ECONOMIA

Mato Grosso tem potencial para dobrar produção de peixe

Publicados

em

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec) apresentou nesta quarta-feira (2) algumas ações que já estão sendo trabalhadas pelo Governo do Estado para estimular a produção de peixe e a agricultura irrigada. O Estado tem potencial para dobrar a produção de pescado de água doce e para elevar a 9 milhões de hectares a área irrigada, por conta da oferta de recursos hídricos.

paludo - peixeA informação foi divulgada durante encontro promovido pela Sedec para divulgar que em 2016 as duas atividades serão consideradas prioritárias no orçamento do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO/Rural) para 2016. Cada segmento terá até 20% dos financiamentos a serem liberados.

"Esta definição das prioridades do FCO era uma demanda antiga do setor produtivo do Estado, que agora, com gestão eficiente, estamos conseguindo colocar em prática. Nossa ideia é trabalhar fortemente a melhoria do ambiente de negócios, por meio de políticas públicas que fomentem as atividades com potencial em Mato Grosso", disse o secretário Seneri Paludo, ao se referir à proposta feita pelo Conselho de Desenvolvimento Agrícola (CDA) e aceita pela Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco) para priorizar a piscicultura e irrigação no próximo ano.

Paludo lembrou que o atendimento a essa demanda é resultado de um trabalho que foi realizado ao longo de 2015 em conjunto com os setores produtivos. "Conversar e ouvir o empresariado para formular políticas para criar um ambiente de negócios favorável em Mato Grosso foi uma determinação do governador Pedro Taques, que também exigiu que tudo seja feito de maneira correta para dar segurança legal e jurídica aos investidores", acrescentou Paludo.

Mato Grosso é o segundo maior produtor de pescado de água doce do país (60.964 mil/t), respondendo por 12,8% da produção nacional, segundo levantamento mais recente do IBGE e há oportunidade para dobrar o volume nos próximos ano, pois o Estado é grande .

Para o secretário-executivo da Associação Brasileira de Piscicultura (Peixe BR), Francisco das Chagas de Medeiros, Mato Grosso tem três fatores que fazem com ele seja o Estado com maior potencial de crescimento da produção de pescado nos próximos 20 anos.

"Aqui temos grande produção de grãos, que é a base da alimentação dos peixes, temos enorme potencial hídrico e um produtor com perfil empreendedor, que está aberto para investir em novas atividades", apontou.

Já em relação à irrigação, de acordo com a Agência Nacional de Águas (ANA), atualmente em Mato Grosso são 179 mil hectares com outorga de licença para irrigação, entretanto, a Associação dos Produtores de Feijão Irrigado (Aprofir) aponta que apenas 70 mil hectares são irrigados no Estado.

Segundo dados apresentados pelo professor da Universidade Federal de Viçosa, Everardo Mantovani, Mato Grosso poderá aumentar em 9 milhões sua área irrigada nos próximos anos.

"Vejo que Mato Grosso é o Estado com maiores oportunidades para o incremento da irrigação, podendo utilizar esta atividade aplicada à Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), por exemplo, e pode ser utilizado como uma segurança para o agricultor produzir o ano todo".

O secretário-adjunto de Agricultura da Sedec, Alexandre Possebon, destacou que a secretaria está trabalhando também na estruturação dos Planos Estaduais da Irrigação e da Piscicultura. "São duas áreas com forte vocação em Mato Grosso. Na piscicultura, observamos que o consumo está crescendo e gerando demanda, tanto interna quanto externa. Já a irrigação, podemos utilizar também na produção de hortifrútis, que o Estado importa. Com estas políticas públicas será possível fortalecer o mercado e estruturar estes setores".

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Mato Grosso atrai US$ 450 milhões em investimentos

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

ECONOMIA

Várzea Grande recebe emendas no valor de R$ 20 milhões

Publicados

em

Sinalizando que vai continuar redobrando os esforços no sentido de ajudar a administração municipal de todas as 141 cidades de Mato Grosso, mas principalmente de Várzea Grande, o Senador do Partido Democratas (DEM), Jayme Veríssimo de Campos anunciou a liberação de novas emendas para obras e ações, bem como, entendimentos junto ao Governo Federal para ampliar repasses de recursos para obras de abastecimento de água e esgoto sanitário, hoje um dos maiores problemas da segunda maior cidade do Estado.

Várzea Grande recebeu duas emendas no valor de R$ 20 milhões do Senador Jayme Campos. Os recursos serão aplicados na saúde pública e em obras de infraestrutura, principalmente na pavimentação asfáltica de vários bairros.

É sempre bom contar com o apoio dos parlamentares da bancada federal e novamente o Senador Jayme Campos demonstra seu apreço a cidade de Várzea Grande aonde ele foi prefeito por três mandatos, lembrando que no início de nossa gestão já foi repassado valores de R$ 10 milhões para a saúde pública de outra emenda do senador”,disse o prefeito Kalil Baracat,.

E conforme o chefe de Executivo Municipal, vai ainda colocar recursos próprios de Várzea Grande para ampliar a capacidade e atender mais bairros do município com obras, pois recursos federais e estaduais são essenciais, mas também precisam de contrapartida de recursos do Tesouro Municipal.

Kalil Baracat sinalizou que estes recursos se somam com o empréstimo da ordem de R$ 90 milhões contratados junto a Caixa Econômica Federal (CEF), sendo R$ 70 milhões para pavimentação asfáltica e R$ 20 milhões para ampliar os R$ 100 milhões que estão sendo investidos em obras de abastecimento de água e esgoto sanitário.

Quero deixar meu testemunho do apoio que temos recebido dos senadores, deputados federais, dos deputados estaduais da Assembleia Legislativa e do próprio Governo de Mato Grosso e isto tem que ser declarado para que as pessoas saibam o quanto eles têm nos ajudado a vencer as dificuldades e obstáculos que são comuns em uma gestão pública, assinalou o prefeito.

Ele aproveitou a presença dos vereadores no evento, para agradecer o apoio do Poder Legislativo Municipal que também não tem medido esforços no sentido de ajudar o Executivo a vencer os obstáculos impostos como a questão do abastecimento de água.

Já o Senador Jayme Campos (DEM), assinalou que sua meta é concluir ano que vem a primeira parte de seu mandato com 141 cidades contempladas com recursos de emendas parlamentares de sua autoria.

Já liberei próximo de R$ 200 milhões em emendas para 134 cidades e queremos dentro da possibilidade e da realidade, pois estes recursos são federais, atender a todas as cidades, atender a Mato Grosso”, disse Jayme Campos frisando ainda que vai reforçar os pedidos em cima da questão do abastecimento de água e de obras de esgoto.

O Senador do Partido Democratas (DEM), reconheceu a necessidade de reforçar os investimentos no abastecimento de água de Várzea Grande e lembrou que o prefeito Kalil Baracat está investindo R$ 100 milhões nestas obras e vai lançar outras duas obras que em definitivo irão permitir que Várzea Grande melhore de forma significativa o abastecimento de água para toda a sua população.

Jayme Campos ressaltou que o bom trânsito do prefeito Kalil Baracat, junto a Bancada Federal, graças ao trabalho que vem fazendo em Várzea Grande, facilita a busca por emendas parlamentares, defendendo uma emenda de bancada com recursos mais volumosos para ser aplicado em obras de abastecimento de água e esgoto sanitário.

A deficiência que existe hoje é decorrente do crescimento populacional aliado a falta de investimentos, até porque os R$ 215 milhões de um total de R$ 500 milhões previstos do PAC resgatado em 2015 pela prefeita Lucimar Sacre de Campos, nem R$ 5 milhões para água foram liberados, então o problema se demonstra mais severo e mais potencializado pela seca que é a maior das últimas décadas e pela falta de investimentos, sem contar outros problemas que também agravam a situação como as perdas de água, os desvios entre outros”, disse Jayme Campos.

Já o prefeito Kalil Baracat reafirmou a disposição e o enfrentamento do problema sinalizando que durante todo o seu mandato, os esforços em primeiro plano são pela resolutividade da questão da água e consequentemente do esgoto, mas que é necessário avançar ainda mais, seja em novas redes, novos equipamentos e na conscientização das pessoas quanto ao uso racional da água disponível.

Com o apoio dos Governos, Federal, de Mato Grosso, da Assembleia Legislativa e de recursos próprios, Várzea Grande irá dobrar a atual capacidade de captação, tratamento e distribuição de água dos atuais 700 litros por segundo para 1.400 litros por segundo ou 120.960 milhões de litros de água por dia, o que representa dizer mais de 400 litros por dia por cada habitante, ou seja, mais que três vezes a necessidade apontada como ideal pela Organização Mundial da Saúde (OMS) de 120 até 140 litros/dia por habitante”, disse o prefeito Kalil Baracat.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Ministro Maggi: Safra recorde está indo "para o ralo"  
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA