ESPORTES

Ainda na briga por vaga olímpica, brasileira apoia adiamento dos Jogos

Publicados

em


.

O adiamento da edição deste ano das Olimpíadas e Paralimpíadas de Tóquio (Japão), anunciado na manhã desta terça-feira (24), foi um alívio para muitos atletas que ainda sonham em conquistar uma vaga no principal evento esportivo do mundo. Entre eles, a brasileira Kamila Barbosa, do Wrestling, categoria até 50Kg, que revelou estar mais tranquila desde que o Comitê Olímpico Internacional (COI) e o Governo do Japão comunicaram ao mundo a decisão de transferir a realização dos Jogos para 2021.

“Há algumas semanas, eu até acreditava que tudo aconteceria dentro do previsto. Mas agora, com a situação se complicando a cada dia, eu acho que não tinha mais como manter o cronograma inicial. Eles agiram da forma correta. Até para nós, atletas, tudo estava sendo muito difícil. Tem gente em todo mundo sofrendo demais para manter a periodização correta dos treinamentos. Isso afeta o desempenho e diminui o nível das disputas. Agora todo mundo poderá chegar no seu melhor nível físico e técnico”.

Pré-Olímpico Mundial

Assim como as outras brasileiras Giullia Penalber (57Kg) e Dailane Reis (68Kg), Kamila tem só mais uma chance garantir presença em Tóquio: o Torneio Pré-Olímpico Mundial, em Sofia (Bulgária), já adiado para junho. “Serão duas lutadoras classificadas por categoria. É a última oportunidade para todo mundo. Agora, não podemos negar que a incerteza é grande. O torneio estava previsto para o final de abril e “jogaram” lá para junho. E não temos nada confirmado ainda. Tudo pode mudar.”

Leia Também:  FMF garante investimentos e clubes concordam que vão finalizar Estadual 2020

Últimas competições antes da pandemia

Kamila Barbosa regressou ao Brasil no último dia 17, depois de participar de duas competições no Canadá, no início deste mês. Uma delas foi o Pan-Americano da modalidade em Ottawa (Canadá). Contra a argentina Patricia Bermudez, nas quartas de final, Kamila passou com dificuldades por 5 a 2. Na semifinal, ela acabou caindo para a americana Victoria Anthony. E na disputa do bronze, a brasileira levou a melhor sobre a venezuelana Genesis Olivio: vitória por 7 a 4. “Foi um torneio muito bom. Gostei demais do meu desempenho”, avaliou Kamila, campeã nacional na categoria até 50 kg.
Logo na sequência, no dia 14 , ela voltou a lutar, desta vez no Pré-Olimpico, também em Ottawa (Canadá).. Kamila venceu a venezuelana Genesis Milano, mas parou nas quartas de final diante da canadense Jessica MacDonald.

Medo de não conseguir retornar ao Brasil

“O retorno já estava previsto. Mas tivemos um ‘medinho’ de não conseguir voltar pra casa, porque o meu voo e o de mais alguns amigos tinha escala em Whasington. Alguns tiveram voos alterados para passar pelo Panamá. Eu tive notícias de que o pessoal do Peru não tinha conseguido voltar para o seu país. Mas graças a Deus deu tudo certo e nós já estamos em casa. Claro que seguindo todo o protocolo de quem vem do exterior”.

Rotina de treinos

Depois de uma semana de trabalhos físicos em São José dos Campos, no interior paulista, a goiana Kamila Barbosa começou nessa semana os trabalhos específicos do wrestling. “Voltei depois de duas competições muito fortes. Por isso, estava ‘só no físico’. Mas agora é ‘se atirar no trabalho específico’. Não tem jeito. Vou adaptar algo aqui em casa”.

Leia Também:  Em Londres, Lewis Hamilton participa de manifestação contra racismo

Desafio da quarentena

Para passar com alegria os dias de isolamento em virtude do avanço do coronavírus, a atleta lançou nas redes sociais o  ‘desafio da quarentena’. Nele, a pessoa tenta manter um tênis equilibrado na sola do pé, enquanto faz exercícios deitada no chão. “Precisamos criar formas de passar o tempo de maneira saudável, divertida e que também nos aproxime um dos outros. Isso é saúde! Nós necessitamosd de movimentação tanto para o corpo quanto para a mente. Nós necessitamos de afeto e eu acho que isso, de uma certa forma, aproxima e diverte as pessoas. No que eu puder ajudar, para passarmos por essa da melhor forma possível, eu farei. Seja com as informações dos cuidados que eu venho sempre falando, seja através da minha voz ou das minhas palhaçadas. Só temos que passar por isso todos bem”, completa a lutadora, que também é apresentadora nas redes sociais de uma live do Time Brasil, sobre o dia a dia dos atletas às vésperas dos Jogos Olímpicos.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ESPORTES

CBF homenageia Campeões Mundiais de 1970

Publicados

em

Em 21 de junho de 1970, a Seleção Brasileira goleou a Itália por 4 x 1, diante de 107 mil torcedores no Estádio Azteca, no México. Ali ocorreu a consagração da geração de Pelé, com o tricampeonato mundial, obtendo em definitivo a Taça Jules Rimet, a antecessora da atual Taça Fifa, o maior objeto de desejo no futebol. Aquele feito, numa campanha com seis vitórias em seis jogos, completou 50 anos. Período no qual o futebol se transformou bastante, mas com a história preservada.

Em um gesto de reconhecimento e agradecimento, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) preparou uma série de ações para homenagear os campeões e relembrar o feito realizado no México.

Temos muito orgulho dessa Seleção pelo legado que deixou e pela admiração que conquistou no mundo todo. Foi um time fantástico e que merece todas as homenagens. Gostaríamos de reuni-los novamente, como já fizemos em fevereiro, mas com essa impossibilidade preparamos várias ações para confraternizarmos com eles à distância. O mais importante é que possamos relembrar ao torcedor brasileiro o quão fantástica é esta equipe”, afirma o presidente da CBF, Rogério Caboclo.

As festividades pelos 50 anos iniciaram em fevereiro, quando a CBF reuniu os atletas de 70 em um evento na sede da entidade. Além de um encontro de confraternização e um almoço, a ocasião serviu para inaugurar a estátua de Pelé no Museu Seleção Brasileira.

Outras atividades presenciais estavam previstas para a sequência, mas a Pandemia da Covid-19 não permitiu que eles fossem realizados.

Réplicas da taça aos Embaixadores da Seleção

Nada mais justo que cada Campeão do Mundo comemore em sua casa com uma Taça Jules Rimet. Por isso, a CBF enviou réplicas em miniatura para os protagonistas daquela conquista.

No mesmo pacote, cada jogador da Seleção de 70 recebeu um passaporte de Embaixador da Seleção Brasileira, uma forma de convidar a cada um para se tornar representante oficial da CBF em ações de cunho social, educativo e institucional. Por meio deste projeto, os atletas que conquistaram o Tri, e que tiverem interesse e disponibilidade, terão um contrato remunerado com a CBF e participarão desses eventos em consonância com suas possibilidades.

Quando se fala em futebol brasileiro, os Tricampeões de 70 são uma referência e uma memória indissociáveis. O talento dessa equipe brilhante gerou algumas das imagens mais icônicas da nossa Seleção. São os eternos Embaixadores da Seleção”, afirma Caboclo.

Além disso, o passaporte de Embaixador permite o acesso gratuito a todas as partidas de competições promovidas pela CBF, além de direito à passagens e hospedagem sempre que quiserem visitar a sede da CBF.

Casa do Futebol Brasileiro personalizada

A fachada da sede da CBF, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, foi personalizada com um banner gigante, que tem uma foto dos jogadores comemorando e os dizeres 50 anos do Tri! A Seleção que encantou o mundo. México 1970. Conhecido como a Casa do Futebol Brasileiro, o prédio, onde também fica o Museu Seleção Brasileira, já se tornou um tradicional mural de exposição dos grandes títulos do nosso futebol.

Campanha de mídia

A data dos 4 a 1 sobre a Itália, no Estádio Azteca, será lembrada nos principais jornais e revistas do país, que trarão uma capa retrô com a reprodução do que foi publicado por esses mesmos veículos em 22 de junho de 1970 (dia seguinte ao jogo final). E os colecionadores ainda ganharão um presente: o pôster da equipe campeã. Na TV, um comercial vai fazer uma viagem no tempo para entrar no clima daquela equipe espetacular. Um banner comemorativo estará na primeira página (home) dos maiores sites de notícia do país.

Surpresas digitais

O canal da CBF TV no Youtube disponibilizará um vídeo inédito, produzido especialmente para a data, em que a bola conta, em primeira pessoa, como foi conviver com os craques da Seleção de 70. Os perfis oficias no Twitter e Facebook trazem curiosidades e informações completas das partidas e jogadores que fizeram parte da trajetória.

No Instagram e Whastapp, a aposta é na interatividade. O filtro pra stories transforma a tela do celular em uma figurinha da Copa de 70. É só fazer uma pose de campeão do mundo e postar. Quem quiser salvar e usar pode fazer isso agora mesmo. Está no destaque do perfil @cbf_futebol. Além disso, na função GIF, é só digitar Seleção de 70 e as animações aparecem. Já no Whats está rolando uma coleção de stickers pra incrementar a troca de mensagens.

Pelé Eterno no Museu

Como parte do ano comemorativo, a CBF inaugurou, em fevereiro, a estátua de cera de Pelé no Museu Seleção Brasileira. A homenagem marcou o início das celebrações dos 50 anos do Tri e do 80º aniversário do maior jogador de todos os tempos. A peça foi aprovada pelo Rei em visita à casa dele, na Baixada Santista, e lançada com a presença de nove Campeões Mundiais que conquistaram a Copa ao lado de Pelé.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Jogos Escolares da Juventude é cancelado pelo Comitê Olímpico Brasileiro
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA