ORIENTAÇÃO DO CDL CUIABÁ

Funcionamento do comércio no feriado de Corpus Christi

Publicados

em

As atividades econômicas do comércio em geral poderão funcionar na capital no feriado de Corpus Christi, que acontece na próxima quinta (03.06), mas a abertura está condicionada a regras que foram acordadas em Convenção Coletiva (CCT).

A CDL Cuiabá orienta que as empresas que optarem por abrir as portas devem observar as disposições constantes na CCT vigente no que se refere ao trabalho em dias de feriado.

Para os empregados que irão trabalhar neste dia, a remuneração das horas trabalhadas será em dobro, incluídas as comissões das vendas do dia, e o seu pagamento se dará junto com o fechamento da folha de pagamento do corrente mês em que se trabalhou no feriado independente de compensação“, explicou o superintendente da CDL Cuiabá, Fábio Granja.

Os comerciantes devem se atentar às disposições dos decretos municipais dos referidos municípios no que se refere ao horário de funcionamento, bem como quanto as demais medidas de prevenção para contenção da disseminação do novo Coronavírus.

A CDL Cuiabá reforça queem tempos de pandemia, se faz ainda mais necessário o cumprimento das medidas de biossegurança, como uso de máscara, higiene das mãos e distanciamento“.

AGÊNCIAS BANCÁRIAS

Os bancos não abrirão na cidade nesta quinta-feira, desta forma, estarão prorrogados para o primeiro dia útil subsequente todos os vencimentos de contas.

Os terminais de autoatendimento, aplicativos de celular e internet permanecerão provendo os serviços de forma usual, como já ocorre em feriados bancários.

SHOPPINGS CENTERS

Os shoppings também estão autorizados a funcionar, tanto as lojas quanto a praça de alimentação, desde que os empresários sigam todas as regras estabelecidas pela CCT.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Transporte de sementes na propriedade deve receber novas regras
Propaganda

ECONOMIA

Números de Devedores em Mato Grosso cai quase 6%

Publicados

em

Conforme o núcleo de inteligência de mercado da CDL Cuiabá, os dados apresentados no fechamento de maio de 2021 pelo Serviço de Proteção ao Crédito – SPC Brasil, relataram que o número de devedores caiu -5,94% em relação a maio de 2020. Já na passagem mensal de abril para maio, o número cresceu 0,36%.

Comparando os períodos supracitados, entre os anuais, o número de devedores do Estado teve uma redução melhor que a média da região Centro-Oeste (-4,02%) e a média nacional (-4,34%). Na passagem mensal, o aumento foi menor que a região Centro-Oeste (1,06%) e a nacional (0,59%).

Referente à quantidade de dívidas de moradores de Mato Grosso, o número caiu -7,19% em relação a maio de 2020. Sendo que na passagem mensal de abril para maio de 2021, o número de dívidas cresceu 0,51%.

A queda do número de contas vencidas no Estado entre maio de 2021 e o mesmo período do ano anterior foi melhor que a média da região Centro-Oeste (-5,25%) e a média nacional (-5,91%). Na passagem mensal de abril para maio de 2021, o aumento foi menor que a Região Centro-Oeste (1,19%) e da nacional (0,90%).

O cenário apresentado demonstra que Mato Grosso fechou com percentuais de inadimplência mais favoráveis que a região Centro-Oeste e o nacional. Esse fato está ligado a vários fatores, porém destacamos a geração de empregos que está se mantendo com saldo positivo desde o início do ano e a melhora nas vendas ocorrida principalmente nestes últimos 60 dias. Isso significa mais dinheiro girando na economia, até porque mais de 73% da população tem preferido efetuar pagamentos à vista, avaliou o superintendente da CDL Cuiabá, Fábio Granja.

O levantamento apresentou ainda que o total de devedores residentes no Estado ficou próximo de 1,123 milhões. A soma total de dívidas fechou com uma quantidade acima de R$ 2,162 milhões, o que representa uma média de contas em atraso de quase duas (1,925) por cidadão que reside em Mato Grosso. Em valores financeiros, a soma de todas as dívidas ficou acima de R$ 1,92 bilhões de reais.

Os setores com maiores participações do número de dívidas foram Bancos (33,17%), Comércio (30,59%), Água e Luz (16,65%), Comunicação (12,82%) e outros (6,78%).

Já a abertura por faixa etária do devedor mostra a participação de 30 a 39 anos (26,21%), 40 a 49 anos (21,57%), 50 a 64 anos (19,55%), 25 a 29 anos (13,21%), 65 a 84 anos (9,18%), 18 a 24 anos (8,91%) e acima de 85 anos (1,07%).

A perspectiva de recuperação econômica para o segundo semestre continua sendo positiva, porém sabemos que será gradativa. Uma das formas mais viáveis para acelerarmos os índices positivos é gerar mais confiança para o mercado e isso será possível com a vacinação em massa e aprovação de reformas importantes como a administrativa e tributária, acrescentou Granja.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Pandemia causará recessão global em 2020, diz FMI
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA