DINHEIRO NOVO NA PRAÇA

Com a desvalorização do real perante ao dólar, Brasil lança cédulas de R$ 200 reais

Publicados

em

O Banco Central vai facilitar a vida de quem precisa carregar muito dinheiro ao lançar a nota de R$ 200 reais.

Muito mais fácil de carregar”.

Esta foi a resposta de um doleiro condenado da “Lava Jato” ao ver que o governo vai lançar uma nota de R$ 200 reais.

O anuncio do Banco Central do Brasil da nova cédula de Real foi feito nesta quarta-feira que o país terá no valor de R$ 200, com o desenho do animal “Lobo Guará”, a partir de agosto. A data exata ainda não foi revelada.

Serão produzidas 450 milhões de cédulas neste ano. Por segurança, o desenho das cédulas que estão passando por fases de testes de impressão não foi apresentado.

De acordo com a diretora de Administração do Banco Central, Carolina de Assis Barros, o lançamento da nova cédula é oportuno porque, devido à “Pandemia”, houve uma demanda maior por papel-moeda no Brasil. Além disso, a diretora reforça que o papel-moeda ainda é a base das transações.

Segundo a diretora, não há relação entre a nova cédula e a desvalorização do real perante ao dólar e nem quanto a perspectivas altas de inflação. A emissão estaria relacionada apenas à demanda por papel-moeda.

O Banco central entende que é um momento oportuno para o lançamento da cédula de R$ 200. É o Banco Central agindo preventivamente com um possível aumento de numeraria (moeda) da população. A gente também vai poder reduzir custos logísticos da distribuição e de produção de cédulas no país”, explica.

Carolina de Assis Barros também apresentou dados que mostram o fenômeno conhecido como entesouramento, durante a “Pandemia”. O entesouramento acontece quando o dinheiro circula pouco devido à formação de reservas. Assim, há mais demanda por meio circulante. Segundo o BC, há uma retenção de papel-moeda “em casa”.

Para a diretora da autoridade monetária, momentos de incerteza tendem a levar as pessoas a fazerem saques e acumular dinheiro.

Isso não é um fenômeno do nosso país, e isso gerou um aumento expressivo de demanda nas casas impressoras.

Além da formação de reservas pela população, outros fatores responsáveis pelo entesouramento foram a diminuição do volume de compras devido às medidas de isolamento social na pandemia e a falta de retorno ao sistema bancário de valores pagos em espécie a beneficiários do Auxílio Emergencial, fornecido pelo governo no valor de R$ 600.

Questionada sobre o crescimento dos meios de pagamentos digitais, e da iminência do lançamento do sistema de pagamentos instantâneos PIX, a diretora afirmou que não há contradição na criação da nova cédula.

São coisas distintas. O uso de papel-moeda e o crescimento de meios digitais de pagamento. O Banco Central endossa o uso de meio de meios digitais de pagamento. Nós vamos ajustar a demanda por meio circulante à medida em que a gente sentir que o dinheiro está retornando ao sistema bancário como historicamente faz”.

Por que o “Lobo Guará”?

O Banco Central fez uma pesquisa no Brasil em 2001, que perguntou quais animais as pessoas gostariam de ver representados nas cédulas. Na época, só existia a primeira “família” do real, com as notas de R$ 1, R$ 5, R$ 10, R$ 50 e R$ 100.

A “Tartaruga Marinha” foi a mais votada, seguida pelo “Mico Leão Dourado”. Os dois animais já foram representados nas notas de R$ 2 e R$ 20, criadas pouco depois da pesquisa. Em terceiro lugar, estava o “Lobo Guará”, que será representado a partir do próximo mês nas cédulas de R$ 200.

As notas devem custar ao Banco Central o valor de R$ 113,4 milhões para a impressão das novas cédulas.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  "Covid-19": Mato Grosso registrou neste sábado 2.413 casos e 58 óbitos
Propaganda

ECONOMIA

Empresários da capital dizem que a falta de qualificação é a maior dificuldade na hora da contratação

Publicados

em

Visando fazer um levantamento sobre o mercado de trabalho durante a pandemia, além do fluxo de oferta e procura de mão-de-obra na capital mato-grossense, o Núcleo de Inteligência de Mercado da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL Cuiabá) realizou uma pesquisa com 150 entrevistados, sendo eles empresários do segmento do comercio varejista e de prestação de serviços de Cuiabá. Os dados foram coletados entre os dias 14 e 20 de abril de 2021.

Sobre se tem feito ou considerado a demissão de colaboradores em virtude do período de medidas restritivas, 74,7% discordaram que pensam nisso, contra 25,3%, que concordam muito. Dos que estão demitindo ou pensando em demitir a taxa média de demissão ficou em 34%.

A pesquisa demonstrou também que 69,3% dos empresários estão trabalhando com sua capacidade total de funcionários, contra 30,7% que apresenta um quadro inferior. Contudo, quando questionados se pretendem fazer novas contratações nos próximos 30 dias, 18,1% informaram que estão planejando gerar novas vagas de emprego.

Conforme os dados levantados ainda, a função que mais teve vagas abertas nos últimos 30 dias foi a administrativa/comercial com 20,6%, seguida de vendas 17,7%; Auxiliar de produção 11,8%; Área Técnica 8,8%; Entregador 8,8%; Estoque 8,8%; Pedreiro/Ajudante de pedreiro 8,8%; Caixa 5,9%; Serviços Gerais 5,9%; e por fim, açougue com 2,9%.

Nesse quesito a pesquisa perguntou sobre a satisfação em relação à mão-de-obra qualificada para a empresa. O empresário tinha que dar uma nota de 0 a 10 conforme seu nível de satisfação e infelizmente a nota média ficou em 5,3, que nos demonstra que falta qualificação nas pessoas que buscam uma oportunidade de trabalho. Essa informação gera importantes reflexões quanto à necessidade de gerar ações públicas e privadas que possam melhorar esse índice do mercado de trabalho“, disse o superintendente da CDL Cuiabá, Fábio Granja.

A falta de qualificação também foi apresentada como um dos maiores problemas ou dificuldades no preenchimento de vagas, conforme responderam os empresários entrevistados (75,5%).

Em relação aos principais meios que costumam recrutar colaboradores, 55,2% disseram que através de indicações, já 18,2% em banco de empregos, 12,5% através da internet, 5,2% por empresas de consultorias e 8,9% em outros meios.

PROJETO DESPERTAR

Diante do alto índice de desemprego e da falta de qualificação que dificulta ainda mais as chances de se encaixar em alguma vaga disponível no mercado, a CDL Cuiabá lançou o Projeto Despertar, que visa capacitar pessoas que estão em busca de uma oportunidade de trabalho.

Através deste projeto, nós iremos proporcionar conhecimento e orientação às pessoas que estão desempregadas e que buscam se encaixar em alguma vaga de trabalho. Através de uma capacitação, nós iremos prepará-lo com a ajuda de profissionais qualificados, com informações de como elaborar um bom currículo e como deve ser o comportamento em entrevistas, além disso, disponibilizaremos conteúdos on-line profissionalizantes e gratuitos, além de dicas de educação financeira e saúde, explicou Granja.

Para mais informações sobre o projeto, acesse:

correntedobemcdlcuiaba.com.br ou entre em contato pelo fone 65 3615-1599.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  É hoje! Mega-Sena sorteia R$ 2,5 milhões neste sábado
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA