DIA "D" BLACK FRIDAY

Pesquisa da CDL Cuiabá revela que maioria dos cuiabanos pretende comprar na Black Friday

Publicados

em

Muitos consumidores já estão em contagem regressiva para o dia 27 de novembro, dia da Black Friday, a mundialmente famosa por seus descontos. E não é difícil encontrar quem pretende comprar um celular, uma TV ou uma geladeira, por exemplo, mas para a compra ser vantajosa, os consumidores precisam se atentar para alguns cuidados e seguir as orientações do Procon.

A esta altura, varias lojas já estão realizando promoções e investindo em propagandas, pois a ação que costumava ser apenas na sexta-feira, agora acontece por vários dias, ate mesmo durante o mês todo. Outras, porem, oferecem descontos somente no dia da ação, então, ainda da tempo para programar as compras.

Para 2020 a grande promoção levanta diversas expectativas para o comércio, especialmente para um ano em que o setor foi afetado duramente pela Pandemia do Coronavírus.

Com a intenção de buscar algumas informações de como o consumidor irá se comportar em relação às promoções da Black Friday deste ano, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL Cuiabá) realizou uma pesquisa através do seu núcleo de inteligência de mercado e constatou que 54% estão pretendendo realizar gastos na Black Friday, já 08% ainda não sabem, sendo ainda que 60,6% não pretendem antecipar as compras de natal e 30,9% pretendem adiantar a aquisição dos presentes, já 8,5% ainda não sabem.

Sobre o local preferido para fazer essas compras nos dias da Black Friday, 70,6% preferem ir na loja física, 15,7% preferem comprar direto no site das marcas, 5,9% devem comprar pelos aplicativos das lojas, 5,9% preferem sites de comparação de preço e 2,0% através das redes sociais .

Em relação aos produtos mais desejados para a compra na Black Friday, roupas e calçados estão na preferência do consumidor cuiabano com 41,8%, seguido de eletrodomésticos com 20,5%, celulares, smartphones e produtos de informática com 9,0%, móveis em geral com 6,6%, TVs e aparelhos som e afins com 6,6%, entre outros.

Entre os que irão comprar neste período de promoção a maioria pretende gastar mais de R$ 3 mil reais (9,7%), de 2 a R$ 3 mil (7,5%), de 1 a R$ 2 mil (16,1%), de 800 a R$ 1 mil (10,8%), de 600 a R$ 800 reais (1,1%), de 400 a R$ 600 (24,7%), de 200 a R$ 400 reais (12,9%), até R$ 200 reais (12,9%), sendo que 44,3% ainda não definiram um valor para os gastos.

De acordo com o superintendente da CDL Cuiabá, Fábio Granja, a estimativa de aumento nas vendas deste ano é de aproximadamente 6% para as lojas físicas e de 19% para o mercado eletrônico quando comparado com 2019.

As expectativas são muito boas, lembrando que trata-se da décima primeira edição da Black Friday no Brasil, no início era totalmente on-line, mas hoje já consolidada no calendário do brasileiro, tornou-se uma das principais datas de vendas do varejo, inclusive com a adesão em massa de lojas físicas. A pesquisa demonstra que muitos cuiabanos estão deixando para comprar produtos com ticket mais elevado neste período de promoções, com destaque para eletrodomésticos, smartphone, eletrônicos e produtos de informática, porém roupas e calçados assim como ocorre na maioria de outros períodos promocionais, continuam tendo o melhor índice de vendas“, disse.

SOBRE A PESQUISA

A pesquisa foi realizada entre os dias 03 e 13 de novembro, sendo entrevistadas 150 pessoas nos principais pontos comerciais da capital. A idade dos entrevistados é em média de 34 anos, sendo que 37,3% foram do sexo masculino e 62,7% do sexo feminino.

A escolaridade dos entrevistados eram de 8,1% do ensino fundamental, 54,1% ensino médio, 31,8% com ensino superior e 6,1% com pós-graduação.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Ministro é convocado para esclarecer perdas de testes da Covid-19
Propaganda

ECONOMIA

INSS: Justiça libera mais de R$ 1 bilhão para pagar atrasados

Publicados

em

O Conselho da Justiça Federal (CJF) liberou, neste mês, um total de R$ 1,3 bilhão para pagar Requisições de Pequeno Valor (RPVs) autuadas em outubro. Esses atrasados são de até 60 salários mínimos, o que dá R$ 62,7 mil neste ano.

Levando em consideração todas as Requisições de Pequeno Valor (RPVs) autuadas no período, serão pagos 148.226 beneficiários, num total de 120.399 processos.

Do montante pago, mais de R$ 1 bilhão corresponde apenas a atrasados pagos a beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

São casos de revisões de aposentadorias, auxílio-doença, pensões e outros benefícios. Neste grupo, serão beneficiados 77.746 segurados, num total de 62.301 processos.

O lote de novembro contempla segurados cujas ações chegaram totalmente ao final, sem possibilidade de recurso por parte do INSS, e que tiveram a ordem de pagamento expedida pelo juiz em outubro.

Para os beneficiários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, que são atendidos no Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3), estão destinados R$ 202 milhões para 10.374 segurados vencedores de 8.956 processos.

O Tribunal Regional Federal ainda deve divulgar a data de início de processamento da grana. Geralmente, o prazo começa na mesma semana da liberação dos valores.

A fase de processamento envolve a abertura de contas no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal em nome do segurado ou de seu advogado.

Para saber se vai receber neste mês, o beneficiário de SP que tem ação contra o INSS já em fase final deve fazer a consulta no site www.trf3.jus.br. Na tela inicial, é preciso buscar o campo Requisições de pagamento e, em seguida, digitar os dados do advogado ou do beneficiário.

Terá o dinheiro neste lote o segurado que tiver um atrasado cuja data de protocolo seja algum dia do mês de setembro. Além disso, um outro campo a ser observado é o “mês ano da proposta”. Nele, precisa estar anotado “10/2020”.

Quem tem direito de receber mais de 60 salários mínimos, que são os precatórios, já pode consultar se vai ter a grana no ano que vem.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Licenciamento de veículos com placas final 6 e 7 vence dia 30 de novembro
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA