ECONOMIA

SICREDI cresce 10% em 2015; MT consolida liderança

Publicados

em

Mato Grosso consolida neste ano de 2016 o papel de líder do cooperativismo financeiro no Centro-Norte do país. A exemplo do que ocorre há alguns anos no setor de serviços (com ênfase ao segmento da saúde), Mato Grosso agora se posiciona no mercado financeiro como referência em expansão, gestão e solidez do cooperativismo de crédito. Mostra disso, o Banco Central acaba de autorizar as prospecções do Sicredi, marca líder do segmento, no Acre.

sicrediO Sistema Sicredi já promove a regulação, a partir da base em Mato Grosso (Central Sicredi Centro Norte), de cooperativas com atuação no Pará e Rondônia. Os planos preveem a ampliação das operações para outros Estados do Norte brasileiro, como Amazonas. Projetos de expansão são embalados pelos números positivos da instituição, acumulados nos últimos anos. Em Mato Grosso, o Sicredi se aproximados 27 anos de atuação, com um total de 337mil associados e a administração de uma carteira da ordem de R$ 7,1 bilhões em ativos, 10% superior no comparativo com 2014.

O patrimônio líquido acumulado por meio das atividades em Mato Grosso, Pará e Rondônia soma R$ 1,5 bilhão, conforme balanço consolidado do exercício de 2015. Os indicadores completos foram apresentados a jornalistas pelo presidente da Central Sicredi Centro Norte, João Carlos Spenthof, em entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira (17). Na pauta do encontro, outros temas ligados ao cooperativismo financeiro, incluindo a conjuntura de abertura de novas unidades de atendimento e postos de trabalho ante o cenário de retração de agências verificado em grandes bancos tradicionais do mercado.

O desempenho do Sistema Sicredi na região, sobretudo num ano desafiador à economia como 2015 impressionam. As chamadas sobras expressão cooperativista que corresponde aos lucros dos bancos convencionais – alcançaram a marca recorde de R$ 268 milhões em Mato Grosso, Pará e Rondônia no ano de 2015. Balanço de gestão também confirma que um terço da movimentação financeira do interior de Mato Grosso ocorre em cooperativas da marca Sicredi. Aproximadamente 20% dos depósitos totais registrados no sistema financeiro da região estão no Sicredi, ao passo que 11,5% das operações de crédito também são efetuadas via cooperativas do Sistema.

A capilaridade da instituição justifica os números vultosos: O Sicredi reúne 160pontos de atendimento em Mato Grosso, Pará e Rondônia. E mais: Em mais de 20 municípios mato-grossenses, o Sicredi é a única instituição financeira presente. Presença física que também impulsiona a carteira de crédito rural. Em 2015, o saldo em carteira atingiu a marca de R$ 3,2 bilhões. O volume perfaz operações de recursos do BNDES, FCO e Pronaf. Atendimento a produtores rurais de todos os portes, de grandes sojicultores à agricultura familiar.

"Todos esses números, que orgulhosamente anunciamos à comunidade, expressam a força do cooperativismo e sua capacidade de superar adversidades. Enquanto os bancos estão fechando agências, nós estamos abrindo unidades de atendimento. Enquanto os bancos estão demitindo pessoas, nós estamos gerando empregos. É uma honra para nós, engajados nesse grande movimento chamado cooperativismo financeiro, sermos vetores de inclusão financeira, de acesso ao crédito e de geração de oportunidades a milhares de pessoas", declara o presidente da Central Sicredi Centro Norte, João Carlos Spenthof.

FCO– O Sicredi acaba de obter a ampliação de R$ 60 milhões no volume de recursos do Fundo Constitucional do Centro-Oeste, o FCO, disponibilizados pelo governo federal para operações via cooperativas de crédito. Na prática, associados Sicredi agora têm mais acesso ao crédito ofertado pelo fundo constitucional. O aumento da margem de operações se deve, sobretudo, à credibilidade conquistada pelo Sicredi junto ao mercado financeiro.

Ratings: Solidez e credibilidade

A agência de classificação de risco de crédito Moody's atribuiu recentemente, pela primeira vez, ratings corporativos ao Banco Cooperativo Sicredi – tanto de longo quanto de curtos prazos em escala nacional. Ao atribuir rating são Banco Cooperativo Sicredi, a Moodys confirma a solidez financeira das entidades que integram o Sicredi.

"Essa conquista faz parte da estratégia do Sicredi de obter ratings para o Banco Cooperativo das mais respeitadas agências de classificação de risco de crédito", afirma João Tavares, diretor executivo de Administração e Finanças do Banco Cooperativo Sicredi. Além da Moody's, entre as três maiores agências de classificação de risco de crédito estão a Standard & Poor's e a Fitch Ratings.

"No primeiro semestre de 2015, a Fitch elevou os ratings do Banco Cooperativo Sicredi e agora conquistamos a classificação da Moodys. A obtenção do rating pela Standard & Poor's está prevista para 2016", explica Tavares.

Cooperativismo de crédito no Brasil: a expansão pede passagem

As cooperativas de crédito brasileiras ampliaram rapidamente a rede de atendimento e, juntas, superam o conjunto de agências de várias instituições financeiras tradicionais:

Número de pontos de atendimento (set/2015)

Cooperativas de crédito  5.432
Banco do Brasil*  5.424
Bradesco* 4.601
Bradesco Itaú  3.837
Caixa* 3.401

*Instituições fecharam agências em 2015

Cooperativismo financeiro no mundo

EUA:  95 milhões (1/3 população)
França: 35 milhões (½ população)
Canadá: 1/3 população
Alemanha: ¼ população
Brasil: 7 milhões

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Balanço "IMPOSTÔMETRO" de Mato Grosso

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

ECONOMIA

Várzea Grande recebe emendas no valor de R$ 20 milhões

Publicados

em

Sinalizando que vai continuar redobrando os esforços no sentido de ajudar a administração municipal de todas as 141 cidades de Mato Grosso, mas principalmente de Várzea Grande, o Senador do Partido Democratas (DEM), Jayme Veríssimo de Campos anunciou a liberação de novas emendas para obras e ações, bem como, entendimentos junto ao Governo Federal para ampliar repasses de recursos para obras de abastecimento de água e esgoto sanitário, hoje um dos maiores problemas da segunda maior cidade do Estado.

Várzea Grande recebeu duas emendas no valor de R$ 20 milhões do Senador Jayme Campos. Os recursos serão aplicados na saúde pública e em obras de infraestrutura, principalmente na pavimentação asfáltica de vários bairros.

É sempre bom contar com o apoio dos parlamentares da bancada federal e novamente o Senador Jayme Campos demonstra seu apreço a cidade de Várzea Grande aonde ele foi prefeito por três mandatos, lembrando que no início de nossa gestão já foi repassado valores de R$ 10 milhões para a saúde pública de outra emenda do senador”,disse o prefeito Kalil Baracat,.

E conforme o chefe de Executivo Municipal, vai ainda colocar recursos próprios de Várzea Grande para ampliar a capacidade e atender mais bairros do município com obras, pois recursos federais e estaduais são essenciais, mas também precisam de contrapartida de recursos do Tesouro Municipal.

Kalil Baracat sinalizou que estes recursos se somam com o empréstimo da ordem de R$ 90 milhões contratados junto a Caixa Econômica Federal (CEF), sendo R$ 70 milhões para pavimentação asfáltica e R$ 20 milhões para ampliar os R$ 100 milhões que estão sendo investidos em obras de abastecimento de água e esgoto sanitário.

Quero deixar meu testemunho do apoio que temos recebido dos senadores, deputados federais, dos deputados estaduais da Assembleia Legislativa e do próprio Governo de Mato Grosso e isto tem que ser declarado para que as pessoas saibam o quanto eles têm nos ajudado a vencer as dificuldades e obstáculos que são comuns em uma gestão pública, assinalou o prefeito.

Ele aproveitou a presença dos vereadores no evento, para agradecer o apoio do Poder Legislativo Municipal que também não tem medido esforços no sentido de ajudar o Executivo a vencer os obstáculos impostos como a questão do abastecimento de água.

Já o Senador Jayme Campos (DEM), assinalou que sua meta é concluir ano que vem a primeira parte de seu mandato com 141 cidades contempladas com recursos de emendas parlamentares de sua autoria.

Já liberei próximo de R$ 200 milhões em emendas para 134 cidades e queremos dentro da possibilidade e da realidade, pois estes recursos são federais, atender a todas as cidades, atender a Mato Grosso”, disse Jayme Campos frisando ainda que vai reforçar os pedidos em cima da questão do abastecimento de água e de obras de esgoto.

O Senador do Partido Democratas (DEM), reconheceu a necessidade de reforçar os investimentos no abastecimento de água de Várzea Grande e lembrou que o prefeito Kalil Baracat está investindo R$ 100 milhões nestas obras e vai lançar outras duas obras que em definitivo irão permitir que Várzea Grande melhore de forma significativa o abastecimento de água para toda a sua população.

Jayme Campos ressaltou que o bom trânsito do prefeito Kalil Baracat, junto a Bancada Federal, graças ao trabalho que vem fazendo em Várzea Grande, facilita a busca por emendas parlamentares, defendendo uma emenda de bancada com recursos mais volumosos para ser aplicado em obras de abastecimento de água e esgoto sanitário.

A deficiência que existe hoje é decorrente do crescimento populacional aliado a falta de investimentos, até porque os R$ 215 milhões de um total de R$ 500 milhões previstos do PAC resgatado em 2015 pela prefeita Lucimar Sacre de Campos, nem R$ 5 milhões para água foram liberados, então o problema se demonstra mais severo e mais potencializado pela seca que é a maior das últimas décadas e pela falta de investimentos, sem contar outros problemas que também agravam a situação como as perdas de água, os desvios entre outros”, disse Jayme Campos.

Já o prefeito Kalil Baracat reafirmou a disposição e o enfrentamento do problema sinalizando que durante todo o seu mandato, os esforços em primeiro plano são pela resolutividade da questão da água e consequentemente do esgoto, mas que é necessário avançar ainda mais, seja em novas redes, novos equipamentos e na conscientização das pessoas quanto ao uso racional da água disponível.

Com o apoio dos Governos, Federal, de Mato Grosso, da Assembleia Legislativa e de recursos próprios, Várzea Grande irá dobrar a atual capacidade de captação, tratamento e distribuição de água dos atuais 700 litros por segundo para 1.400 litros por segundo ou 120.960 milhões de litros de água por dia, o que representa dizer mais de 400 litros por dia por cada habitante, ou seja, mais que três vezes a necessidade apontada como ideal pela Organização Mundial da Saúde (OMS) de 120 até 140 litros/dia por habitante”, disse o prefeito Kalil Baracat.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Hospital de Cuiabá é o único do Centro-Oeste escolhido para integrar projeto Parto Adequado
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA