ECONOMIA

Mesmo com a redução nos abates, o preço do boi gordo em Mato Grosso segue firme

Publicados

em

O preço da arroba do boi gordo em Mato Grosso se manteve estável, mesmo com a redução dos abates no último mês. O Estado abateu 346,785 mil cabeças em fevereiro, representando uma redução de 26,17% em relação ao mês anterior, conforme dados do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT). A oferta restrita não causou grandes impactos no preço da carne. Pelo contrário, os preços da arroba do boi gordo e da vaca gorda apresentaram leves desvalorizações, sendo baixas de 0,02% e 0,11%, respectivamente.

arrobadoboiSegundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) alguns fatores contribuíram para essa baixa expressiva na quantidade de animais encaminhados à indústria. Dentre eles, a oferta de animais terminados que permanece restrita, sendo evidenciada pela curta escala de abate de 5,3 dias, valor 10,75% menor que no mesmo período do ano anterior. Com isso, a utilização da capacidade frigorífica neste início de ano está em apenas 46,26% da capacidade máxima instalada. Além disso, a greve dos caminhoneiros dificultou o abate em todo o Estado.

O gerente de projeto da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Fábio da Silva, ressalta que a baixa oferta de animais contribuiu para a manutenção dos preços do boi gordo. De acordo com ele, os preços estáveis devem se manter ao longo do ano. "Para 2015, as nossas estimativas apontam uma das menores ofertas de boiadas dos últimos anos para o Estado”.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  STF determina que Bolsa Família não poderá sofrer cortes durante pandemia

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

ECONOMIA

Petrobras anuncia novo reajuste na gasolina

Publicados

em

O aumento no preço dos combustíveis afeta diretamente quem tem o veículo como ferramenta de trabalho. Quando o bolso do consumidor é afetado com o aumento da gasolina é preciso buscar alternativas para economizar. Simples atitudes ao volante, por exemplo, e uma manutenção adequada podem contribuir para um melhor desempenho do veículo, que resulta em um menor consumo de combustível.

A Petrobras anunciou, nesta terça-feira (26), depois da disparada de 8% em 18 de janeiro que a gasolina terá novo aumento, mais um reajuste, desta vez de 5%. Com isso, o combustível acumula alta de 13,4% em 2021. O diesel também será reajustado em 4,4%. Os novos valores passam a vigorar a partir desta quarta-feira (27).

Vale ressaltar que a nova política da Petrobras, inaugurada este ano, é não revelar os percentuais de aumento, apenas os novos preços praticados nas suas refinarias. A companhia tampouco informa espontaneamente os reajustes, apenas responde quando procurada.

O preço médio de gasolina da Petrobras para as distribuidoras passa a ser de R$ 2,08 por litro, refletindo um aumento médio de R$ 0,10 por litro”.

Ao fim de 2020, o valor da gasolina era de R$ 1,83.

“O preço médio do diesel, por sua vez, passará a ser de R$ 2,12 por litro, refletindo uma aumento médio de R$ 0,09 por litro”, informou a estatal.

A empresa explicou que os preços praticados têm como referência os preços de paridade de importação e, dessa maneira, acompanham as variações do valor do produto no mercado internacional e da taxa de câmbio, para cima e para baixo”.

Importante ressaltar também que os preços da gasolina e do diesel vendidos na bomba dos postos revendedores é diferente do valor cobrado nas refinarias pela Petrobras. Até chegar ao consumidor são acrescidos tributos federais e estaduais, custos para aquisição e mistura obrigatória de biocombustíveis pelas distribuidoras, além das margens brutas das companhias distribuidoras e dos próprios postos revendedores de combustíveis”, acrescentou, como faz em todas as notas de reajuste.

Novidade

A novidade agora é que a Petrobras divulga dados do Global Petrol Prices, um site segundo o qual, em 18 de janeiro (portanto antes dos dois aumentos promovidos este ano), o preço médio ao consumidor de gasolina no Brasil era o 56º mais barato dentre 166 pesquisados, estando 17,8% abaixo da média de US$ 1,05 por litro.

Já o preço médio de diesel ao consumidor no Brasil era o 42º mais barato dentre 165 pesquisados, estando 26,7% abaixo da média de US$ 0,95 por litro”.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  MT obtém liminar para redução da dívida com a União
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA