CHEGA DE IMPOSTOS

Empresários cobram reforma administrativa e tributária

Publicados

em

Durante reunião, realizada na sede da Associação das Empresas dos Distrito Industrial de Cuiabá (AEDIC), com os empresários do Distrito Industrial de Cuiabá se reuniram com o Senador de Mato Grosso, Carlos Hemrique Baqueta Fávaro onde foram apresentadas reivindicações do setor visando melhorar o ambiente de negócios no Estado e no Brasil. O objetivo foi ouvir as propostas para o setor industrial e empresarial do parlamentar, que é candidato à reeleição.

O distrito da capital é considerado o maior polo industrial de Mato Grosso, com 260 indústrias instaladas, nos mais variados setores, que geram aproximadamente 20 mil empregos diretos e milhões em impostos.

Falando em nome dos empresários presentes, o presidente em exercício da AEDIC, Domingos Kennedy Garcia Sales, apontou que o setor tem duas grandes expectativas em relação ao Congresso Nacional: a reforma administrativa e a reforma tributária.

Fazemos um apelo ao senador, não pode haver no Brasil um novo imposto estilo CMPF ou nenhum novo imposto. Os empresários já não têm mais condições de arcar com aumento de carga tributária”.

Kennedy Garcia destacou que quando os governos criam novos impostos, quem paga o custo é o consumidor, já que os tributos são inseridos no processo produtivo, nos serviços ou no produto final. O presidente da AEDIC também disse que a população busca políticos que estejam ao lado do povo.

Queremos políticos que sejam independentes, que não cheguem em Brasília e abaixem a cabeça para tudo que o governo quer, aprovando tudo, como aumentar impostos. Queremos representantes que estejam ao nosso lado, ao lado de quem produz”.

Carlos Fávaro garantiu que não há no Congresso Nacional clima para a aprovação de novos impostos, especialmente nos moldes da antiga CPMF.

Se alguma proposta neste sentido chegar aos parlamentares não tem nenhuma chance de aprovação, frisou.

O Senador declarou ainda que os interesses do setor industrial, comércio e serviços estarão garantidos em seu mandato, já que escolheu como primeira suplemente uma legítima representante do setor, a empresária Margareth Buzetti, presidente licenciada da AEDIC e da Associação Brasileira do Segmento de Reformas de Pneus (ABR).

Buzetti, por sua vez, destacou a necessidade de ter representantes do setor produtivo no Senado defendendo as pautas do segmento, que buscam incrementar a produção, tendo como consequência a geração de emprego e renda, especialmente neste momento em que o Brasil registra 14 milhões de desempregados formais.

O candidato ao Senado destacou também que está trabalhando arduamente para que os trilhos da Ferronorte cheguem até Cuiabá, especialmente até o Distrito Industrial da capital, projeto vital para que a produção do estado possa chegar a preços competitivos a outros estados e até ao mercado internacional.

Com a chega dos trilhos até o Distrito será mais um importante investimento para atrair novas indústrias para esta região, aumentando o nosso polo industrial e, consequentemente, os investimentos para a sociedade, finalizou.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Várzea Grande e Goiânia registram aumento de ICMS em 2019
Propaganda

ECONOMIA

INSS: Justiça libera mais de R$ 1 bilhão para pagar atrasados

Publicados

em

O Conselho da Justiça Federal (CJF) liberou, neste mês, um total de R$ 1,3 bilhão para pagar Requisições de Pequeno Valor (RPVs) autuadas em outubro. Esses atrasados são de até 60 salários mínimos, o que dá R$ 62,7 mil neste ano.

Levando em consideração todas as Requisições de Pequeno Valor (RPVs) autuadas no período, serão pagos 148.226 beneficiários, num total de 120.399 processos.

Do montante pago, mais de R$ 1 bilhão corresponde apenas a atrasados pagos a beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

São casos de revisões de aposentadorias, auxílio-doença, pensões e outros benefícios. Neste grupo, serão beneficiados 77.746 segurados, num total de 62.301 processos.

O lote de novembro contempla segurados cujas ações chegaram totalmente ao final, sem possibilidade de recurso por parte do INSS, e que tiveram a ordem de pagamento expedida pelo juiz em outubro.

Para os beneficiários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, que são atendidos no Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3), estão destinados R$ 202 milhões para 10.374 segurados vencedores de 8.956 processos.

O Tribunal Regional Federal ainda deve divulgar a data de início de processamento da grana. Geralmente, o prazo começa na mesma semana da liberação dos valores.

A fase de processamento envolve a abertura de contas no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal em nome do segurado ou de seu advogado.

Para saber se vai receber neste mês, o beneficiário de SP que tem ação contra o INSS já em fase final deve fazer a consulta no site www.trf3.jus.br. Na tela inicial, é preciso buscar o campo Requisições de pagamento e, em seguida, digitar os dados do advogado ou do beneficiário.

Terá o dinheiro neste lote o segurado que tiver um atrasado cuja data de protocolo seja algum dia do mês de setembro. Além disso, um outro campo a ser observado é o “mês ano da proposta”. Nele, precisa estar anotado “10/2020”.

Quem tem direito de receber mais de 60 salários mínimos, que são os precatórios, já pode consultar se vai ter a grana no ano que vem.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Mesmo sem cargo, Januária Dorilêo vai comandar a Política Social de Várzea Grande
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA