública pelo município de Cuiabá pela Lei 6.049/2016 e pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso pela Lei 10.921/2019, pelos seus trabalhos na área social e desportiva já realizados, possui forte atuação social em Várzea Grande-MT.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Sonolento, time do Cuiabá perde terceiro jogo seguido
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA