RECUPERAÇÃO DO COMÉRCIO

Cuiabá acumula saldo positivo no fechamento de novembro na geração de empregos formais

Publicados

em

Pelo sexto mês consecutivo, a capital registrou saldo positivo na criação de empregos formais, o que apontam os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

O saldo de novembro ficou em 1.768 novas vagas, resultado de 6.830 admissões e 5.062 desligamentos, o que mostra uma recuperação na geração de empregos formais.

Segundo o levantamento, o comércio foi o setor que mais contribuiu para o desempenho, com a geração de um saldo de 968 novos postos de trabalho, sendo 2.349 admissões contra 1.381 desligamentos. Em seguida aparecem serviços (560), resultado de 3.170 admissões contra 2.610 desligamentos, construção (187), 832 admissões e 645 desligamentos, indústria (39), 441 admissões e 402 desligamentos e agropecuária (14), 38 admissões contra 24 desligamentos.

No acumulado do ano, de janeiro a novembro, Cuiabá fechou com saldo positivo de 293, sendo 65.455 admissões e 65.162 desligamentos.

O Comércio fechou com um saldo de 55, sendo 19.342 admissões contra 19.287 desligamentos. Serviços fechou com um saldo negativo de -1679, de 32.346 admissões e 34.025 desligamentos. Construção foi o grande destaque do acumulado do ano com 8.463 admissões, 6.924 desligamentos, saldo 1.539. Indústria: 4.857 admissões, 4.522 desligamentos, saldo 335. Agropecuária: 447 admissões, 404 desligamentos, saldo 43.

Mato Grosso também fechou com saldo positivo em novembro. Os dados do Caged mostram que o Estado fechou o mês com um saldo de 3.124, sendo 29.880 admissões e 26.756 desligamentos. O setor do Comércio evidencia a nível estadual como o que mais contribuiu para esse número, com um saldo de 4.187 novos postos de trabalho. Serviços com 1.209, Construção saldo 173. Já Indústria e agropecuária fecharam com saldo negativo, respectivamente de -180 e -2.265.

Felizmente Cuiabá conseguiu de uma forma ampla se recuperar na geração de empregos antes do fechamento do ano, a única exceção ficou com o setor de serviços. Os números foram puxados pelas contratações realizadas pelo comércio neste fim de ano, é um resultado positivo diante de um cenário crítico que vivenciamos. Os números demonstram que realmente Mato Grosso é um estado diferenciado quando comparado com o demais da Federação, a geração de emprego e renda deixa a retomada da economia mais equilibrada e menos dependente do auxílio emergencial, certamente elevará ainda mais a confiança e otimismo do setor produtivo para o ano de 2021“, avaliou o superintendente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Cuiabá (CDL Cuiabá), Fábio Granja.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Vereador requer CPI para apurar denúncias e a falta de leitos de UTI em Cuiabá
Propaganda

ECONOMIA

Inadimplência em MT fecha 2020 abaixo que no ano anterior

Publicados

em

O total de inadimplentes registrado em dezembro de 2020, diminuiu em relação ao ano anterior. O levantamento feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) aponta que o número em Mato Grosso caiu ‐2,49% em dezembro de 2020, em relação a dezembro de 2019. O dado ficou acima da média da região Centro‐Oeste (‐4,71%) e acima da média nacional (‐4,31%).

A sequência de redução de inadimplentes foi mantida na passagem de novembro para dezembro, o número de devedores caiu -0,99%. A abertura por faixa etária do devedor mostra que o número de devedores com participação mais expressiva em dezembro foi o da faixa de 30 a 39 anos (26,39%), seguida pela faixa de 40 a 49 anos (21,50%).

Já o número de dívidas em atraso de moradores de Mato Grosso caiu ‐5,25% em dezembro de 2020, em relação a dezembro de 2019. O dado ficou acima da média da região Centro‐Oeste (‐7,01%) e acima da média nacional (‐7,14%). Na passagem de novembro para dezembro, o número de dívidas caiu -1,62%. Os setores com participações mais expressivas do número de dívidas em dezembro no estado foram os Bancos, com 31,40% e o comércio com 31,30% do total de dívidas.

Com relação ao número médio de dívidas por devedores, em dezembro de 2020, cada consumidor inadimplente tinha em média 1,904 dívidas em atraso.

O número ficou acima da média da região Centro‐Oeste (1,858 dívidas por pessoa inadimplente) e acima da média nacional registrada no mês (1,789 dívidas para cada pessoa inadimplente).

Segundo a Câmara de Dirigentes Lojistas de Cuiabá (CDL), Mato Grosso encerrou o ano com aproximadamente 1,081 milhão de inadimplentes. São quase -28 mil consumidores quando comparado com o fechamento de 2019. Já referente ao número de dívidas o fechamento ficou próximo a 2,97 milhões.

Se compararmos com o período mais elevado da inadimplência durante 2020, que foi em abril, já são mais de 162 mil mato-grossenses que conseguiram quitar suas dívidas“, avaliou o superintendente da entidade, Fábio Granja.

Para Granja é importante ter a inadimplência reduzida, pois trata-se de um mal que pode levar uma empresa à falência.

Apesar da melhora gradativa de alguns indicadores econômicos destes últimos meses, o primeiro trimestre de 2021 será um termômetro importante para tentarmos prever como será a continuidade desse processo de recuperação da economia, por isso é importante ficarmos com um sinal amarelo, pois a pandemia ainda está presente e sabemos o quanto ela tem interferido no comportamento e na confiança do consumidor. A consistência desse processo de retomada passa pela continuidade, em especial, daquilo que toca diretamente o bolso do consumidor: emprego e renda. Mesmo com a inadimplência caindo aos poucos, as famílias ainda enfrentam dificuldades para honrar seus compromissos em dia, tanto é que há um estoque elevado de pessoas com contas a pagar, disse.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  SP: Movimento de passageiros cai 88% no Terminal Rodoviário do Tietê
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA