CESTA BÁSICA EM QUEDA

Cesta básica registra queda de preço na segunda semana de maio

Publicados

em

A segunda semana de maio apresentou uma pequena retração no valor da cesta básica comercializada em Cuiabá, após registrar alta na semana anterior, segundo o levantamento do Instituto e Pesquisa e Análise da Fecomércio Mato Grosso (IPF-MT). No início deste mês, os itens que compõem a cesta básica chegaram ao valor de R$ 715,04, já nesta semana, o custo caiu para R$ 699,96, uma diferença de R$ 15,08, o que representa uma queda de 2,11%.

No total, 38% dos itens da cesta tiveram redução de preço, em comparação com a semana passada. Entre os produtos, o tomate que já na quinta semana consecutiva em baixa, apresentou uma diminuição de 21,52%. A banana que também estava em queda, registrou uma redução de 3,19%. Outros quatro itens da cesta apresentaram baixa e conduziram para uma média abaixo de R$ 700,00, valor não averiguado desde o mês de março.

Para o superintendente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso (Fecomércio/MT), Igor Cunha, essa diminuição foi influenciada pela forte queda do preço do tomate, que está associada à grande oferta do produto, diante da intensificação da safra.

A queda no preço do tomate, pela quinta vez consecutiva, está associada ao crescimento da oferta do produto diante da intensificação da colheita de inverno, o que aumenta sua oferta nos supermercados da capital“, destacou.

Um item que chamou atenção do IPF-MT foi a manteiga, que registrou uma alta de 11,99%, podendo ter relação com o aumento no valor do insumo principal de sua fabricação, o leite, associado à uma baixa oferta com o aumento de custos de produção. Para o IPF-MT, os itens que mais sofrem impacto diante da guerra entre Rússia e Ucrânia continuam em alta, como é o caso da farinha de trigo e do pão francês.

Leia Também:  Árvores Nativas e sua importância: Águas Cuiabá e TJMT/Juvam promovem plantio

O superintendente ressalta ainda que a média final da cesta básica desta semana, com registro abaixo dos R$ 700, pode gerar fôlego para os consumidores que enfrentavam muitas altas nos preços.

Essa leve queda no valor final dos itens avaliados na cesta é um alívio para os consumidores. Para a população mais carente, R$ 15 faz toda a diferença para a família conseguir comprar outros itens da cesta ou então utilizar em outras despesas, concluiu.

O Sistema S do Comércio, composto pela Fecomércio, Sesc, Senac e IPF em Mato Grosso, é presidido por José Wenceslau de Souza Júnior.

A entidade é filiada à Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que está sob o comando de José Roberto Tadros.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

“Vamos fazer uma grande reunião sobre o Plano Diretor e estou buscando meios de colocar o VLT”

Publicados

em

O Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), afirmou durante transmissão ao vivo nas redes sociais, que vai se reunir com setor produtivo do município para debater sobre a substituição do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) pelo Ônibus de Rápido Transporte (BRT).

No início do mês, o Tribunal de Contas da União (TCU) acatou o pedido de cautelar movido pela Prefeitura de Cuiabá e determinou ao Governo do Estado de Mato Grosso a imediata suspensão de todos os procedimentos administrativos relacionados à substituição do VLT pelo BRT. O ato é assinado pelo ministro Aroldo Cedraz.

Em sua decisão, o ministro ratificou os apontamentos feitos de forma constante pelo prefeito Emanuel Pinheiro desde que a possível troca de modal foi anunciada. No recurso conduzido pela Procuradoria Geral do Município (PGM), por exemplo, a Prefeitura cita que tal decisão se deu de forma unilateral, sem qualquer espécie de participação da sociedade e dos municípios por onde o modal de transporte será implantado, qual seja, Cuiabá e Várzea Grande.

Cedraz lembrou ainda que o Estado já havia sido alertado pela Secretaria Nacional de Mobilidade e Desenvolvimento Regional e Urbano (SMDRU) sobre a necessidade cooperação dos governos locais nas discussões sobre o tema. O ministro destaca ainda que a decisão de alteração do modal de transporte público intermunicipal não possui respaldo da SMDRU.

Leia Também:  Blairo Maggi: "Estados Unidos poderá em 60 dias retomar compra de carne" 

Por esse motivo, o prefeito explica que a pauta do VLT será incluída na reunião sobre o Plano Diretor do município, para que o segmento produtivo possa se posicionar sobre o assunto.

Vou ter essa conversa com o setor produtivo de Cuiabá também, são dezenas de segmentos organizados do setor produtivo que contribui muito para o desenvolvimento de Cuiabá. Vamos discutir sobre o Plano Diretor, quero ouvir as sugestões e as ideias e vou colocar na pauta VLT e BRT, não podemos nos esconder, destaca Pinheiro.

Faço questão, precisamos do setor produtivo e vamos fazer uma grande reunião sobre o Plano Diretor e estou buscando meios de colocar o VLT, porque temos que pensar em Cuiabá daqui 30 anos, não só no comércio, indústria, mobilidade urbana, meio ambiente ou desenvolvimento urbano, mas também no transporte coletivo, e o VLT está há dez anos passando na nossa cara e boa parte dos personagens econômicos não se envolvem, mas vou levantar essa discussão com o setor produtivo de Cuiabá”, acrescenta o prefeito.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA