DEVEDORES EM QUEDA

Pelo sexto mês consecutivo a inadimplência reduz em Mato Grosso

Publicados

em

Você não trabalha apenas para pagar contas básicas de consumo, como aluguel e energia, certo?

É como se fosse um jogo: quanto mais você consegue juntar por mês, mesmo que pareça pouco, maior será a sua recompensa a médio e longo prazo!

Administrar seu dinheiro, controlar gastos e poupar, parece mais difícil do que realmente é. E esse esforço vale a pena, porque organizar seu orçamento é um hábito que, além de afastar as dívidas, certamente te aproxima da realização de projetos pessoais e até mesmo sonhos.

Os dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostram que o número de inadimplentes em Mato Grosso reduziu em (-1,94%) na variação mensal de setembro para outubro.

Na região Centro‐Oeste, na mesma base de comparação, a variação foi de (‐2,13%) e no Brasil chegou a (-1,31%). No comparativo com o mesmo período do ano passado, o número apresentou um pequeno crescimento de 0,18%.

O dado ficou acima da média da região Centro‐Oeste (‐1,76%) e acima da média nacional (‐3,47%).

De acordo com o levantamento ainda, a abertura por faixa etária do devedor mostra que o número com participação mais expressiva em outubro foi o da faixa de 30 a 39 anos (26,47%).

Em relação à evolução de dívidas em atraso, na passagem de setembro para outubro, o número de dívidas caiu (‐2,05%). Na região Centro‐Oeste, nessa mesma base de comparação, a variação foi de (‐2,16%) e no Brasil o índice foi de (-1,54%). No comparativo com o mesmo período do ano passado, o número apresentou um pequeno crescimento de 0,27%.

O dado ficou acima da média da região Centro‐Oeste (‐3,07%) e acima da média nacional (‐5,96%).

O setor com participação mais expressiva do número de dívidas em outubro no estado foi Bancos, com 32,00% do total delas, seguido do comércio com 31,54%.

Já o número de dívidas por devedores, em outubro de 2020, cada consumidor inadimplente tinha em média 1,917 dívidas em atraso. O número ficou acima da média da região Centro‐Oeste (1,865 dívidas por pessoa inadimplente) e acima da média nacional registrada no mês (1,799 dívidas para cada pessoa inadimplente).

Conforme a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL Cuiabá), o número de inadimplentes em Mato Grosso fechou em 1,143 milhão em outubro, sendo que desde a retomada do comércio, os números têm apresentado uma redução.

Em abril, por exemplo, havia 1,243 milhão de inadimplentes, em maio: 1,239 milhão, em junho: 1,203 milhão, em julho: 1,192 milhão, em agosto: 1,170 milhão e em setembro 1,166 milhão.

De acordo com o superintendente da CDL Cuiabá, Fábio Granja, de abril até outubro, conseguiu-se reduzir (-8,05%), isso significa menos 100 mil inadimplentes no estado de Mato Grosso.

É importante observarmos como está sendo positiva a retomada da nossa economia, o quanto é importante manter os setores produtivos ativos, o número da inadimplência está reduzindo mês a mês, chegando ao mesmo patamar do ano passado, com apenas 2.061 inadimplentes a mais. Importante relatar que 2019 foi o melhor nível positivo de inadimplência alcançado nos últimos cinco anos. Sabemos que os números ainda estão elevados para o estado e que é preciso melhorar muito mais, porém olhando todo o cenário econômico e social vivenciado em 2020, nós conseguimos evoluir bem e estamos com perspectivas que iniciaremos 2021 melhor do que iniciamos 2020, avaliou.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  "Um prefeito precisa construir pontes e não destruir”
Propaganda

ECONOMIA

INSS: Justiça libera mais de R$ 1 bilhão para pagar atrasados

Publicados

em

O Conselho da Justiça Federal (CJF) liberou, neste mês, um total de R$ 1,3 bilhão para pagar Requisições de Pequeno Valor (RPVs) autuadas em outubro. Esses atrasados são de até 60 salários mínimos, o que dá R$ 62,7 mil neste ano.

Levando em consideração todas as Requisições de Pequeno Valor (RPVs) autuadas no período, serão pagos 148.226 beneficiários, num total de 120.399 processos.

Do montante pago, mais de R$ 1 bilhão corresponde apenas a atrasados pagos a beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

São casos de revisões de aposentadorias, auxílio-doença, pensões e outros benefícios. Neste grupo, serão beneficiados 77.746 segurados, num total de 62.301 processos.

O lote de novembro contempla segurados cujas ações chegaram totalmente ao final, sem possibilidade de recurso por parte do INSS, e que tiveram a ordem de pagamento expedida pelo juiz em outubro.

Para os beneficiários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, que são atendidos no Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3), estão destinados R$ 202 milhões para 10.374 segurados vencedores de 8.956 processos.

O Tribunal Regional Federal ainda deve divulgar a data de início de processamento da grana. Geralmente, o prazo começa na mesma semana da liberação dos valores.

A fase de processamento envolve a abertura de contas no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal em nome do segurado ou de seu advogado.

Para saber se vai receber neste mês, o beneficiário de SP que tem ação contra o INSS já em fase final deve fazer a consulta no site www.trf3.jus.br. Na tela inicial, é preciso buscar o campo Requisições de pagamento e, em seguida, digitar os dados do advogado ou do beneficiário.

Terá o dinheiro neste lote o segurado que tiver um atrasado cuja data de protocolo seja algum dia do mês de setembro. Além disso, um outro campo a ser observado é o “mês ano da proposta”. Nele, precisa estar anotado “10/2020”.

Quem tem direito de receber mais de 60 salários mínimos, que são os precatórios, já pode consultar se vai ter a grana no ano que vem.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Ministério Público alerta TCE sobre possíveis ingerências de auditores substitutos
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA